CHÁ - Um prazer a qualquer hora!

100


CHÁ - Um prazer a qualquer hora!

  Tupam Editores

Os ingleses bebem-no às cinco, em Portugal bebe-se a qualquer hora. Com ou sem cerimónias, a fumegar, frio ou gelado, existe um chá para todas as ocasiões e para clarear todas as situações. É pretexto para uma conversa, razão para uma pausa, para aquecer corpo e alma nas noites frias de inverno e hábito para bem dormir. Depois da água, é talvez a bebida mais apreciada em todo o mundo, e a mais saudável também.

Saquetas de infusões

Não é uma bebida recente! Pelo contrário, é milenar e cheio de história. Já em 2737 a.C. os seus benefícios eram reconhecidos pelo imperador chinês Shen Nung, que o ingeria pelas suas propriedades medicinais.

A Europa só viria a conhecer o seu sabor séculos depois – estima-se que por volta de 1559, apesar de só no século XVII o consumo de chá se ter tornado mais comum. Graças aos navegadores, Portugal foi o primeiro país europeu a consumi-lo, mas foram os holandeses quem importou o primeiro carregamento procedente da China.

Mas nem por isso os portugueses deixaram de fazer história com a bebida, pois foi graças a Catarina de Bragança (filha do rei D. João IV e da rainha D. Luísa de Gusmão) que o tão conhecido “chá das cinco” entrou nos hábitos ingleses, depois da princesa portuguesa se ter casado com o rei Carlos II, levando consigo a sua bebida preferida. Hoje, o chá é uma das bebidas mais consumidas nas Ilhas Britânicas.

Após milénios de cultivo, de experiências e de descobertas científicas – que lhe conferem cada vez mais benefícios para a saúde – o mundo do chá tornou-se tão vasto, apaixonante e especializado como o de um bom vinho.

E, tal como as uvas dão origem aos vários sabores e tipos de vinho, os chás também procedem de uma planta sempre verde e em forma de arbusto, nativa das florestas do nordeste da Índia e do sul da China – a Camellia Sinensis.

Tipos de chá: mil folhas de sabor

Atualmente, cerca de 3 mil produtos possuem o nome de chá, no entanto, apenas podem ser considerados chás aqueles que tenham na sua composição a Camellia Sinensis. Assim, provenientes da planta existem os chás preto, verde, branco e oolong, que se distinguem entre si dependendo do processo de secagem e oxidação.

Existem ainda duas outras categorias, o rooibos e as infusões (chá de limão, de erva-príncipe, de cidreira, de tília, de camomila…), que não são elaboradas a partir desta mas de outras plantas, grande parte delas de amplos efeitos medicinais.

O chá preto é a variedade mais popular entre nós, e também a mais indicada para começar o dia com plena energia. Este é o tipo de chá mais intensamente transformado. As folhas são totalmente oxidadas, dando origem à cor preta e conferindo-lhe mais complexidade e adstringência.

Chá oolong

O seu nome refere-se à cor das folhas, pois o líquido produzido a partir da fermentação é geralmente avermelhado ou acastanhado. É mais forte do que os outros tipos de chá, contendo mais cafeína por chávena, cerca de 20 por cento, mesmo assim muito inferior à de um café.

Um dos mais poderosos antioxidantes que se conhecem, o chá verde é o mais consumido no Japão e na China, contendo apenas entre 5 a 10 por cento de cafeína por chávena. Colhidas manualmente, em vez de oxidadas, as folhas da Camellia Sinensis são imediatamente cozidas a vapor, enroladas e deixadas a secar, preservando-se assim a sua cor verde.

Para conservar as suas propriedades, e evitar que se torne amargo, na preparação deste chá não se deve utilizar água a ferver, mas sim abaixo do ponto de ebulição ou até fria, se assim se preferir.

O chá branco é o menos processado, passando apenas por uma ligeira oxidação e apresentando, por isso, uma quantidade de cafeína por chávena substancialmente reduzida. As folhas são apanhadas manualmente, vaporizadas e secas ao sol naturalmente. Contém botões da mesma planta, colhidos ainda muito verdes. A sua recolha é por vezes limitada a dois dias por ano e o processo de fabrico é delicado, o que explica a sua raridade e o elevado preço.

O seu sabor delicado e os benefícios para a saúde, semelhantes aos do chá verde, fazem com que, nos últimos anos, a sua popularidade tenha crescido no Ocidente.

Denominado “o champagne dos chás”, o chá oolong é extremamente popular nos países asiáticos. É parcialmente oxidado para se encontrar algures entre o chá preto e o chá verde, e contém aproximadamente 15 por cento de cafeína por chávena. Semelhante ao chá preto, mas com sabor mais próximo do chá verde, possui um toque mais acentuado o que o torna tão especial. A sua delicadeza, e o sabor macio e sedoso colocam-no entre os chás mais premiados em todo o mundo e pode ser parte integrante e saudável de um plano de emagrecimento.

O chá rooibos é obtido a partir de um arbusto vermelho apenas existente na África do Sul. Naturalmente sem cafeína, é rico em vitaminas, minerais e antioxidantes, sendo uma experiência deliciosa quente ou gelado que, se ainda não conhece, deverá experimentar.

Quanto às infusões, feitas a partir de diferentes partes de plantas, são muito apreciadas pelas suas qualidades medicinais: ricas em vitamina C e livres de cafeína, são adequadas para qualquer pessoa a qualquer hora do dia.

Cada tipo de chá (e as múltiplas combinações possíveis) tem as suas características, personalidade, um sabor distinto e variadíssimos benefícios para o organismo, que o surpreenderão.

O poder do chá: propriedades e benefícios

O chá e as infusões são bebidas resultantes da fervura das folhas de diferentes plantas, cuja ingestão auxilia a hidratação e fornece diferentes tipos de benefícios consoante a planta utilizada.

Não apresentam calorias, açúcares, gorduras ou proteínas, porém contêm substâncias conhecidas cientificamente como princípios ativos, que são sintetizadas de acordo com o meio em que vivem, e possuem determinadas ações no nosso organismo.

Os princípios ativos, alcaloides, saponinas, taninos, mucilagens, flavonoides, catequinas, antioxidantes, vitaminas, nutrientes, entre outros, conferem uma ação terapêutica pelo uso dos chás.

Quando utilizados de maneira adequada os chás apresentam efeitos terapêuticos, por vezes superiores aos dos medicamentos convencionais, e com efeitos colaterais minimizados.

Não é preciso um motivo especial para beber chá, mas no entanto há ocasiões e circunstâncias em que um determinado chá pode ser milagroso. Conheça alguns deles, e os seus benefícios para a saúde:

O chá verde é desintoxicante, acelera o metabolismo na queima de gorduras, ajuda a fortalecer o sistema imunológico, previne problemas cardiovasculares e ainda tem vários princípios ativos que ajudam na prevenção do cancro.

O chá preto conta com grandes quantidades de cafeína que, quando consumida com moderação, diminui a sensação de fadiga e sonolência, pois possui propriedades excitantes, e estimula o cérebro.

De ação calmante, a Camomila pode ajudar a combater a ansiedade e as insónias, e até na enxaqueca. É ainda uma opção muito indicada para amenizar as cólicas, tanto menstruais quanto digestivas.

A erva doce é relaxante, sendo usada para aliviar irritações no estômago e gases. É ainda recomendada para reduzir o apetite e auxiliar no processo de emagrecimento.

O chá de canela é um ótimo aliado no controle da diabetes, já que ajuda na redução da glicemia, regulando o açúcar no sangue. E ainda ajuda a diminuir a vontade de comer doces.

O chá mate tem ação estimulante, ajudando a afastar o cansaço. É antioxidante, sendo bom para prevenir o envelhecimento precoce. Cuidado com os exageros se tiver hipertensão, pois este chá contém cafeína.

O chá de equinácea é uma ótima solução para tomar em casos de gripe e constipações, mas os benefícios da equinácea não se ficam por aqui – possui ainda propriedades anti-inflamatória, antioxidante, antimicrobiana, laxante, desintoxicante, antialérgica e imunoestimulante.

O gengibre é um outro poderoso anti-inflamatório que também atua no sistema digestivo, contra cólicas e gases.

Chá de gengibre

A hortelã é refrescante, possui efeito vermífugo e auxilia no alívio de gases. Além disso, melhora a digestão, combatendo azias.

O boldo aumenta a produção da bílis eliminando gases, cálculos na vesícula e no combate das afeções do fígado e baço.

A diversidade de chás e infusões é imensa, assim como as suas propriedades benéficas. O melhor momento para a sua ingestão vai depender do objetivo que se pretenda alcançar: os estimulantes pela manhã, os digestivos após as refeições, os energéticos, antisetresse ou antifadiga à tarde e os calmantes à noite, por exemplo.

Mas engana-se se pensa que para obter todos os benefícios dos chás, os cuidados se resumem unicamente a ferver água ao mesmo tempo que se coloca na chaleira as ervas preferidas. Há pequenos detalhes que fazem toda a diferença.

Assim, para ter a certeza de que não se destroem as propriedades desta bebida deliciosa, a melhor que a natureza tem para nos oferecer, é importante que:
–    Tenha cuidado com o tipo de utensílio que vai usar para fazer o chá: os de metal provocam alterações no sabor e nos princípios ativos, devido à oxigenação. Os recipientes indicados são os de vidro, louça ou esmalte. Não ferva a água com que vai fazer o chá – aqueça-a, apenas, até começarem a aparecer as primeiras bolhas de ar, desligando de imediato.

– Adicione a erva do chá que pretende e abafe com uma tampa por 5 minutos. Deixe a infusão descansar durante este período.

– Passados 5 minutos, coe o chá.

– Não deve reaquecê-lo.

– Conserve-o em local seco e fresco, para que preserve as substâncias benéficas intactas.

– Não lhe adicione leite ou açúcar, pois pode comprometer os seus benefícios. Os chás devem ser tomados puros ou adoçados com mel puro, canela ou cravo, nunca com açúcar, pois este sofre fermentação e altera as suas propriedades medicinais.

Os chás não devem ser consumidos 24 horas após a sua preparação, pois passado este período entram em fermentação. Também não deve ser utilizado o mesmo tipo de chá por mais de 30 dias seguidos, pois o organismo vai responder cada vez menos aos compostos bioativos.

Munido destes conselhos, já pode desfrutar em pleno do seu chá. Nos dias de frio, não há bebida que mais aqueça o coração. Escolha a que mais lhe convém ou goste!

ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
08 de Dezembro de 2019

Referências Externas:

Relacionados

HIDRATAÇÃO - Estratégias para beber mais água

Olhe à sua volta… Tem algum copo ou garrafa de água perto de si? Se sim está no bom caminho. Se nem sequer se lembra há quanto tempo não bebe água, ou pior, se é daqueles que dizem não gostar de água,...

POTÁSSIO - Minerais essenciais

O potássio é um elemento químico alcalino de origem mineral, essencial para o bom funcionamento do corpo humano sendo, de entre os vários nutrientes, um dos principais componentes das células e exerce...

Destaques

HERPES

O nome da doença não disfarça os seus efeitos! Com origem no termo grego “herpein”, que significa “alastrar” ou “rastejar”, herpes é a palavra usada para designar uma doença viral da pele, altamente c...
0 Comentários