DIETAS INSENSATAS DE VERÃO, SAÚDE EM RISCO!

100


DIETAS INSENSATAS DE VERÃO, SAÚDE EM RISCO!

  Tupam Editores

Comer é um acto determinado por vários factores, desde o apetite, aos hábitos familiares e culturais, à disponibilidade de alimentos e às pressões sociais. Na tentativa de lograr a silhueta perfeita, e poder competir numa sociedade balizada por padrões de beleza cada vez mais exigentes, homens e mulheres, adolescentes e cada vez mais crianças, recorrem a dietas insensatas que prometem fazer milagres, mas que frequentemente se mostram nocivas para a saúde.

Com a chegada do Verão, a situação agrava-se. Se durante o Inverno os quilinhos a mais se podem camuflar debaixo dos sobretudos, no Verão regressam as preocupações com a linha, as supostas dietas milagrosas e os consequentes erros alimentares. Podemos, assim, afirmar que o acto de comer é igualmente influenciado pela estação do ano.

Os componentes básicos de uma dieta saudável são as proteínas, a gordura, as vitaminas, os minerais e a água. A ingestão de cada um destes compostos fornece os nutrientes essenciais para o funcionamento do organismo. O segredo do sucesso está numa alimentação equilibrada e sensata que contenha aqueles elementos.

O desespero dos meses de Verão leva os indivíduos a cometerem verdadeiros atentados à saúde, adoptando dietas "malucas", cujos efeitos são quase instantâneos, mas que a longo prazo podem ter consequências graves, podendo, inclusivamente, levar à morte. Estas dietas inserem-se em cinco grupos, sendo consideradas as piores dietas de sempre.

O primeiro grupo diz respeito às dietas baseadas apenas num alimento ou num grupo específico de alimentos. Este tipo de dieta, cuja lista é interminável – a dieta das sopas, da lua, do sol, do homem das cavernas, de Atkins, do ananás, etc… – priva o organismo de nutrientes essenciais à sua sobrevivência. A título de exemplo: a dieta de Atkins, baseada essencialmente na ingestão de proteínas, causa um excesso de acidez que pode levar à depressão do sistema nervoso central, à descalcificação óssea e a complicações hepáticas ou renais.

Uma dieta baseada na ingestão continuada do(s) mesmo(s) alimento(s) está condenada ao fracasso, pois conduz a um esgotamento, que irá originar um desejo incontrolável pelos alimentos proibidos, arrastando o indivíduo para o ponto de partida.

As dietas de desintoxicação são, igualmente, muito prejudiciais para a saúde. Além de insensatez na adopção de uma dieta alimentar à base de limonada, ou seiva de hortaliças cruas, entre outras, há indivíduos que para emagrecer recorrem ao liver flush, um chá usado nos Estados Unidos para limpeza do fígado, a intrusão colónica e a hormonas injectáveis, procedimentos drásticos que, segundo especialistas, danificam severamente o organismo.

Este tipo de dieta tem como objectivo purgar o corpo de toxinas, levando a um emagrecimento rápido e eficaz. Porém, o corpo humano tem especialistas na eliminação de toxinas potencialmente perigosas para o organismo – o fígado, os rins, o sistema imunitário – e não necessita de ajuda externa. Quando o indivíduo se submete a este tipo de purificação, para além de eliminar as toxinas, está igualmente a eliminar elementos essenciais à sobrevivência do organismo. Por isso, é melhor deixar as limpezas para os especialistas.

Outras dietas a evitar são as que anunciam produtos ou alimentos milagrosos, como os suplementos, o chá verde, vinagre de cidra, os batidos ou os kits de emagrecimento entre outros.

Pessoas desesperadas por uma silhueta perfeita no Verão são terreno fértil para a proliferação deste tipo de dieta: sempre à procura de algo que as faça perder peso como por magia, mas essa só existe nos mundos encantados dos Harry Potters. No mundo real não existe um único alimento ou grupo de alimentos que ingeridos a uma determinada hora tenham impacto na perda de peso. É necessário ter cautela com planos alimentares que recomendem prateleiras cheias de suplementos vitamínicos, enzimas ou poções.

prato limões

Não é errado tomar um suplemento vitamínico diariamente; porém os especialistas recomendam que a principal fonte de nutrientes sejam os alimentos naturais.

A adopção da dieta do jejum ou pobre em calorias, como as dietas de Hollywood – há artistas que chegam a ingerir apenas dois ovos cozidos por dia –, a dieta da limonada, entre outras, com o objectivo de perder peso, está agora muito em voga.

O consumo de poucas, ou nenhumas, calorias leva o organismo a assumir que está a passar fome, levando ao ajustamento do metabolismo. Quando volta a alimentar-se normalmente, o organismo não consegue, porém, reajustar o metabolismo e o indivíduo passa a ingerir mais calorias do que as necessárias. Desta forma, além de recuperar o peso que perdeu, pode até ganhar mais, provocando o conhecido efeito ioiô.

Quando se perde peso através do jejum, perde-se gordura, músculo e fluidos, entre outros. O peso que se irá recuperar é provavelmente composto apenas de gordura.

O quinto grupo de dietas está relacionado com a adopção de um regime alimentar que soa bem demais para ser verdade. Dietas que afirmam ter um segredo ou fazem recomendações que contradizem organizações científicas especializadas insuspeitas.

É necessário que as pessoas, mesmo as mais desesperadas, se consciencializem de que não há dietas de formato universal, de que não existem dietas instantâneas ou milagrosas, de que não há fármacos que as façam perder quilos da noite para o dia.

Um outro perigo que espreita as pessoas que querem emagrecer a qualquer custo são as barras e as bebidas energéticas. Muitas vezes os substitutos de uma refeição essencial ao organismo, estes produtos podem ter um alto teor de açúcar, mas serem pobres em nutrientes.

Uma boa barra energética deverá ter até 5 g de gordura, 3 a 5 g de fibra, até 15 g de proteínas e 15 a 25 g de hidratos de carbono. Nunca deverá substituir uma refeição.

"Mais do que uma fase, a dieta deve ser uma forma de estar na vida. Mais do que um corpo perfeito, a primeira preocupação deve ser a saúde". A adopção de um estilo de vida e alimentação saudável evita os desesperos de Verão e danos para a saúde. No entanto, se durante os meses de Inverno ocorreram excessos que levaram aos indesejáveis pneus e for necessário perder uns quilinhos, sera benéfico delinear uma estratégia alimentar, à medida de cada indivíduo e adaptável ao seu estilo de vida, que ajude a satisfazer o seu apetite com um pouco menos de calorias – como por exemplo a ingestão de mais frutos, vegetais, cereias e proteínas saudáveis.

Outra das estratégias possíveis reside na identificação do motivo que levou ao ganho dos quilos extra – assaltar o frigorífico a meio da noite, comer grandes porções, uma grande gula, petiscar o dia inteiro, entre outros – e adoptar medidas para o combater. Se, por exemplo, a pessoa come demasiado devido ao stress, então a melhor forma de combater os quilos a mais será frequentar um curso de gestão do stress.

Perder peso não significa apenas uma alimentação saudável, mas também a prática de exercício físico. Para muitas pessoas a melhor forma de relaxar, após um dia de trabalho, é sentar-se no sofá a ver televisão.

Muitos estudos concluíram que existe uma forte ligação entre a obesidade e este acto. Pergunta-se: ganha-se peso porque ver televisão é uma actividade sedentária ou porque as pessoas têm tendência a comer desenfreadamente quando estão à sua frente?

É comum, quando se abre um pacote de batatas fritas ou de bolachas em frente ao televisor, que este chegue ao fim rapidamente, pois com a atenção canalizada para a TV não prestamos atenção à quantidade de comida ingerida.

É assim importante evitar comer em frente à TV. Se for impossível resistir à tentação, poderão substituir-se os doces, os salgados e os gelados por fruta, vegetais ou iogurtes magros.

Se os jogos de computador forem uma das suas actividades preferidas, opte por jogar jogos interactivos que requeiram movimentos corporais.

O movimento é essencial para a perda de peso, por isso saia de casa. Se não gosta de ir ao ginásio opte por caminhar – por exemplo pode sair na paragem anterior ao seu destino e andar um pouco mais.

Esqueça as figuras de Hollywood, esqueça as supermodels e os anúncios da televisão. Aceite o seu corpo! Muitas delas fazem loucuras só para poderem ficar magras e magreza não é, muitas vezes, sinal de saúde. Quando se sentir perdido, procure um especialista.

A elegância, como em tudo, reside no equilíbrio. Por isso, a melhor dieta é não fazer dieta. Uma alimentação equilibrada e a prática de exercício físico são, na maioria dos casos, a chave para chegar ao Verão em boa forma física e mental. Boa praia e boas caminhadas!

Ver mais:
A FOME
ALIMENTAÇÃO ANTICANCEROSA
ANOREXIA, BULIMIA E OUTROS DISTÚRBIOS ALIMENTARES
EMAGRECER, A DITADURA DO VERÃO
JÁ PODE COMER DEMAIS!
O QUINTO SABOR
SUPLEMENTOS ALIMENTARES
TOXINFECÇÕES ALIMENTARES: O PERIGO INVISÍVEL
VITAMINAS


ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
28 de Abril de 2017

Referências Externas:

Relacionados

Potássio - Minerais essenciais

O potássio é um elemento químico alcalino de origem mineral, essencial para o bom funcionamento do corpo humano sendo, de entre os vários nutrientes, um dos principais componentes das células e exerce...

Destaques

CERVEJA ARTESANAL

Habituámo-nos a ser exigentes com o vinho, o gin, o whisky, e muitas outras bebidas. Com a comida, a história repete-se… se as coisas não são confecionadas pela avó, não têm o mesmo sabor, e não nos s...

EMAGRECER, A DITADURA DO VERÃO

Nesta época do ano a preocupação com as formas do corpo atinge o seu nível mais elevado. O Verão está aí e o Sol aperta. Vestir roupas frescas, o biquíni ou o fato de banho do ano passado é uma necess...
0 Comentários