OBESIDADE

CHTS realiza primeiras cirurgias para tratar obesidade mórbida

O Centro Hospitalar de Tâmega e Sousa (CHTS) realizou os primeiros procedimentos cirúrgicos de tratamento da obesidade mórbida no inicio deste mês. Os doentes, de 26 e 27 anos, foram submetidos a um Sleeve e Bypass gástrico.

CHTS realiza primeiras cirurgias para tratar obesidade mórbida

De acordo com fonte hospitalar estas “intervenções e o recobro imediato decorreram sem qualquer tipo de intercorrências e ambos os doentes tiveram alta no dia 11 de janeiro com as devidas indicações, orientações e planos nutricionais”.

Nos próximos meses, estes doentes vão ser reavaliados, “em consulta externa das diversas especialidades envolvidas neste programa multidisciplinar, para manter uma vigilância contínua da evolução após a cirurgia bariátrica efetuada”.

Para Carlos Alberto, presidente do Conselho de Administração do CHTS, “este é mais um passo em frente na melhoria dos cuidados à vasta população da nossa região. O apoio do Centro Hospitalar de São João foi absolutamente fundamental na formação e acompanhamento dos nossos profissionais”.

“Numa área em que as respostas a nível nacional são muito poucas, temos consciência que não seremos capazes de mudar o mundo, mas certamente daremos o nosso contributo para que alguns doentes vejam significativamente melhorada a sua qualidade de vida”, acrescenta Carlos Alberto.

A obesidade é considerada uma doença crónica, representa um problema de saúde pública e é definida como uma patologia na qual o excesso de gordura corporal acumulada afeta a saúde.

Diabetes, hipertensão, patologias do foro osteoarticular e cardiovascular são algumas das complicações que podem ser causadas ou exacerbadas pela obesidade. Como consequências da obesidade e das suas complicações, verifica-se nestes doentes um absentismo laboral elevado e gastos avultados com medicamentos e consultas.

As estatísticas mostram que mais de 15 por cento da população portuguesa sofre de obesidade. A área de influência do CHTS tem uma população estimada de 520 mil habitantes, pelo que será fácil prever a existência de um número bastante elevado de doentes obesos na área de influência do centro hospitalar.

Assumindo a responsabilidade para com a população que serve e pretendendo cumprir de forma exemplar a sua missão de prestar cuidados de proximidade aos seus utentes, o CHTS afiança que “tudo tem feito nesta área da obesidade para desenvolver, de forma autónoma, capacidades que vão de encontro ao interesse geral da saúde pública no país, colaborando com a tutela e com o Serviço Nacional de Saúde (SNS) para dar resposta a este problema sério”.

“Desde início que o objetivo da Instituição foi a de criar condições para iniciar, desenvolver e disponibilizar um programa de tratamento cirúrgico da obesidade, sendo importante referir que o CHTS segue na íntegra as normas e orientações da Direção-Geral de Saúde, motivo pelo qual obteve o reconhecimento ao ser designado como Centro de Tratamento Cirúrgico da Obesidade. Neste ponto, reconhece com enorme gratidão todo o apoio e orientação do Centro de Elevada Diferenciação de Tratamento Cirúrgico da Obesidade do Centro Hospitalar e Universitário de São João”, acrescenta a esta Unidade de Saúde em comunicado.

Fonte: CHTS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS