CARDIOLOGIA

COVID-19 pode causar problemas cardíacos para a vida em crianças

As crianças e jovens que desenvolvem síndrome inflamatória multissistémica após serem infetados com o novo coronavírus SARS-CoV-2 podem apresentar sintomas relacionados com o coração semelhantes aos observados em duas condições raras, mas graves, chamadas doença de Kawasaki e síndrome do choque tóxico. Este facto pode fazer com que essas crianças precisem de cuidados e tratamento durante toda a vida.

COVID-19 pode causar problemas cardíacos para a vida em crianças

De acordo com os investigadores que lideraram o estudo, alguns desses jovens podem apresentar capacidade reduzida do coração de bombear sangue oxigenado para os tecidos do corpo ou o desenvolvimento de um aneurisma cardíaco.

Os investigadores fizeram uma revisão de 662 casos de síndrome inflamatória multissistémica relatados em todo o mundo entre 1 de janeiro e 25 de julho de 2020. Quase metade dos pacientes que tinham este problema também apresentavam uma condição médica subjacente. Destes, metade era obesa ou com sobrepeso.

Setenta e um por cento das crianças que desenvolveram a doença após serem infetadas com COVID-19 foram internadas em unidades de cuidados intensivos e 60 por cento apresentaram sintomas de choque.

Mais da metade (54 por cento) apresentou resultados anormais em ecocardiogramas, sugerindo danos. Aproximadamente um em cada cinco necessitou de ventilação mecânica para manter a respiração e 11 morreram no hospital.

Os danos detetados nos ecocardiogramas incluíram dilatação dos vasos sanguíneos coronários, um fenómeno também visto na doença de Kawasaki, e fração de ejeção deprimida, o que indica uma capacidade reduzida do coração de bombear sangue oxigenado para o resto do corpo.

Além disso, quase dez por cento das crianças tinham um aneurisma de um vaso coronário, ou um inchaço do vaso sanguíneo que pode ser medido numa ultrassonografia ao coração, o que as coloca em alto risco de futuros problemas de saúde cardíaca.

A maioria das 662 crianças sofreu envolvimento cardíaco, conforme indicado pelos níveis elevados de uma proteína que regula a contração muscular chamada troponina (até 50 vezes maior do que o normal) que é usada com grande precisão em adultos para diagnosticar ataques cardíacos.

Ascrianças que desenvolvem a síndrome inflamatória multissistémica parecem, no entanto, responder bem aos tratamentos típicos da doença de Kawasaki, incluindo imunoglobulina e glicocorticosteroides.

De acordo com os autores do estudo, esses dados permitem concluir que as crianças nessa condição têm inflamação significativa e potencial lesão no coração, o que indica a necessidade de serem acompanhadas de perto para entender quais as implicações que podem ter a longo prazo.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS