COMO REPARAR O CABELO ESTRAGADO

  Tupam Editores

Não tem função vital no organismo e vive-se com a sua total ausência, mas no entanto, para além de um elemento marcante na imagem pessoal, o cabelo contribui para a nossa autoestima, pois condiciona a forma como nos apresentamos no dia-a-dia. A sua cor, estilo, o volume e a forma podem tornar-nos mais atraentes e confiantes.

Os cabelos refletem sensualidade, denunciam o nível de vaidade, revelam personalidades, e criam identidade. Quando uma mulher, ou um homem, decide mudar de visual, a primeira coisa que sofre a transformação são os cabelos, seja com um corte ou com uma coloração diferente do habitual.

Não se pense, contudo, que são apenas um “acessório” estético; os cabelos também funcionam como isolante térmico, e protegem a cabeça das radiações solares e de choques mecânicos.

Uma cabeleira média é constituída por cerca de 100 a 150 mil fios de cabelo. Estes crescem 1 cm por mês e cerca de 10-15 cm por ano, numa parte específica da epiderme denominada couro cabeludo. Se o couro cabeludo está bem tratado, os fios ficam soltos e sedosos, e a gordura produzida naturalmente pelo organismo distribui-se ao longo de toda a fibra capilar, deixando-os macios e brilhantes. Porém, quando a região não está saudável, a beleza do cabelo sofre as consequências, razão pela qual é importante saber mais sobre a anatomia e composição dos fios.

Mulher com tesoura cortar cabelo

O fio de cabelo é composto essencialmente por carbono, hidrogénio, nitrogénio, oxigénio e enxofre que, unidos, formam uma proteína denominada queratina que representa 85 por cento da sua composição, completado por 12 por cento de água e três por cento de lípidos. Este divide-se em três partes – cutícula, córtex e medula.

A cutícula é a camada externa do fio de cabelo que protege a estrutura. É transparente, o que permite ver a cor do fio do cabelo. A cutícula sofre agressões externas (sol, chuva, poluição), por ação mecânica (escovar, pentear), e por manipulações químicas (permanentes, pinturas, madeixas, reflexos); o córtex é a estrutura, responsável pela sustentação da haste capilar; e a medula é a parte central do fio de cabelo.

Num cabelo saudável, cada fio é coberto por uma camada de cutículas fechadas que protegem o seu interior. A cutícula tem um aspeto regular, mantendo as moléculas de água e de proteína no seu interior. Este cabelo apresenta-se forte, com brilho e macio.

O cenário, porém, nem sempre é este. Durante a sua vida, o nosso cabelo passa por uma série de experiências (cortes, lacas, lavagens, secagens, permanentes, coloração, descoloração) destinadas a seguir tendências da moda e criar efeitos estéticos. Mas, ao longo deste processo, os danos causados no cabelo podem ser graves e irreversíveis.

Um cabelo danificado apresenta anomalias na estrutura dos fios e do couro cabeludo. As cutículas abertas provocam perda de brilho, humidade e resistência, assim, o cabelo torna-se visivelmente quebradiço, áspero e difícil de manejar.

Cabelo danificado

Para além dos estragos provocados pelos produtos químicos utilizados nos tratamentos capilares, as causas podem ser ainda lavagens com águas muito quentes, secagens frequentes, a escovagem, a exposição ao sol, poluição atmosférica e o desgaste inerente ao envelhecimento.

Se sente que se está a ver ao espelho, não desespere pois, na maior parte das vezes, para voltar a ter um cabelo saudável e brilhante basta apenas dizer “Adeus” a alguns gestos maus enraizados no quotidiano.

Cabelo danificado requer cuidados especiais

Não existe ninguém no mundo que não tenha uma queixa a fazer do seu próprio cabelo: oleosidade, pontas espigadas, cabelo seco, quebradiço, opaco, muito volume, pouco volume, queda de cabelo, entre outros dramas de arrepiar. O lado bom da história é que todos estes problemas podem ter fim. Basta que os cuidados e as recomendações dos especialistas sejam seguidos à risca ao cuidar do cabelo em casa.

Quando os danos se concentram nas pontas, um bom corte pode fazer milagres. O corte não ajuda o cabelo a crescer mais forte, isso é um mito, no entanto, quando se trata de reparação, o ideal seria retirar-se toda a parte danificada dos fios.

Isto feito, é importante escolher o champô certo. A variedade de marcas e tipos de champôs disponíveis nas prateleiras das lojas especializadas é imensa, sendo necessário escolher com critério.

Não basta usar um produto específico para cabelos danificados. A escolha deve ser feita de acordo com os fatores que causaram os danos. Cabelos danificados por coloração ou por alisamento requerem champôs especiais para tratar cada um dos problemas; se o cabelo apenas estiver seco o uso de um champô hidratante é suficiente. Independentemente do problema, óleos essenciais, aminoácidos, vitaminas e silicones são ingredientes que devem estar na fórmula de um produto destinado à reparação dos fios.

O champô é, sem dúvida, importante mas os cuidados na lavagem do cabelo não o são menos. Os cabelos sensibilizados devem ser limpos com um intervalo de pelo menos dois dias e sempre com água morna. As lavagens com água muito quente retiram a camada de gordura que protege os fios.

Hidratação do cabelo

Considerando que todo o cabelo tem algum dano, por menor que seja, a lavagem deve ser gentil e delicada, com movimentos de vaivém usando apenas as pontas dos dedos. O ideal seria misturar num recipiente a quantidade de champô a ser aplicada com a mesma proporção de água, para que o produto não se acumule em determinadas áreas e para assegurar uma limpeza mais profunda.

Para hidratar o cabelo estragado, nada melhor do que as ampolas de hidratação. Fornecem uma hidratação imediata ao cabelo e recuperam o brilho perdido. Devem utilizar-se uma vez por semana, para manter a hidratação e para resultados mais duradouros.

Óleo para cabelo

Os óleos hidratantes são outra opção para quem tem os fios de cabelo estragados ou danificados. Podem ser usados nos cabelos húmidos ou secos, como uma máscara, ou mesmo como finalizadores. Deve escolher-se o que se adapte ao tipo de cabelo.

Cabelos danificados embaraçam mais, por isso, cuidado ao escolher o acessório para os pentear. Os pentes de osso ou de madeira são os mais indicados e devem ter dentes com espaçamento de, no mínimo, quatro milímetros. Também se pode optar por escovas largas, do tipo raquete, desde que tenham cerdas moles e proteção nas pontas, para diminuir o atrito durante a escovagem, que deve começar pelas pontas e ir subindo aos poucos.

Pentear cabelo

Deixe secar o cabelo ao natural. Faça uma pausa, loooonga, no uso do secador e do alisador. Não é novidade para ninguém que estes dois aparelhos são prejudiciais à saúde do cabelo, devendo ser evitados ao máximo, principalmente durante o processo de reparação capilar. Se for imprescindível alisar os fios, dê preferência ao secador, mas apenas após a aplicação de um protetor térmico – um produto que protege os cabelos do calor excessivo –, e a uma distância de 30 cm do cabelo.

Também para proteger o cabelo pode recorrer-se ao Leave-in – uma fórmula que se aplica no cabelo sem enxaguar, após a lavagem. Estes produtos são um aliado indispensável principalmente para quem não dá grande atenção aos cabelos: hidratam, facilitam o penteado e ajudam a modelar os fios. Se não se fizer mais nada além de lavar, mas utilizar, no fim, um produto destes, já se está a fazer muito pelo cabelo.

Para além dos produtos certos e dos cuidados de manuseio convém ainda evitar alguns comportamentos errados que causam danos adicionais, como por exemplo, usar elásticos com partes metálicas para apanhar o cabelo. No caso dos homens, o uso excessivo de bonés e o hábito de dormir com o cabelo molhado também podem ser prejudiciais para a saúde dos fios.

Se é daquelas pessoas dedicadas à beleza e saúde dos cabelos e que segue à risca todos os cuidados mencionados, mas os seus fios andam sem brilho, quebradiços ou a cair, então o problema pode vir de dentro.

Reparar “de dentro para fora”

A expressão “a beleza vem de dentro para fora” aplica-se perfeitamente à beleza e saúde capilar. Sabia que o nosso cabelo se “alimenta” de duas maneiras? É verdade, alimenta-se através dos produtos que utilizamos para o mimar e da nossa alimentação.

O estilo de vida urbano pouco saudável, caracterizado por hábitos alimentares desequilibrados, falta de exercício físico regular, consumo excessivo de álcool, stress, tabagismo, contacto com a poluição, falta de tempo para refeições saudáveis, originam carências alimentares de nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo humano, e os reflexos fazem sentir-se a vários níveis.

Por mais estranho que lhe pareça, a saúde e a beleza do cabelo estão dependentes de uma alimentação equilibrada, rica em nutrientes essenciais e água. A prática regular de exercício físico também dá uma ajuda, uma vez que favorece a circulação sanguínea, garantindo o aporte de oxigénio e nutrientes a todas as células do organismo.

Os minerais, os oligoelementos, as vitaminas, as proteínas, os ácidos gordos essenciais e os fitoativos são as principais substâncias que devem integrar a alimentação de quem deseja ter um cabelo saudável – combatem a queda, fortalecem, estimulam o crescimento, melhoram a elasticidade e aumentam o tempo de vida das células que constituem a fibra capilar. De nada adianta fazer vários tratamentos ao cabelo se, por exemplo, estiver com deficiência de vitaminas e minerais.

Vitaminas para cabelo

Se a sua rotina atarefada não lhe permite fazer uma alimentação racional e equilibrada ou adotar um estilo de vida mais adequado para devolver a saúde e a beleza ao cabelo – a todo o organismo, pode sempre recorrer à suplementação.

Apesar de todos os nutrientes serem importantes, alguns são indispensáveis, como é o caso das proteínas, elementos essenciais para o crescimento e reparação do cabelo.

As vitaminas “alimentam” profundamente o cabelo, estimulam o seu crescimento e combatem a ação nefasta dos radicais livres responsáveis pelos danos a nível celular – as vitaminas A, E e C são disso exemplo. A biotina, ou vitamina H, ajuda a aumentar a circulação do couro cabeludo, promovendo assim, o crescimento do cabelo. Boas doses desta vitamina proporcionam cabelos hidratados e saudáveis.

No que diz respeito aos minerais, o silício atua nos cabelos regenerando a derme capilar, regularizando a secreção sebácea e fortalecendo os fios. Já o ferro é muito importante no combate à queda capilar – de referir que a queda de 50 a 100 cabelos por dia é normal. O elemento ferro, ao ajudar a aumentar a circulação no couro cabeludo, ocasiona o crescimento do cabelo.

É importante entendermos que é mais fácil tratar o cabelo antes de se estragar do que reparar cabelo estragado. Devemos dedicar ao cabelo o mesmo cuidado que dedicamos à pele e a outras áreas do corpo. Massajar o couro cabeludo, hidratar os fios, evitar a exposição prolongada ao sol sem proteção, cuidar da alimentação e dormir bem são cuidados indispensáveis para conseguir um cabelo de fazer inveja a qualquer um.

Mas preocupe-se com os cuidados e aparência dos seus cabelos não apenas em nome da beleza mas, principalmente, por que eles são fortes indicadores de como anda a sua saúde. Afinal, os cabelos não são apenas “a moldura do rosto” são também o espelho do que lhe vai no organismo. Cuide de si, e a beleza do seu cabelo o revelará!

ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
16 de Novembro de 2018

Referências Externas:

Relacionados

POLUIÇÃO SONORA

Todos os dias, são várias as atividades da nossa rotina que nos expõem a níveis de poluição sonora altamente prejudiciais para a saúde. O ruído é uma constante, em particular nas grandes urbes, e os s...

DECLARE GUERRA À ACNE

Quem nunca sofreu de acne “que atire a primeira pedra”! Seja na adolescência, ou mesmo na fase adulta, a acne já irritou a maioria das mulheres (e homens também) nem que seja uma vez na vida. E se na...

Destaques

TELEMEDICINA

Etimologicamente telemedicina (tele, prefixo grego de distância + medicina, do latim medicinae, remédio) entende-se como a realização de atos médicos à distância.

CAFÉ

É simplesmente a bebida mais consumida no mundo, a seguir à água, não só pelo seu aroma apelativo aos sentidos e sabor caraterístico, como também pelos seus efeitos estimulantes.
0 Comentários