SONO

Sestas de mais de 60 minutos podem ser prejudiciais

Um novo estudo acredita que sestas com uma duração maior do que 60 minutos podem ser prejudiciais para a saúde das pessoas; pesquisas anteriores sobre a ligação entre sestas diurnas e morte ou doenças cardiovasculares produziram resultados conflituantes, além disso, não tiveram em consideração a duração do sono noturno.

Sestas de mais de 60 minutos podem ser prejudiciais

Apresentado no ESC Congress 2020, este estudo reuniu todas as evidências disponíveis para avaliar a relação entre sestas e os riscos de todas as causas de morte e doenças cardiovasculares. Um total de 313 651 participantes, e mais de 20 estudos, foram incluídos na análise.

Cerca de 39 por cento dos participantes do estudo afirmaram dormir sestas diurnas.

A análise descobriu que sestas longas, com uma duração maior do que 60 minutos, estavam associados a um risco 30 por cento maior de morte por todas as causas e uma probabilidade 34 por cento maior de desenvolver doenças cardiovasculares, em comparação com pessoas que não faziam sestas.

Quando o sono noturno foi levado em consideração, as sestas longas foram associadas a um risco elevado de morte apenas para pessoas que dormiam mais de seis horas por noite.

No geral, sestas de qualquer duração foram associadas a um risco elevado de morte de 19 por cento.

A associação foi mais pronunciada em mulheres, que tiveram uma probabilidade 22 por cento maior de morte, e em participantes mais velhos, cujo risco aumentou 17 por cento.

Sestas curtas, com uma duração menor do que 60 minutos, não mostraram qualquer ligação com eventuais doenças cardiovasculares.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS