SARAMPO

Registados quase quatro mil casos de sarampo na Europa

Nos primeiros três meses do ano, registaram-se quase quatro mil caso de sarampo na Europa, de acordo Centro Europeu do Controlo de Doenças (ECDC).

Registados quase quatro mil casos de sarampo na Europa

Entre 1 de abril de 2018 e 31 de março de 2019 foram registados mais de 11 mil casos da doença em cerca de 30 países europeus. Destes, 3 790 casos dizem respeito aos primeiros três meses deste ano. 

Itália, França, Roménia, Grécia e Reino Unido surgem como os cinco países com maior número de casos no último ano analisado.

No que diz respeito ao primeiro trimestre deste ano, alguns países continuam a registar uma tendência crescente de infeção, sendo a França, Lituânia, Polónia e Bulgária os países que registam maiores aumentos.

Todos os países analisados pelo ECDC reportaram casos de sarampo entre abril de 2018 e abril deste ano, incluindo Portugal, com um total de 68 casos, 60 deles confirmados laboratorialmente.

No caso português, a grande maioria dos casos diz respeito aos três surtos verificados no final do ano passado, que, entretanto, a Direção-Geral da Saúde (DGS) já declarou como extintos.

Portugal surge assim como um dos países com mais reduzido número de casos por milhão de habitantes (6,6), ao contrário de países como França, Itália ou Luxemburgo, todos com mais de 30 casos por milhão de habitantes e também longe da média dos 30 países, com uma taxa de 22 casos por milhão de habitantes.

Dos 11 mil casos notificados num ano, 30 por cento ocorreram em crianças com menos de cinco anos e 53 por cento em crianças com mais de 15 anos.

A maior taxa de notificação aconteceu em crianças com menos de um ano (255 casos por milhão) e entre os 12 meses e os quatro anos (95,8 casos por milhão).

A vacina do sarampo, principal forma de prevenção da doença, é dada geralmente aos 12 meses. O Programa Nacional da Vacinação em Portugal estabelece que a primeira dose da vacina deve ser dada aos 12 meses e a segunda aos cinco anos.

De acordo com a DGD, 14 por cento das crianças com 13 meses não estavam em 2018 protegidas contra o sarampo.

No caso europeu, dos 9 300 casos com idade e estado vacinal conhecidos, quase 76 por cento não estavam vacinados, 14 por cento apenas tinham uma dose da vacina, nove por cento duas ou mais doses e um por cento um número indeterminado de tomas.

Em pessoas vacinadas, a doença apresenta um quadro clínico que as autoridades de saúde descrevem como “mais ligeiro e com muito baixa probabilidade de contágio (conhecida como sarampo modificado)”.

A forma clássica surge em pessoas não vacinadas e caracteriza-se por um quadro clínico que pode ser grave, podendo ter complicações e até levar à morte.

Fonte: Público

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS