MEDITAÇÃO - Para uma vida mais Zen

100


MEDITAÇÃO - Para uma vida mais Zen

  Tupam Editores

O ritmo de vida é cada vez mais frenético, as exigências a nível profissional e pessoal tendem a aumentar e as 24 horas do dia não são suficientes para cumprir tantas obrigações. Ter um momento para si é, para a maior parte das pessoas, impossível.

Anda-se permanentemente atarefado, com pressa, a pensar no próximo teste, no jantar das crianças, na próxima reunião, no amanhã, e até na próxima vida. A consequência? Deixamos de viver o agora!

A ansiedade e o stress tomam, diariamente, conta de cada um de nós. É, por isso, natural que procuremos cada vez mais formas de lidar com estas situações, como a meditação, por exemplo. Sabe de que se trata?

Talvez ache, como a maior parte das pessoas, que meditar é “não pensar em nada”. Acontece que “não pensar em nada” é muito difícil, pois a natureza da mente é pensar. Na meditação não deixa de se pensar, o que acontece é que a mente acalma, havendo um intervalo maior entre um pensamento e outro.

A palavra meditação deriva do latim meditare, que significa voltar-se para o centro e desligar-se do mundo externo. É, principalmente, uma prática de concentração e autoconhecimento, um conjunto de técnicas para treinar a mente. Estas técnicas podem ser praticadas sozinho ou em grupo e visam alcançar um estado pleno para o corpo, mente ou ambos.

E não pense que é “coisa de adultos”, pois as crianças não têm preocupações, responsabilidades, ou obrigações. As coisas não são bem assim: questões como o bullying, os problemas familiares, o stress causado pelo excesso de atividades, o uso excessivo de brinquedos eletrónicos e tecnologia e a exigência de resultados na escola estão a criar crianças tristes e ansiosas, com problemas de atenção, concentração, e comportamento – problemas que podem ser atenuados ou mesmo ultrapassados através da meditação.

Criança a meditar

Os seus benefícios são inquestionáveis para quem a pratica. A meditação permite alcançar o equilíbrio, aumentar o bem-estar e a qualidade de vida ao mesmo tempo que atua como coadjuvante em terapias físicas. Uma prática frequente trata e reduz o stress, a ansiedade e a depressão; reduz a pressão sanguínea; aumenta a circulação sanguínea e acalma os batimentos cardíacos; trata a insónia; combate dores físicas; ameniza problemas gastrintestinais; estimula a produção de serotonina e melhora o humor; fortalece o sistema imunológico; permite alcançar estabilidade emocional; estimula a criatividade; clareia os pensamentos; melhora o funcionamento do cérebro; melhora a forma de lidar com os problemas e ainda dá uma sensação de paz e bem-estar ao indivíduo.

Desengane-se se acha que é mais uma novidade, ou moda com os dias contados! Pelo contrário, é uma técnica milenar que surgiu na Ásia, com origem em religiões e crenças. Não pertence apenas a uma sociedade, mas deriva de muitas práticas antigas, o que a identifica com diversas variações e objetivos. Em função do objetivo, a técnica de meditação mais adequada varia.

Tipos de meditação

Existem muitos tipos de meditação, mais ainda se forem consideradas as formas tradicionais e as suas interpretações modernas. É importante escolher a que melhor se encaixa nas necessidades de cada um, já que em função da atividade física e mental se irá precisar de uma ou de outra.

Muitas vezes estão associados a correntes religioso-filosóficas como o budismo e o taoísmo, com uma multiplicidade de formas de manifestação, o que se reflete em diferentes tipos de meditação.

Meditação Budista
O próprio Buda recomendava aproximar-se da natureza para a meditação: sentar-se no solo sobre uma almofada ou num espaço tranquilo da natureza proporciona o ambiente perfeito para começar a meditar. O primeiro passo é alcançar um estado de máxima atenção e tranquilidade.

Meditação ao pé do mar

Ainda que existam vários tipos de meditação budista, todos coincidem quanto à técnica contemplativa, que tem como objetivo alcançar a verdadeira compreensão ou o nirvana (um estado de paz e tranquilidade).

Meditação Zen ou Zazen
Este tipo de meditação parte do princípio minimalista que possibilita a tranquilidade. Nas salas ou nos locais onde se pratica não há objetos, as paredes são neutras e reina acima de tudo o silêncio.

Para a meditação Zen a postura e a respiração são muito importantes. A coluna deve ficar reta enquanto se estiver sentado numa cadeira, numa almofada ou num banco. As mãos devem estar uma em cima da outra e as pernas, de preferência, cruzadas.

Pratica-se, então, uma respiração relaxada e natural. Mas não se iluda, ainda que possa parecer muito simples, a meditação zen é complexa de dominar, uma vez que implica um controle total sobre o corpo e sobre a mente.

Meditação transcendental
A meditação transcendental não está relacionada com crenças religiosas, não exige uma postura específica, um estado mental ou uma mantra (os sons sagrados da tradição budista, por exemplo a palavra OM). Trata-se simplesmente de manter a calma durante o período de tempo que dura, geralmente, 20 minutos. As pessoas que praticam este tipo de meditação costumam fazê-lo duas vezes por dia.

Meditação vipassana
Uma das mais antigas da Índia, esta técnica de meditação é considerada um processo de auto-purificação, e por isso exige uma concentração primeiro direcionada à respiração, para a seguir se focar no corpo, com o objetivo de entender as verdades universais da impermanência, o sofrimento e a ausência do ego.

Meditação taoísta
Na meditação taoísta o objetivo é empregar a energia chi, senti-la e trabalhar com ela. Normalmente a prática desta meditação passa por prestar atenção e sentir essa energia em todo o corpo.

Meditação guiada

Aula de meditação
É uma das formas mais modernas de meditação, podendo encontrar-se em centros especializados e até em redes sociais, aplicativos e plataformas como o Youtube ou Spotify. Aqui a premissa principal é, precisamente, a presença de um guia espiritual.

O guia ajuda a superar as dificuldades da meditação, sobretudo quando se está a iniciar essa caminhada.

Meditação Mindfulness
Na meditação mindfulness, ou Atenção Plena, todo o ênfase está na consciência. Trata-se de prestar atenção ao momento presente, sem ficar apegado ao passado ou sem se projetar no futuro. Na sua base, a mindfulness é um treino baseado na conexão mente-corpo, podendo ajudar a observar os padrões de pensamentos e emoções, as suas experiências – boas, neutras ou negativas.

Meditação ioga
Boa parte das práticas de ioga incluem meditação. Geralmente começam ou terminam com essa prática, que é um ótimo complemento para qualquer aula de ioga. Isto porque ela ajuda a encontrar um estado de tranquilidade muito benéfico para a prática das asanas (postura confortável e equilibrada).

Yoga - meditação

Independentemente do tipo, já está comprovado que a meditação tem a capacidade de transformar a vida da pessoa e fazer com que ela realmente descanse. Há inclusive estudos que afirmam que um período de práticas de meditação promove o relaxamento por tempo mais prolongado que o mesmo período de férias. Se não houvesse mais motivos, este já seria motivo suficiente para embarcar nesta aventura.

Passo a passo para começar a praticar

A meditação pode ser um desafio no início. O segredo é não desistir e fazer com que a prática seja parte do dia-a-dia. Vamos lá, então!

1º Passo – Escolher um bom local
O local ideal será aquele onde a pessoa consiga estar consigo mesma, onde não sofra interrupções e, principalmente, onde se sinta confortável. Se não for possível criar um cantinho para meditação em casa, pode ser um espaço dentro do próprio quarto, por exemplo. Velas, plantas e insensos são bem-vindos.

espaço para meditação

2º Passo – Determinar uma posição confortável
O segundo passo é definir uma posição realmente confortável para permanecer imóvel durante algum tempo. O ideal é estar sentado, logo, deve escolher uma almofada firme para ter mais estabilidade. A cama não é um bom lugar.

3º Passo – Garantir silêncio
Ainda que algumas pessoas se consigam concentrar com barulhos ao redor, o ideal é manter um ambiente silencioso. Tome um banho quente para relaxar e desligue telemóveis e outra tecnologia.

4º Passo – Concentre-se na respiração
Para afastar os pensamentos deve concentrar-se totalmente na respiração. Crie uma perceção da sua respiração, sinta o ar a entrar e sair dos pulmões, respirando de forma lenta. Este processo irá, aos poucos, conduzir a mente ao estado de meditação.

5º Passo – Mantenha o hábito de fazer os exercícios
A meditação é algo muito próprio de cada um, o importante é manter a prática e ir moldando-a conforme for evoluindo. Existem meditações não-guiadas e guiadas – os iniciantes até podem sentir-se mais confortáveis com a última opção.

Meditação budista

Também existem mantras que têm o poder de criar encantamentos e atrair as melhores vibrações, e até pode criar um mantra próprio.

6º Passo – Acalmar a mente
A meditação tem como principal objetivo silenciar e acalmar a mente. Com tantos estímulos externos acabamos por nos esquecer da possibilidade de nos desligarmos e entrar em contacto com o nosso mundo interior.

As primeiras tentativas de meditação deverão ser interrompidas por diversos pensamentos que virão à tona. Sempre que surjam na mente, deve retornar a atenção para o propósito inicial focando-se no momento, até porque os problemas estarão lá quando terminar a sessão e nessa altura estará em melhores condições para os resolver. Quanto mais vezes fizer este exercício, mais fácil será da próxima vez.

7º Passo – Voltar devagar
Assim que o período de meditação terminar, não se deve levantar rapidamente mas com calma. Abra lentamente os olhos e deixe a respiração voltar lentamente ao normal. Deixe a sensação de tranquilidade reinar por um momento, mesmo que tenha obrigações e tarefas a cumprir.

Após seguir todos os passos basta integrar a meditação na rotina diária. O ideal é começar a meditar durante 10 a 15 minutos por dia, e passar para os 30 minutos após um mês. Vai constatar que a prática regular é transformadora.

Meditação - mudra

O ser humano do século XXI vive num mundo abalado por crises. O auge das tecnologias mais diversas e a globalização inevitável estão a deixar-nos psicologicamente desalentados. Vivemos mais tempo, mas com muito mais velocidade e, a este ritmo, não é de admirar que fiquemos sem fôlego.

A meditação pode ser o caminho para sair do labirinto do mundo em que vivemos, em mudança e em crise permanente. Tão antiga como a humanidade, talvez seja a via que nos pode conduzir ao centro de nós próprios, o único lugar onde reina a verdadeira paz.

Aproveite essa paz e, acima de tudo, viva no momento presente, liberte-se do passado e não fique ansioso com o futuro!

ARTIGO

Relacionados

CHULÉ - Liberte-se dele!

Com origem no idioma romani, chulé é o termo popular comummente usado para designar a bromidrose, ou seja o suor com odor desagradável que ocorre normalmente nos pés e axilas, sendo que quando ocorre...

MEDICAMENTOS NA INTERNET - Regras e preocupações

Quando falamos de “medicamentos” referimo-nos a “toda a substância ou associação de substâncias apresentada como possuindo propriedades curativas ou preventivas de doenças em seres humanos ou dos seus...

Destaques

CONHECE O PODER DO SORRISO?

Dias cansativos, trabalho que nunca mais acaba, stress, correrias, casa para arrumar, filhos para acompanhar, contas para pagar, para além daqueles problemas ou situações mais negativas que, por vezes...

BIOTECNOLOGIA: A ALQUIMIA DOS TEMPOS MODERNOS

O toque de alvorada da indústria da biotecnologia soou quando se realizaram as primeiras experiências de splicing genético, isto é, a modificação da informação genética do DNA para o RNA após a transc...
0 Comentários