VIVA MAIS TEMPO, DÊ ABRAÇOS

VIVA MAIS TEMPO, DÊ ABRAÇOS

MENTE E RELACIONAMENTOS

  Tupam Editores

4

Quando foi a última vez que alguém lhe deu um abraço? Não me refiro a um daqueles abraços "falsos", um pouco forçados, do tipo saudação social, mas um verdadeiro abraço, sincero, terno e reconfortante? Espero que não tenha sido há muito tempo, porque um abraço pode fazer-nos sentir muito bem, além de contribuir para a nossa saúde e bem-estar. Na verdade, os abraços têm um poder incrível!

Numa sociedade onde "tempo é dinheiro", e se anda constantemente a correr de tarefa para tarefa, não deixa de ser curioso falar-se em abraços como forma de felicidade, saúde e bem-estar.

Jovens

Mas as provas científicas não deixam dúvidas: o abraço tem um verdadeiro poder de cura, não só para os problemas de ordem emocional – que cada vez são mais –, mas também para os problemas de ordem física. O fator de cura de um abraço é tão poderoso que ganhou até um nome – Terapia do abraço.

Trata-se de uma técnica terapêutica impulsionada pelo contacto físico, "pelo toque". É a prática de dar abraços como forma de tratamento e cura de doenças, ou ainda para a manutenção da saúde através dos múltiplos significados e da comunicação pelo abraço.

O próprio nome denuncia o objetivo, que pode ser curar um simples desalento, ou fazer com que alguém que esteja com uma doença realmente grave, se sinta fortalecido. Um abraço terno faz qualquer ser humano sentir-se melhor.

Dar e receber abraços é um contacto primitivo e uma forma de transmitir o que sentimos aos outros. Serve para expressar sentimentos e emoções, como carinho, apoio, alegria, cumplicidade, desejo, etc. e deveriam fazer mais parte da nossa vida quotidiana.

Se é daquelas pessoas que associa ternura a pieguice, fraqueza e vulnerabilidade, que geralmente hesita em abraçar alguém e que raramente deixa que o abracem, vai mudar de opinião quando descobrir os benefícios do abraço.

Benefícios dos abraços

"Precisamos de 4 abraços por dia para sobreviver. Precisamos de 8 abraços por dia para nos manter. Precisamos de 12 abraços por dia para crescer". Esta frase da famosa psicoterapeuta Virginia Satir resume o quanto os abraços são importantes no nosso dia-a-dia.

Fica-se mais feliz!

Dar ou receber um abraço é a forma mais simples de fazer com que o corpo liberte oxitocina, conhecida como a hormona do amor e da felicidade, responsável por aumentar sentimentos de apego, conexão, confiança e intimidade e ajudar a curar a solidão, o isolamento e até a raiva.

O abraço é processado pelo sistema nervoso como uma recompensa, e por isso tem um impacto importante na mente humana, fazendo com que se tenha uma sensação de felicidade e alegria.

Os abraços também estimulam a libertação de dopamina (a hormona do prazer) e de serotonina (a hormona do bem-estar), amplamente associada ao bom humor, e estimulam as áreas do cérebro aliadas à sensação de bem-estar, aumentando a autoestima. Por todas estas razões, os abraços podem inclusive ser importantes no tratamento da depressão.

Desenvolvem relacionamentos

Os abraços favorecem a comunicação afetiva e o desenvolvimento da empatia, e geram um sentimento de agradecimento. Oferecem conforto a quem esteja a passar por um momento ou situação difícil na vida e são uma boa forma para superar a solidão, pois oferecem um contacto físico que faz com que as pessoas se sintam protegidas, apoiadas e compreendidas.

Dessa forma, as relações fortalecem-se e adquirem níveis mais profundos, e relacionamentos positivos são fundamentais para trazer felicidade a todas as áreas da nossa vida.

Reduz a tensão arterial e relaxa os músculos Terapia Abraços

Quando se abraça alguém a hormona oxitocina dispara. Esta desempenha um papel fundamental na redução de cortisol, que faz descer a pressão arterial. Vários estudos revelaram que os abraços têm o poder de reduzir os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea, além de diminuir o risco de doenças cardíacas. Isto ocorre, pois a pele possui uma rede de centros de pressão que estão em contacto com o cérebro por meio de nervos ligados a vários órgãos, inclusive ao coração.

Ao promover a libertação de "hormonas boas" e reduzir a tensão arterial, o abraço também contribui para descontrair os músculos, ajudando a libertar e diminuir a tensão no corpo, deixando as pessoas mais calmas e relaxadas.

Reforça o sistema imunitário

A leve pressão no esterno e a descarga emocional estimulam a glândula timo, que regula e equilibra a produção de glóbulos brancos, contribuindo para a manutenção de altos níveis de imunidade.

Idosos abraço Abraços Promovem a saúde do cérebro e a memória

Quando a oxitocina é libertada na corrente sanguínea, aumenta o poder da memória, e estimula o sistema nervoso parassimpático, ajudando o cérebro a encontrar o equilíbrio entre a atividade e a serenidade.

Oferecem proteção e queimam calorias

O toque carinhoso de um abraço ajuda a criar uma sensação de segurança. Existem até evidências de que os abraços ajudam a reduzir as nossas preocupações e medos existenciais. Como se não fossem suficientes os benefícios já mencionados, os abraços ainda queimam calorias. Fica a saber que abraçar alguém queima cerca de 12 calorias.

Resumindo e concluindo, um abraço é saudável para quem dá e para quem recebe. Quanto mais abraços uma pessoa der e receber todos os dias, melhor. Não existe uma dose estipulada, como num medicamento. O ato de abraçar é uma terapia integral. E das poucas que não têm contraindicações.

É grátis, é portátil, não requer equipamento especial, torna os dias mais felizes, e viáveis os dias impossíveis, e continua a gerar benefícios, mesmo depois de desfeito. E ainda pode escolher o tipo de abraço que quer dar... porque até existem vários tipos.

Tipos de abraço e seus significados

Vivemos num mundo de sinais subtis, cuja decodificação é sempre interessante e altamente reveladora. Mesmo algo tão simples, como a forma como uma pessoa caminha, pode dizer muito sobre a sua personalidade. Contudo, um dos conjuntos de sinais mais intrigantes são os diferentes tipos de abraços que damos.

Cada pessoa tem uma forma de abraçar, que reflete as características da sua personalidade e até o tipo de carinho que recebeu na infância. Mas, mais do que um gesto de carinho e compaixão, o abraço é uma forma de comunicação não-verbal. Existem vários tipos de abraço:

Num abraço padrão, ou superficial, o sentimento é o apreço ou a cordialidade formal. É mais apropriado para conhecidos novos ou colegas de profissão, ou em situações que requeiram uma certa formalidade. Por oferecer pouca ameaça, é confortável para pessoas tímidas.

O abraço de urso é o abraço que prende os braços da outra pessoa, que aperta e deixa a outra pessoa imobilizada, às vezes até sem ar. Geralmente é dado para demonstrar grande carinho e afeto por alguém.

O abraço sanduíche é adequado para pessoas que estão a passar por um período difícil e necessitam de um apoio extra. É um abraço oportuno para três bons amigos; um casal que pretenda consolar alguém, ou para dois pais e uma criança. A pessoa que fica no meio tem uma sensação de proteção, e de segurança.

Abraço de amigos abraço Abraços

O abraço de grupo é muito popular entre amigos que estejam a compartilhar uma atividade ou projeto. Transmite sentimento de apoio, segurança e afeição, o que confere muitas vezes a sensação de unidade e de confiança mútua.

O abraço relâmpago detém o recorde da rapidez. Uma pessoa corre na direção de outra e lança-lhe os braços em volta, dá um rápido apertão antes de largá-la e afasta-se. Quem é abraçado desta maneira precisa de estar com atenção para tirar o máximo prazer deste abraço. Os sentimentos variam com a situação, mas com frequência este tipo de abraço é acompanhado por um senso de carinhosa perturbação, porque um ou ambos os parceiros são empurrados. Acaba por existir também um sentimento de surpresa pois quem recebe este tipo de abraço não está à espera que aconteça.

O abraço pelas costas é perfeito para momentos de brincadeira – o sentimento é de felicidade e apoio –, e o abraço de lado é bom para quem está a caminhar acompanhado. É mais indicado para os apaixonados, e torna o momento único e agradável.

O sentimento de um abraço de amor entre um homem e uma mulher é de confiança e cumplicidade e transmite uma mensagem de "estou aqui para o que der e vier".

Mas a forma mais elevada de abraçar é o abraço do fundo do coração. Neste abraço o sentimento de compaixão flui de um coração para o outro, dá apoio e força. É desarmado e sincero, cheio de cuidados e delicado. Este abraço reconhece o lugar mais interior de cada um de nós. É comum nos amigos de longa data, com uma velha história de caminhos que se cruzam; nos melhores amigos, mas também nos amigos mais recentes, que ficaram ligados por uma experiência e emoções comuns.

O abraço é um dos gestos de afeto mais intensos. Somos infinitamente mais felizes quando recebemos de cada relação afetiva a quantidade certa de abraços, beijos e outros gestos de afeto. Precisamos, aliás, que nos toquem para nos desenvolvermos física e emocionalmente, de forma saudável.

Um simples abraço pode tornar mais saudável quem já é saudável, e mais feliz quem já é feliz. Por isso, não economize! Abrace e seja feliz!

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
01 de Setembro de 2020

Referências Externas:

Música pode reduzir stress antes de cirurgia

MENTE E RELACIONAMENTOS

Música pode reduzir stress antes de cirurgia

Muitos pacientes estão ansiosos antes da cirurgia e têm níveis aumentados de hormonas do stress, o que pode afetar a recuperação após a cirurgia. Geralmente, estes pacientes recebem medicamentos com b...
VEGETARIANISMO

DIETA E NUTRIÇÃO

VEGETARIANISMO

A opção pelas dietas vegetarianas, com as suas vantagens e desvantagens, continua a gerar debate na sociedade e está longe de alcançar consenso.
ANTIÁCIDOS - Uso e abuso!

MEDICINA E MEDICAMENTOS

ANTIÁCIDOS - Uso e abuso!

A azia é um problema comum, em geral devido à ingestão ou excesso de determinados alimentos que a potenciam, sendo o recurso aos antiácidos a fórmula mais usada para tratar ou prevenir este problema.
0 Comentários