INFORMÁTICA

Redes sociais não prejudicam vida social dos utilizadores

Dois estudos realizados pela Universidade do Kansas, nos Estados Unidos, sugerem que as redes sociais não prejudicam a vida social dos utilizadores, negando assim a "teoria do deslocamento social".

Redes sociais não prejudicam vida social dos utilizadores

Esta teoria afirma que quanto mais tempo for passado nas redes sociais, menos tempo os utilizadores socializam com pessoas no mundo real; isto aplica-se tanto ao uso passivo de redes sociais como a uma interação ativa.

A teoria do deslocamento social também afirma que tal diminuição na interação social torna as pessoas mais deprimidas.

Os investigadores, que viram o seu artigo publicado na revista Information, Communication & Society, decidiram realizar dois estudos; no "Estudo 1", investigaram se havia ou não um vínculo entre o uso de redes sociais e o contacto social "direto", que é definido como sair da casa, sair com amigos, conversar por telefone ou participar em qualquer tipo de atividade de grupo.

As pessoas analisadas pertenciam à chamada Geração X e "as perguntas sobre o uso das redes sociais foram feitas diretamente quando o Facebook estava a atingir o seu ponto de inflexão de adoção", disseram os autores.

"O que foi interessante foi que, durante uma época de adoção realmente rápida de redes sociais, e mudanças realmente poderosas no uso, não se verificaram quedas súbitas no contacto social direto das pessoas", afirmaram os cientistas.

"Se a teoria do deslocamento social estivesse correta, as pessoas deveriam ter saído menos e feito menos chamadas telefónicas, e isso não foi o caso", acrescentaram os investigadores.

No "Estudo 2", a equipa interrogou 116 pessoas sobre o uso de redes sociais e o contacto social direto cinco vezes por dia durante cinco dias seguidos. Neste estudo, confirmaram-se as descobertas do "Estudo 1".

"Os utilizadores de redes sociais não estavam a passar por um deslocamento social: se eles usassem as redes sociais no início do dia, não eram mais propensos a estar sozinhos mais tarde", confirma a equipa.

Os investigadores observam que estes não são os primeiros estudos a questionarem-se acerca da teoria do deslocamento social. Mas, apesar dos esforços para enfraquecê-la, o mito de que mais tempo nas redes sociais significa menos tempo de socialização na vida real parece persistir.

Fonte: Medical News Today

TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS