PSICOLOGIA

Emoções negativas potenciam aumento de apetite

Cientistas da Universidade de Salzburgo, na Áustria, realizaram um estudo onde compararam as respostas ao apetite em comedoras emocionais e comedoras restritivas. O estudo foi publicado na revista Frontiers in Behavioral Neuroscience.

Emoções negativas potenciam aumento de apetite

 
A sobrealimentação emocional é um fator de risco para a alimentação em excesso e para o desenvolvimento de distúrbios alimentares como a bulimia.
 
Foram analisadas cerca de 80 participantes do sexo feminino. Durante as sessões do estudo os investigadores leram guiões às participantes de modo a induzir uma resposta neutra ou uma resposta emocional negativa.
 
Os guiões negativos estavam relacionados com eventos recentes da vida pessoal das participantes durante os quais sofreram emoções negativas, enquanto os guiões neutros se referiam a assuntos neutros. Durante a investigação foram mostradas às participantes imagens de comida e objetos neutros.
 
O estudo investigou até que ponto os estilos alimentares individuais e os estados emocionais preveem a resposta do apetite às imagens dos alimentos, comparando as comedoras emocionais e as comedoras restritivas, pessoas que controlam a sua alimentação através de dietas e restrições calóricas.
 
Os investigadores registaram as expressões faciais das participantes através de eletromiografia, a reatividade cerebral através de EEG (eletroencefalografia), bem como os dados auto relatados.
 
Foi possível descobrir que as comedoras emocionais tinham uma resposta mais forte no apetite e acharam os alimentos mais agradáveis quando sofriam de emoções negativas do que quando sentiam emoções neutras.
Verificou-se também que as comedoras restritivas, por outro lado, pareciam mais atentas aos alimentos em estado negativo, embora isso não influenciasse o seu apetite, e não houve alteração significativa entre as condições emocionais negativas e neutras.
 
Os resultados apontam para potenciais estratégias de tratamento de distúrbios alimentares com enfoque nas estratégias de regulação emocional.

Fonte: Eurekalert

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS