Divulgado guia europeu sobre insuficiência cardíaca

  Tupam Editores

A Associação de Apoio aos Doentes com Insuficiência Cardíaca (AADIC) divulgou um documento europeu que “espelha a urgência” de uma tomada de ação sobre a forma como se está a encarar a insuficiência cardíaca (IC) na Europa.

“The Handbook of multidisciplinary and integrated heart failure care” foi elaborado pela Heart Failure Policy Network (HFPN), uma rede formada por profissionais de saúde e outras entidades de toda a Europa, com o objetivo de sensibilizar para a insuficiência cardíaca e necessidades existentes no diagnóstico, gestão e tratamento desta doença.

“É uma doença que poderá ser considerada daqui para frente uma das epidemias, ainda não declaradas, porque, neste momento, 400 mil pessoas [portugueses] poderão ter insuficiência cardíaca e uma pequena fração é que está consciente disso”, disse Luís Filipe Pereira, presidente da AADIC, à agência Lusa, sublinhando que a IC tem uma mortalidade elevada quando diagnosticada tarde.

O guia defende que é preciso diagnosticar cedo e corretamente o tipo de IC e as suas causas para tomar decisões de tratamento eficazes.

Insuficiência-cardiaca

A IC é “uma preocupação europeia”, cuja prevalência estima-se que vá aumentar. “Em Portugal, pensa-se que, até 2030, possa aumentar 50 a 70 por cento e tudo isso são razões para que a nossa associação possa estar envolvida e tenha tido esta iniciativa de trazer informação para a população”, sublinhou.

Um estudo realizado pelo Centro de Medicina Baseada na Evidência (CEMBE), da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, estima que a IC registe um aumento do número de mortes de 73 por cento em 2036, em Portugal continental, em comparação com a mortalidade no ano de 2014.

A projeção para 2036 feita pelos investigadores do estudo prevê ainda que a carga total da doença sofra um aumento de 28 por cento face a 2014, o que se traduz em 16,8 mil anos de vida perdidos por morte prematura e uma perda de 10,3 mil anos devido à incapacidade gerada pela doença.

A IC é uma situação clínica debilitante e potencialmente fatal em que o coração não consegue bombear sangue suficiente para todo o corpo, sendo os sintomas dificuldade em respirar, pernas inchadas devido a acumulação de líquidos, fadiga intensa, tosse ou pieira, náuseas e aumento de peso devido à acumulação de líquidos.

ARTIGO

Relacionados

NOVO COVID-19, INFORMAÇÃO ATUALIZADA

No dia 11 de março de 2020 o diretor-geral da OMS, declarou o novo coronavírus (COVID-19) uma pandemia, significando assim que a doença tomou proporções à escala mundial.

Destaques

CEFALEIAS, O MELHOR É NÃO PERDER A CABEÇA

Popularmente conhecida por dor de cabeça, a cefaleia é um problema muito frequente e uma das queixas mais comuns nas consultas de clínicos, pediatras ou neurologistas.

NÃO SE ESQUEÇA DE DORMIR!

Dormir é uma necessidade fisiológica indispensável e pode funcionar como um excelente tratamento de beleza e de saúde. Mas dormir o “sono dos justos” parece ser o privilégio só de alguns.
0 Comentários