FARMÁCIA

Farmácias querem integrar plano de vacinação contra COVID-19

Numa carta conjunta, a Ordem dos Farmacêuticos, a Associação de Farmácias de Portugal (AFP) e a Associação Nacional de Farmácias (ANF) mostra a sua disponibilidade para integrar o plano de vacinação contra a COVID-19 e contribuir “para a vacinação dos portugueses no mais curto espaço de tempo que as circunstâncias exigem”.

Farmácias querem integrar plano de vacinação contra COVID-19

As três organizações garantem que os “farmacêuticos estão cientificamente preparados para vacinar”, sublinhando que há mais de 12 anos que, nas farmácias portuguesas, o fazem, “administrando anualmente mais de um milhão de vacinas e injetáveis”, garantindo “proximidade, segurança, conveniência, conforto e humanismo”.

Atendendo que a vacina contra a COVID-19 “é uma conquista importante na inovação terapêutica contra a pandemia, para a qual muitos Farmacêuticos contribuíram”, estes profissionais querem “continuar a contribuir para que chegue a quem dela precisa de forma segura e rápida”.

“Devemos tirar conclusões da recente vacinação contra a gripe. Aproveitar para planear e organizar melhor, contando com a competência dos Farmacêuticos e das Farmácias”, apelam reforçando o seu papel no que diz respeito à distribuição e armazenamento de medicamentos.

“Os Farmacêuticos lideram com absoluta competência o processo de distribuição e armazenamento de medicamentos, que no caso da vacinação COVID-19 implica condições especiais de frio e segurança, bem como uma infraestrutura adequada para garantir a administração, em alguns casos de duas doses, num curto espaço de tempo”.

Para tal pedem que se siga o exemplo do que está a ser feito noutros países “como o Reino Unidos, os Estados Unidos, a Irlanda, o Canadá e a Austrália, que já integraram ou estão em processo de integração dos Farmacêuticos comunitários no Plano de Vacinação COVID-19, através das suas redes nacionais de Farmácias”.

“Seria incompreensível que Portugal, tendo uma das melhores redes de Farmácias da Europa, com três farmacêuticos, em média, por farmácia, com mais de 5 000 farmacêuticos habilitados para administrar a vacina, não utilizasse esta capacidade instalada para executar o Plano de Vacinação COVID-19. Incompreensível essencialmente para os Portugueses”, afirmam.

Por isso, reiteram a sua posição: “estamos disponíveis, estamos juntos para trabalhar em mais esta linha da frente contra a pandemia”.

“Cabe a quem coordena esta complexa operação no Ministério da Saúde fazer esta opção”, escrevem reforçando o desejo de “estar do lado certo da história, garantindo a nossa disponibilidade, de Norte a Sul, nas aldeias do Litoral e do Interior, nas Regiões Autónomas, junto daqueles que são a nossa razão de ser: os Portugueses”.

Fonte: Ordem dos Farmacêuticos

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS