COLESTEROL

FH Portugal publica artigo sobre hipercolesterolemia familiar

A Associação Portuguesa de Hipercolesterolemia Familiar (FH Portugal) juntamente com a World Heart Federation (WHF) e a FH Foundation (FHF), USA, anunciam a publicação do artigo no JAMA Cardiology, intitulado “Global Call to Action on Familial Hypercholesterolemia”, um problema de saúde pública pouco divulgado e subdiagnosticado em todo o mundo.

FH Portugal publica artigo sobre hipercolesterolemia familiar

De acordo com um comunicado enviado à comunicação social, este artigo identifica as dificuldades de identificação, terapêutica e prevenção da FH, assim como nas recomendações estabelecidas para a FH, tendo sido redigido por um painel de médicos especialistas internacionais, autoridades de saúde, Sociedades Médicas e Associações de Doentes com FH de 40 países.

Para que entenda que doença é esta, a FH Portugal explica que se trata de “uma doença hereditária, autossómica dominante (transmite de pais para filhos) e caracteriza-se por valores patológicos de colesterol (C), LDL-C e partículas remanescentes não-HDL-C, sendo frequente em todas as raças e etnias”.

Segundo esta entidade, a deposição precoce de LDL-C nas artérias e tendões inicia-se na vida intrauterina – aterosclerose prematura, motivo pelo qual as crianças e adolescentes devem ser tratados com estilos de vida saudável, terapêutica dietética e/ou farmacológica.

Estima-se que, em todo o mundo, existam 34 milhões de pessoas com esta condição. Em Portugal são cerca de 20 a 30 mil os que sofrem de hipercolesterolemia familiar, no entanto admite-se que muitos casos permaneçam desconhecidos.

É importante ainda referir que os indivíduos portadores de FH apresentam um risco 20 vezes maior do que a população geral de doenças cardio-cerebro-vasculares prematuras (DCCV) e morte súbita.

A FH Portugal participou na reunião internacional organizada pela FHF e pela WHF para reavaliação e atualização das principais recomendações emitidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no seu Relatório sobre FH, publicado em 1998.

Após 20 anos deste relatório, apenas algumas recomendações foram implementadas em alguns países, contribuindo para que em cada nove em dez indivíduos portadores de FH não sejam diagnosticados.

“A hipercolesterolemia familiar, FH, é uma causa frequente das DCCV (enfarte do miocárdio, AVC, doença carotídea, doença arterial periférica, aneurismas) e morte súbita prematuras (≤55 anos nos homens e ≤ 60 anos nas mulheres) e que deve ser prevenida e tratada desde a infância e em toda a família”, disse Isabel Mendes Gaspar, coautora do artigo publicado no JAMA Cardiology, médica especialista em Genética Médica e Medicina Interna da FH Portugal e de 5 Centros de Referência Nacionais do Centro Hospitalar Ocidental de Lisboa.

A FH Portugal é membro da European FH Patient Network, FH Global Community e parceira da Red Iberoamericana de Hipercolesterolemia Familiar colaborando com médicos especialistas de todo o mundo, partilhando as melhores práticas médicas e defesa dos direitos dos indivíduos e doentes estabelecidas pela OMS, UNESCO, e Sociedades Médicas, para a identificação, vigilância, prevenção e terapêuticas das DCCVP e morte súbita.

A Global Call to Action on Familial Hypercholesterolemia partilha a informação científica, experiencia de médicos especialistas, informação sobre novas terapêuticas e avanços tecnológicos, contribuindo como um impulso adicional para que autoridades de saúde e governos de cada país se comprometam com a identificação precoce, vigilância, terapêuticas e prevenção das famílias em risco de DCCVP e morte súbita.

A FH representa um problema de saúde pública a nível mundial, porque, apesar de ser frequente está subdiagnosticada, subtratada e é desconhecida da maioria da população.

As consequências da FH são evitáveis, mas requerem iniciativas e políticas de saúde eficazes para abordar as questões atuais e reduzir o impacto da doença.

“O sucesso das recomendações específicas que emitimos hoje dependerá do apoio dos governos, e é por isso que, agora, os estamos alertando como uma comunidade mundial”, disse Jean-Luc Eiselé, CEO da WHF.

“Cada uma das organizações parceiras está focada em alertar para melhorar a informação e expandir o conhecimento, prevenção e terapêutica da FH nos respectivos países. A Global Call to Action on Familial Hypercholesterolemia é uma oportunidade sem precedentes para prevenir doenças cardio-cerebro-vasculares prematuras nas gerações futuras em todo o mundo”, concluiu o responsável.

Fonte: Associação Portuguesa de Hipercolesterolemia Familiar (FH Portugal)

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS