DIABETES

Diabéticos enfrentam risco de complicações com o COVID-19

A Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP) informa que as pessoas com diabetes enfrentam um grande risco de complicações quando lidam com infeções virais como a gripe e o mesmo acontece com o COVID-19 (coronavírus).

Diabéticos enfrentam risco de complicações com o COVID-19

Para esclarecer as principais medidas de prevenção da infeção por coronavírus foi criado um guia prático para pessoas com diabetes e seus cuidadores.

“A população idosa, assim como pessoas com outras patologias cardiovasculares, diabetes, doenças respiratórias crónicas, hipertensão e cancro, estão mais vulneráveis ao COVID-19. É importante tranquilizar as pessoas com diabetes e seus cuidadores e esclarecer como pode ser prevenida esta doença infeciosa”, refere José Manuel Boavida, presidente da APDP, e reforça que “Os sintomas do COVID-19 são semelhantes aos sintomas da gripe. Incluem febre, tosse, falta de ar e cansaço. Assim, o impacto do coronavírus numa pessoa com diabetes é, também, igual ao da gripe, isto é, afeta a compensação da diabetes.”

À semelhança de outras situações, as pessoas com diabetes devem ter em casa medicação para a diabetes em quantidade suficiente para um mês, assim como material de autovigilância da diabetes e toda a medicação que toma habitualmente para outras condições. É ainda conveniente ter medicação para a febre, necessitando de uma maior vigilância e controlo.

“Procuramos sempre a melhor abordagem, decisões estratégias adequadas e perspetivação de informações que permitam uma maior vigilância e controlo da diabetes” afirma José Manuel Boavida, presidente da APDP. “Afinal, existem três milhões de pessoas com diabetes ou pré-diabetes, o que representa 40% da população portuguesa, é crucial reforçar as mensagens partilhadas pela Direção Geral de Saúde”, conclui.

As medidas recomendadas para pessoas com diabetes são iguais às partilhadas com a população em geral e é crucial o indivíduo manter-se hidratado, controlar a sua glicemia, controlar a sua temperatura corporal, seguir as recomendações da equipa de saúde e, em caso de diabetes tipo 1, controlar os corpos cetónicos.

A APDP conta ainda com uma linha de apoio que funciona aos feriados e fins de semana e que se destina a todos os utentes da associação.

Fonte: Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP)

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS