ASMA - NECESSIDADES NÃO SATISFEITAS NO TRATAMENTO

100


ASMA - NECESSIDADES NÃO SATISFEITAS NO TRATAMENTO

  Tupam Editores

A APA, a SPAIC, a SPP e a ANF juntaram mais de 200 asmáticos para fazer um Teste de Controlo de Asma, assinalando, assim, o Dia Mundial da Asma, que este ano tem como mote " As necessidades não satisfeitas no tratamento da Asma".

A asma é uma doença crónica dos pulmões, que despoleta nas vias respiratórias, episódios recorrentes de pieira, dispneia, aperto torácico e tosse. Estes sintomas estão associados a hipersensibilidade a diversos estímulos, podendo ser causados ou agravados quando um asmático estiver a fazer exercício físico, em contacto com pêlos de animais, penas de pássaro, pó doméstico, ácaros, fumo, químicos inaláveis, alterações de temperatura, emoções fortes e alguns medicamentos, tais como ácido acetilsalicílico e beta-bloqueantes. Nalguns casos, a asma pode ser grave e potencialmente fatal.

Os níveis de gravidade da asma são determinados em função da frequência, intensidade dos sintomas e necessidade de toma de fármacos, variando entre 1 e 4: intermitente (1), persistente ligeira (2), persistente moderada (3) e persistente grave (4).

No que diz respeito à asma de grau 1, os sintomas manisfestam-se menos de uma vez por semana ou o doente acorda devido a estes, menos de duas vezes por mês. Porém, durante os intervalos permanece assintomático.

Já na asma de grau 2, os sintomas manifestam-se mais de duas vezes por semana, mas menos de uma vez por dia. O asmático acorda mais de duas vezes por mês vítima dos sintomas.

Quando o doente sofre da asma de grau 3, necessita de tomar diariamente antagonistas beta-2, pois a manifestação dos sintomas é diária. Na asma de grau 4, os sintomas são permanentes e a actividade do doente limitada.

Relativamente às crises, estas variam entre ligeiras, moderadas, graves e com paragem respiratória. Porém, todas se tornam assustadoras para o doente, devido à sensação de falta de ar.

É por isso essencial, que se tomem todas as medidas necessárias para que os asmáticos sejam instruídos no sentido de aprenderem a controlar a sua doença. Não nos podemos esquecer que a asma, para além de despoletar os sintomas físicos supra mencionados, também desencadeia factores emocionais. A sensação de falta de ar e o receio de morrer, levam a uma crescente ansiedade que agrava perigosamente as crises, pois provoca a constrição dos músculos que envolvem as vias respiratórias.

Segundo estimativas internacionais, cerca de 150 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de asma, atingindo 10% da população infantil e 5% da população adulta. A sua tendência e prevalência tem vindo a crescer – por exemplo, entre 1980 e 1994, a sua prevalência aumentou 75%. As taxas de asma nas crianças com menos de 5 anos aumentaram mais de 160%, durante o mesmo período –, sendo considerada como um problema de saúde pública, responsável, a nível mundial, por cerca de 100.000 mortes evitáveis.

Conscientes da gravidade e da dimensão desta doença, o National Heart, Lung and Blood Institute e a Organização Mundial de Saúde uniram esforços e organizaram uma reunião, na qual elaboraram um plano para melhorar o tratamento e a prevenção da asma, o GINA – Global Initiative for Asthma.

Os quatro objectivos do plano mundial para a asma são: "reforçar a perspectiva da asma como um problema de Saúde Pública mundial; apresentar as principais recomendações para o diagnóstico e tratamento da mesma. Em função das recomendações, delinear estratégias e adaptá-las às variadas necessidades de saúde, serviços e recursos, e identificar áreas para futura investigação com particular relevância para a comunidade."

Desta reunião resultaram também o Asthma Management and Prevention – A Practical Guide for Public Health Officials and Health Care Professional (Abordagem e Prevenção da Asma – Guia prático para os Profissionais de Saúde e de Saúde Pública), o Pocket Guide for Asthma Management and Prevention (Guia de bolso para o Tratamento e Prevenção da Asma) e o What you and your Family can do about Asthma (O que você e a sua Família podem fazer pela Asma).

Em Portugal, a asma afecta cerca de um milhão de portugueses. Baseado no programa GINA e com o objectivo de melhorar a eficácia e a eficiência da prestação de serviços, foi criado o Programa Nacional de Controlo da Asma, através do despacho ministerial nº 6.536/99, de 1 de Abril. O plano traçou como principais objectivos a atingir em 2007 a redução do número de internamentos, do absentismo escolar e laboral e aumentar o número de pessoas asmáticas capazes de autocontrolarem a doença.

asma

O Dia Mundial da Asma é assinalado, todos os anos, desde 1998, na primeira terça-feira do mês de Maio, altura em que o GINA e o European Respiratory Society o organizaram pela primeira vez, sobre o tema "Ajudem as nossas crianças a respirar". Este ano, as actividades, subordinadas ao tema "As necessidades não satisfeitas no tratamento da asma", realizaram-se a 2 de Maio.

O Comité Executivo do GINA decidiu dar continuidade ao tema iniciado no passado ano; porém, este ano a ênfase recaíu no facto de as necessidades não satisfeitas no tratamento da asma levarem a um controlo da doença mais difícil.

Neste âmbito, a Associação Portuguesa de Asmáticos (APA), a Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), a Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) e a Associação Nacional de Farmácias (ANF) reuniram mais de 200 pessoas que sofrem da doença à quais foi feito um Teste de Controlo de Asma.

Segundo a ANF, esta campanha foi "o ponto de partida para um plano de intervenção dirigido aos asmáticos e respectivas famílias, visando conferir-lhes competências e capacidades que lhes permitam controlar a doença". O teste utilizado pode ser facilmente adquirido nas Farmácias, nos Centros de Saúde ou na APA.

Já há muito que a SPAIC e a SPP organizaram um grupo de trabalho para divulgar o GINA e reduzir a mortalidade e morbilidade dos doentes. Segundo especialistas internacionais, o fardo da asma nos indivíduos, nas suas famílias e na economia dos países é maior do que deveria ser, se mais medidas de controlo fossem tomadas.

Ver mais:
ASMA
RESPIRAÇÃO, ALERTA AMARELO!


ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
14 de Dezembro de 2019

Referências Externas:

Relacionados

SARAMPO - O regresso!

Tudo começa com febre, conjuntivite, nariz a pingar e tosse. A seguir, chegam uns pequenos pontos brancos na boca, e uns dias depois, para piorar a situação, o corpo enche-se de borbulhas – primeiro n...

Destaques

HERPES

O nome da doença não disfarça os seus efeitos! Com origem no termo grego “herpein”, que significa “alastrar” ou “rastejar”, herpes é a palavra usada para designar uma doença viral da pele, altamente c...
0 Comentários