MORTALIDADE

COVID-19: níveis altos de ómega-3 ligados a menor risco de morte

Cientistas do Fatty Acid Research Institute e do Hospital Cedars-Sinai, ambos nos Estados Unidos, publicaram a primeira evidência direta de que níveis mais elevados de ómega-3 no sangue podem reduzir o risco de morte por COVID-19.

COVID-19: níveis altos de ómega-3 ligados a menor risco de morte
A MORTE

MENTE E RELACIONAMENTOS

A MORTE

Publicado na revista Prostaglandins, Leukotrienes and Essential Fatty Acids, o estudo incluiu 100 pacientes internados com COVID-19 aos quais foram retiradas amostras de sangue que foram analisadas para se obter um índice ómega-3 (O3I, níveis de EPA + DHA na membrana das células vermelhas do sangue).

Os 100 pacientes foram agrupados em quatro quartis de acordo com o seu O3I, com 25 por cento dos pacientes em cada quartil. Houve uma morte no quartil superior (ou seja, uma morte em 25 pacientes com O3I > 5,7 por cento), e 13 mortes nos restantes grupos.

Apesar de os resultados estarem em concordância com várias linhas de evidência sobre os efeitos anti-inflamatórios de EPA e DHA, que sugerem que estes ácidos gordos podem ajudar a reduzir o risco de resultados adversos em pacientes com COVID-19, os cientistas afirmam que mais estudos são necessários de forma a confirmar estas descobertas preliminares.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS