Diagnóstico precoce poderia evitar 60% dos casos de perda de visão

100


Diagnóstico precoce poderia evitar 60% dos casos de perda de visão

  Tupam Editores

Um estudo realizado pela Universidade Nova de Lisboa revela que dos mais de dois milhões de portugueses com algum tipo de deficiência visual, “dois terços dos casos de perda de visão depois dos 50 anos seriam evitáveis quando diagnosticados a tempo”.

O estudo indica ainda que o “tempo médio de acesso a uma consulta de oftalmologia no Serviço Nacional de Saúde (SNS) ronda os seis meses”.

“Em Portugal, muitas pessoas mais velhas vivem com perda de visão evitável, causadas por erro de refração e catarata. Ambas as condições podiam ser diagnosticadas atempadamente por um simples exame ocular, realizado pelo optometrista. No entanto, no nosso país, ainda não existem cuidados de saúde primários, ao nível do SNS, acessíveis a toda a população”, refere Raúl Sousa, presidente da Associação de Profissionais Licenciados de Optometria (APLO).

De acordo com os dados recolhidos pelos investigadores da Universidade Nova, “as perdas associadas à cegueira variam entre 74 e 185 milhões de euros. Por sua vez, a redução de produtividade associada à perda moderada e grave da visão varia entre 130 e os 555 milhões de euros”.

Exame ocular

Mais de dois milhões de portugueses são atingidos por dificuldades em ver, sendo as mulheres mais afetadas (27,5 por cento) que os homens.

A percentagem de pessoas com dificuldades em ver aumenta com a idade: cerca de nove por cento até aos 34 anos, 14 por cento entre 35 e 44 anos, 30 a 32 por cento entre os 45 e 74 anos, e superior a 40 por cento para idades mais avançadas.

Estima-se que entre os adultos com mais de 50 anos, cerca de 42 mil sofram de cegueira e mais de 260 mil sofram de perda da visão moderada e grave na população.

As conclusões são do estudo “Saúde da Visão – Impacto Socioeconómico”, conduzido pela Universidade Nova de Lisboa.

ARTIGO

Relacionados

Seborreia - Saiba como controlar o problema!

A DS, ou eczema seborreico, é uma alteração crónica, não contagiosa e recorrente, em que ocorre inflamação nas áreas da pele onde existe um maior número de glândulas sebáceas. Caracteriza-se por placa...

ARTRITES - Viver sem dores articulares

Com origem nos étimos gregos árthron (articulação) e ite (inflamação), a palavra artrite é utilizada para designar uma inflamação nas articulações independentemente da sua etiologia. Confundida por ve...

Destaques

CHÁ - Um prazer a qualquer hora!

Os ingleses bebem-no às cinco, em Portugal bebe-se a qualquer hora. Com ou sem cerimónias, a fumegar, frio ou gelado, existe um chá para todas as ocasiões e para clarear todas as situações. É pretexto...
0 Comentários