DIAGNÓSTICO

Exame de urina identifica cálculo renal em 30 minutos

Um novo sistema de testes à base de urina pode diagnosticar pessoas com pedras nos rins em 30 minutos ou menos. Resultados mais rápidos do teste significam que aqueles com uma condição dolorosa podem iniciar o tratamento e recuperar-se mais cedo.

Exame de urina identifica cálculo renal em 30 minutos

As pedras nos rins são causadas pela acumulação de certos sais e minerais que formam cristais, de acordo com o American Kidney Fund. Esses cristais, por sua vez, agrupam-se e aumentam para formar uma massa dura, ou pedras, nos rins. Eles podem mover-se para o trato urinário e causar sangue na urina, dor e obstruções.

Normalmente, os médicos usam testes metabólicos da urina para avaliar a presença de minerais que causam a formação de pedras. Esses testes exigem que o paciente recolha uma amostra da sua urina por um período de 24 horas num recipiente grande.

É necessário um equipamento caro para detetar minerais na urina para um resultado de teste, o que significa que a amostra deve ser enviada para um laboratório comercial de diagnóstico para testes, e os resultados normalmente demoram de sete a dez dias.

Os resultados do novo teste podem ser lidos usando um scanner ou telemóvel, e a imagem digitalizada pode ser analisada usando um algoritmo de computador.

Todas essas etapas, segundo os cientistas, levam cerca de 30 minutos no consultório médico. Outro benefício do teste, segundo os investigadores, é que o SLIPS-LAB é mais económico do que os testes regulares de 24 horas.

A tecnologia foi inspirada nos jarros de nepenthes, que são plantas carnívoras que têm folhas únicas em forma de jarros e são preenchidas com líquido digestivo. À medida que evoluíram, as plantas desenvolveram aros micro-texturizados com infusão de líquido extremamente escorregadios que fazem com que os insetos caiam no “jarro”.

Em testes, os investigadores demonstraram que o SLIPS-LAB permite que o reagente e a amostra se movam sozinhos e executem rapidamente as reações necessárias para produzir resultados.

O sistema não exige que um técnico opere máquinas, por isso é possível fazer o teste em ambientes não tradicionais, como consultório médico ou até em casa do paciente.

Outro resultado promissor do estudo foi demonstrar que o teste também funciona como um teste local, o que significa que pessoas com pedras nos rins podem monitorizar certos níveis na urina sem recolha de 24 horas. Agora, a equipa está a trabalhar com especialistas em rins para avaliar o teste em estudos maiores com pacientes com suspeita de cálculos renais.


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS