EFEITOS DO AR CONDICIONADO NA SAÚDE

EFEITOS DO AR CONDICIONADO NA SAÚDE

SOCIEDADE E SAÚDE

  Tupam Editores

0

Refresca o ambiente no verão e aquece no inverno. São rápidos e eficientes na função para que foram construídos e a sua manutenção é relativamente fácil e económica, sendo por isso cada vez mais comum ter ar condicionado em casa. Além disso, substitui com vantagem vários aparelhos normalmente utilizados nas variações de temperatura, como ventoinhas, aquecedores, desumidificadores e lareiras de vários tipos, uma infinidade de equipamentos que podem ser substituídos por apenas um.

No entanto, na hora de tomar a decisão de compra, surgem sempre muitas dúvidas, não somente no que se refere aos custos de instalação e de consumo energético, mas sobretudo sobre os efeitos do ar-condicionado na saúde quando usados de forma continuada, receio que é partilhado por uma boa parte da população. Será que se trata de um mito ou serão realmente prejudiciais à saúde?

De entre alguns mitos e verdades sobre o tema, destaque-se que para refrescar determinada área fechada, o aparelho de ar-condicionado seca o ambiente por forma a tornar o ar gelado, podendo por isso afetar as pessoas que sofrem de doenças respiratórias.

Os níveis de humidade muito baixos irritam as vias aéreas superiores, pelo que as pessoas portadoras de asma e bronquite crónica, por exemplo, podem ficar expostas a alguma crise, uma vez que ambas são doenças caraterizadas pela inflamação desses órgãos respiratórios. Para ultrapassar a situação, é habitualmente recomendada a utilização de toalhitas molhadas para humedecer as narinas e a colocação de uma vasilha com água no local.

Um outro fator a ter em conta é a transição entre ambientes com ar quente e frio, que exige igualmente alguma atenção, pois pode causar idêntico problema, sendo por isso aconselhável manter a temperatura interior, não demasiado baixa ou elevada, por forma a evitar o choque térmico na passagem para ambiente exterior.

Acresce que, se os aparelhos do sistema instalado não forem sujeitos a manutenção regularmente, podem desencadear diversos problemas e contaminar o ambiente doméstico, pois é sabido que a humidade tende a acumular-se nas condutas de circulação do ar, originando o desenvolvimento de bactérias, algumas delas perigosas.

Além disso, os filtros de ar tendem também a acumular sujidade, como poeiras, pólenes e fungos que podem infiltrar-se em casa e originar ataques de asma, rinite, irritação nos olhos, garganta e nariz, afetando de um modo geral todos os órgãos do sistema respiratório.

Os médicos, pediatras e pneumologistas em particular, recomendam que a exposição de crianças muito pequenas ao ar condicionado, deve ser moderada, uma vez que o seu organismo, ainda em formação, é muito sensível. Refira-se que dormir com o ar-condicionado ligado só é prejudicial para quem já apresenta sensibilidade em órgãos respiratórios e não para as pessoas saudáveis.

O mito de que o ar-condicionado transmite doenças respiratórias não passa disso mesmo, um mito! O risco de utilização deriva somente falta de limpeza adequada dos equipamentos. A acumulação de sujidade nos filtros e a humidade nas tubagens pode gerar um quadro de doenças respiratórias, embora os casos sejam muito raros.

Preventivamente, é por isso muito importante que a higienização dos aparelhos seja feita regularmente por forma a mantê-los bem limpos, a fim de se evitar “um conjunto de doenças causadas ou estimuladas pela poluição do ar em espaços fechados”, conforme é definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ar-condicionado na pandemia

No atual contexto pandémico, a Direção-Geral da Saúde (DGS), a par de outras entidades, procedeu à atualização das orientações sobre climatização dos espaços, referindo que o risco de utilização de sistemas de aquecimento, ventilação e ar-condicionado para a saúde é considerado muito baixo, “desde que se cumpram as regras para uma utilização segura, nomeadamente a sua manutenção, de acordo com as indicações do fabricante, e a renovação do ar dos espaços fechados”.

A DGS segue assim as orientações da OMS e do Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC), tendo vindo a acompanhar de perto a evolução do conhecimento científico desde o aparecimento dos primeiros casos de covid-19. Na opinião dos especialistas daquelas organizações internacionais, as vias de transmissão do novo coronavírus ocorrem maioritariamente através de secreções, gotículas e dos contactos próximos com pessoas infetadas, não excluindo, contudo, a possibilidade de contágio por aerossóis.

Vantagens do ar-condicionado

Um estudo realizado em finais de 2018 na Universidade de Harvard, EUA, revelou que os alunos que viviam em dormitórios sem ar-condicionado durante os meses quentes do verão, obtiveram resultados piores nos testes cognitivos do que os que tinham acesso ao sistema de ar-condicionado central, isto é, o ar fresco ajuda a pensar.

Além do óbvio conforto proporcionado por um ambiente com temperatura estabilizada entre 20 e 24 graus centígrados (ISO 9241 recomendada), considerada a temperatura ideal para trabalhar, e mantendo uma humidade relativa não inferior a 40%, o ar-condicionado pode também funcionar como salva-vidas durante as épocas, cada vez mais frequentes, em que ocorrem ondas de calor, elevando o risco de exaustão como tonturas, náuseas, cãibras e sensação de desmaio, podendo inclusive provocar insolação, caso a temperatura continue a subir.

Com uma população cada vez mais exigente em termos de conforto e qualidade de vida, o ar condicionado tornou-se hoje num equipamento imprescindível em nossas casas. Vários especialistas referem que dormir num quarto com a temperatura e o grau de humidade recomendados, é o ideal para um melhor descanso, dado que durante o ciclo natural do sono o corpo esfria, harmonizando-se com a temperatura criada pelo ar-condicionado no espaço onde se dorme.

Os aparelhos de ar-condicionado modernos, com alta tecnologia incorporada, como filtros de ar de alta eficiência e carvão ativado, além de filtrarem o ar e do conforto que proporcionam, purificam o ambiente, mantendo o ar limpo durante mais tempo e oferecem proteção antialérgica, além de eliminarem o mofo derivado de ambientes húmidos, sendo por isso uma opção saudável, dada a sua multifuncionalidade.

UMA HOMENAGEM AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

SOCIEDADE E SAÚDE

UMA HOMENAGEM AO DIA INTERNACIONAL DA MULHER

O Dia Internacional da Mulher, data dedicada à celebração das conquistas e contribuições das mulheres ao longo da história, bem como à consciencialização sobre as desigualdades de género e à promoção...
PRÉMIO NOBEL DE MEDICINA 2023

SOCIEDADE E SAÚDE

PRÉMIO NOBEL DE MEDICINA 2023

Em cerimónia realizada a 2 de outubro no Instituto Karolinska, na Suécia, o porta-voz do Comité do Prémio Nobel revelou que Katalin Karikó e Drew Weissman eram os galardoados com o Prémio Nobel de Fis...
SABE O QUE É A COENZIMA Q10?

MEDICINA E MEDICAMENTOS

SABE O QUE É A COENZIMA Q10?

A coenzima Q10 é uma benzoquinona presente em praticamente todas as células do organismo humano, que participa nos processos de produção de ATP (trifosfato de adenosina).
O CONSUMO DE SAL E A HIPERTENSÃO

DIETA E NUTRIÇÃO

O CONSUMO DE SAL E A HIPERTENSÃO

Popularmente conhecido como sal de cozinha ou simplesmente por sal, o cloreto de sódio é um elemento essencial para a vida animal, sendo igualmente um importante conservante de alimentos e um dos cond...
0 Comentários