Longas caminhadas são uma boa forma de atividade física

Longas caminhadas são uma boa forma de atividade física

EXERCÍCIO FÍSICO

  Tupam Editores

5

De acordo com uma revisão realizado pelo Instituto de Saúde Pública de Inglaterra, existe uma desconexão entre a quantidade de exercício que as pessoas precisam e a quantidade de atividade que as pessoas efetivamente fazem.

Na revisão, o organismo destacou especificamente as caminhadas, e de como os adultos não devem apenas aumentar a intensidade da caminhada ou focar-se na distância que percorrem.

“A compreensão das pessoas de que andar e fazer atividade aeróbica pode fazer bem à saúde tem vindo a aumentar, mas a necessidade de sessões de exercício de força e equilíbrio ainda é algo que as pessoas não interiorizaram”, disseram os investigadores ao The Guardian.

Mulheres a caminhar

O relatório observa que, enquanto muitos adultos dizem que é difícil arranjar tempo para se adaptarem a caminhadas, isso não deve ser uma desculpa, pois os especialistas aconselham as pessoas a caminhar, pelo menos, dez minutos por dia.

Vários estudos demonstraram que caminhar pode ajudar na perda de peso e na prevenção de doenças cardíacas, derrame, pressão alta e diabetes tipo 2.

Um estudo de 2015 constatou que mesmo uma caminhada de apenas dois minutos pode reduzir o risco de morte em idade jovem.

Contudo, caminhar pode não ser suficiente, de acordo com o relatório: “caminhar é uma forma de exercício cardiovascular que, idealmente, deve ser combinado com algum tipo de treino de força, que precisa de ser feito entre duas a três vezes por semana, no mínimo”.

“Quando as pessoas atingem os 30 anos, começam a perder massa muscular, o que pode abrir caminho para problemas de osteoporose, especialmente em mulheres, daí o treino de força ser tão importante”, concluíram os investigadores.

SUPER ANTIVIRAIS

MEDICINA E MEDICAMENTOS

SUPER ANTIVIRAIS

O desenvolvimento de novas armas contra as infeções virais é de extrema importância, especialmente tendo em conta a evolução da resistência aos antivíricos existentes.
0 Comentários