GASTROENTEROLOGIA

Alimentos processados e açúcar ligados a inflamação do microbioma

Uma alta ingestão de produtos de origem animal, alimentos processados, álcool e açúcar foi ligada a um microbioma intestinal associado a processos inflamatórios, de acordo com uma pesquisa publicada na revista Gut.

Alimentos processados e açúcar ligados a inflamação do microbioma
MICROBIOTA INTESTINAL - Fundamental para a boa saúde do organismo

BELEZA E BEM-ESTAR

MICROBIOTA INTESTINAL - Fundamental para a boa saúde do organismo

Por outro lado, uma dieta rica em alimentos vegetais foi associada à existência de micróbios intestinais que têm o efeito oposto, o que levou os cientistas a sugerir que modificações dietéticas podem ajudar a aliviar a inflamação no organismo.

Para descobrir de que forma os alimentos e padrões dietéticos específicos podem afetar a composição do microbioma intestinal e, consequentemente, as respostas inflamatórias no intestino, os cientistas analisaram a interação entre uma dieta normal, micróbios intestinais e inflamação intestinal em 1 425 pessoas com doença inflamatória intestinal, 223 com síndrome do intestino irritável e 871 pessoas com um intestino considerado normal.

Todos os participantes forneceram uma amostra de fezes para análise microbiana e preencheram um questionário para quantificar a ingestão diária média de nutrientes. A análise dos dados revelou 38 associações entre a ingestão alimentar e grupos bacterianos específicos.

Além do mais, 61 alimentos e nutrientes individuais foram associados a 61 espécies de bactérias e 249 processos metabólicos em todos os participantes do estudo.

Alimentos processados ​​e alimentos de origem animal foram consistentemente associados a um maior volume relativo de espécies bacterianas “oportunistas”, incluindo certas bactérias pertencentes aos grupos Firmicutes e Ruminococcus sp, e envolveram atividade pró-inflamatória. Alimentos vegetais e peixes, por outro lado, foram associados a espécies bacterianas benéficas envolvidas na atividade anti-inflamatória.

A ingestão de nozes, peixes gordos, frutas, vegetais e cereais foi associada a uma maior abundância de bactérias produtoras de ácidos gordos de cadeia curta, que ajudam a controlar a inflamação e proteger a integridade das células que revestem o intestino. O vinho tinto foi similarmente associado a uma maior abundância de várias bactérias produtoras de ácidos gordos de cadeia curta.

Fonte: Eurekalert

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS