Aptidão física é melhor preditor para avaliar longevidade de idosos

  Tupam Editores

Um novo estudo sugere que, nos idosos, a avaliação da aptidão física pode oferecer uma previsão mais exata sobre a sobrevida de pessoas mais velhas do que os marcadores tradicionais, como a hipertensão arterial, colesterol elevado, diabetes e tabagismo.

O estudo incluiu mais de 6 500 pessoas, com 70 anos de idade ou mais, que realizaram um teste de esforço entre 1991 e 2009. O teste mediu a sua aptidão através de um teste realizado na passadeira.

Após o teste, os participantes foram acompanhados por uma média de pouco menos de dez anos. Durante o seguimento, 39 por cento dos participantes morreram.

Os pesquisadores descobriram que as pessoas que estavam mais em forma eram duas vezes mais propensas a estarem vivas uma década depois do que as que se encontravam em pior condição física.

Idoso-alongamentos

Surpreendentemente, o número de fatores de risco de doença cardíaca não foi associado com a probabilidade de morte.

Participantes sem fatores de risco tiveram aproximadamente a mesma probabilidade de morrer do que aqueles com três ou mais fatores de risco, de acordo com o estudo, embora os investigadores tenham encontrado apenas uma associação entre a aptidão e a expetativa de vida.

Esta descoberta enfatiza a importância de estar em forma, mesmo quando se é mais velho.

O estudo foi apresentado no dia 16 de março na reunião anual do American College of Cardiology (ACC), em Nova Orleães, nos Estados Unidos.

ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
11 de Junho de 2019

Referências Externas:

Relacionados

Destaques

MENOPAUSA

A forma como homens e mulheres lidam com os primeiros sinais de envelhecimento difere. No entanto, são cada vez mais as pessoas que encaram com naturalidade a nova fase da vida, desfrutando em pleno...

VACINAÇÃO

Um dos maiores trunfos da ciência foi a imunização em larga escala da população, aventura que teve início há mais de mil anos.
0 Comentários