CARRINHOS DE BEBÉ

  Tupam Editores

A escolha do carrinho de bebé é um dilema que, até ser mãe (ou pai), nunca pensou vir a ter, não é verdade? Olhando de fora parece até muito simples!

Mal se repara na forma, nas características ou mesmo no aspeto dos carrinhos que são empurrados pela rua; contudo, ao falar com uma mãe sobre a temática facilmente se percebe que o mais pequeno pormenor tem uma razão de ser, e faz toda a diferença.

Para dificultar a tarefa, nos carrinhos de bebé, tal como nos carros “de gente crescida” também há múltiplos modelos e vários escalões, desde o mais básico aos “topos de gama” – situação que gera uma verdadeira incógnita na hora de escolher e saber, sobretudo, se foi a decisão mais acertada.

Os primeiros anos na vida de uma criança são momentos que nunca mais se irão repetir, e para os quais os pais precisam de ajuda para deles poderem desfrutar com toda a serenidade. É, acima de tudo, um período muito especial e vital para o crescimento do bebé, especialmente repleto de mudanças no que concerne às necessidades físicas e psicológicas.    

Transporte de bebé

Quando o bebé nasce, o Ovo é o meio de transporte ideal, mas o seu desenvolvimento é tão célere que em apenas alguns meses é necessário fazer a transição para o carrinho de passeio. Geralmente, os pediatras recomendam que os bebés passem de “ir quase deitados” no Ovo para “ir sentados no carrinho” a partir dos seis meses, embora existam bebés que possam fazer essa mudança antes.

Seja aos seis meses ou antes, é importante que esta transição seja feita de forma gradual e sem pressas. O bebé deve passar para o carrinho quando estiver pronto para o fazer, mesmo que demore mais tempo do que outros (há bebés de três meses que “pedem” o carrinho de passeio).

Alguns dos sinais que indicam que a criança está preparada para o fazer são: conseguir manter a cabeça erguida, tentando integrar-se no ambiente que a rodeia; em casa já se sentar corretamente na espreguiçadeira, na cadeira de refeição, etc.; quando está sentado, se balança para a frente de modo a agarrar as coisas que estão ao seu alcance; o Ovo começa a ser pequeno para o seu tamanho e peso, logo manifesta desconforto quando vai deitado, chorando para que o levem ao colo.

Atualmente é possível encontrar nas lojas uma grande variedade de carrinhos para os mais pequenos. O carrinho do bebé pode ser o melhor amigo dos pais ou uma fonte permanente de transtornos e inconvenientes se for escolhido o modelo errado.

Existem muitos modelos diferentes que se adaptam a diferentes estilos de vida. Por isso, antes de comprar, pense qual será o tipo de utilização que vai dar ao carrinho de bebé para escolher aquele que melhor se adequa à família e ao recém-nascido, sendo fundamental que no momento da escolha tenha em conta algumas características.

Critérios para escolha do seu carrinho de bebé

Regra número 1: vá sem pressa! Dessa forma vai diminuir as hipóteses de errar na escolha pois a variedade de modelos e tipos é tanta que pode aumentar a indecisão. Lembre-se que o carrinho vai acompanhar a criança durante, pelo menos, três anos.

Mãe passeia o bebé

Antes de comprar tenha em atenção o seu tipo de necessidades: ritmo e estilo de vida, onde mora e onde espera movimentar-se. Este é um fator que pode determinar a escolha, por exemplo, do tipo de rodas. As rodas pequenas e giratórias são bastante apropriadas para as superfícies lisas e regulares, como os passeios das cidades, e facilitam as mudanças de direção repentinas. Por outro lado, as rodas grandes permitem subir e descer os passeios facilmente, assim como percorrer terrenos acidentados e irregulares.

Para evitar problemas como a passagem pelas portas, e a entrada no elevador dê atenção às medidas do carrinho, tanto aberto como fechado, e não se esqueça do espaço do seu porta-bagagens. É essencial escolher um carrinho fácil de transportar cujo sistema de dobragem seja simples e flexível (as opções são várias – em guarda-chuva, telescópica, ou de tipo livro).

A maior preocupação deve focar-se sempre na segurança e conforto do bebé. Assim, comece por verificar se o carrinho pertence a uma marca homologada pelas normas europeias.

Certifique-se de que é estável o suficiente e pouco suscetível de tombar quando em uso, e que a estrutura trava bem, na posição devida, e que o mecanismo de travagem é fácil de usar e não falha acidentalmente quando transporta a criança.

A qualidade da tela também é muito importante. Assegure-se de que o carrinho contém materiais que são fáceis de remover e lavar, e inspecione a existência de alguma aresta viva ou saliência. Os dedos pequeninos do bebé podem facilmente prender e magoar-se entre peças de metal ou molas a descoberto.

O assento reclina? Os bebés recém-nascidos precisam de um assento que recline para uma posição quase horizontal até que tenham controlo de cabeça e possam sentar-se, mas mesmo para os bebés ou crianças mais velhas, um assento reclinável é uma vantagem. Convém também que o apoio para os pés seja regulável, pois ajuda a manter a postura correta da criança. Também uma capa ajustável protege o bebé do sol, chuva e vento e torna os passeios mais confortáveis, e um cesto sob o assento é uma grande ajuda em alturas de compras e para transportar equipamento acessório.

Evite carrinhos com uma abertura de pernas demasiado larga, que permita ao bebé escorregar através dela. O sistema de retenção é obrigatório, e o mais seguro – em especial para os bebés que estão muito tempo no carrinho –, é o arnês de cinco pontos que envolve a cintura, entre as pernas e desce sobre os ombros. Verifique se o fecho é de abertura fácil para si e se é confortável e seguro para a criança.

Passeio de bebés

Há dois tipos de guiador: uma barra horizontal e duas pegas laterais. A primeira é mais prática para movimentar o carrinho só com uma mão. Mas um modelo com pegas laterais ocupa menos espaço quando fechado.

Um bom carrinho de bebé deve poder ser manobrado em linha reta e transformar-se com uma só mão. Tente abrir e fechar o carrinho antes de o comprar. Deve conseguir fechar e abrir novamente o carrinho em um ou dois passos enquanto segura o seu bebé. Certifique-se que este possui um dispositivo de bloqueio para que não feche acidentalmente.

Além de todas estas características também é importante pensar na estação em que o bebé irá utilizar o seu carrinho pela primeira vez.  Nos meses frios, é aconselhável um modelo com partes laterais altas e acolchoadas que o protejam. Pelo contrário, se a temperatura sobe será preferível um modelo mais leve, funcional e prático para os pais.

Confesse… nunca pensou que comprar um carrinho de bebé desse tanto que pensar, pois não?

Tipos de carrinhos de bebé e erros a evitar durante o uso

De entre os vários tipos de carrinhos disponíveis no mercado pode optar por:

Carrinho trio
Carrinho Trio – uma única compra que se usa desde o nascimento do bebé até deixar de usar o carrinho. Inclui alcofa, cadeira de passeio e cadeira para automóvel que são aplicadas numa mesma estrutura. Está disponível com três ou quatro rodas e vários acessórios. Atenção que este modelo, para além de ser mais pesado, também é mais caro.

Autocarro de criança

Carrinho simples – pensados para os bebés que já se sentam, possuem menos acessórios, e também são mais em conta. São ótimos para passeios breves em zonas urbanas, mesmo que seja necessário passar pequenos obstáculos ou degraus.

Ideal para usar em transportes públicos, este carrinho é leve, abre/fecha com rapidez e cabe, sem problemas, na bagageira da maioria dos automóveis.

Carrinho - mulher - desporto

Carrinho de três rodas – adaptado aos pais desportivos, este carrinho foi projetado para enfrentar terrenos mais acidentados com facilidade. Pode ter suspensão flexível. Alguns modelos permitem que se corra enquanto se empurra o carrinho, mas para isso deve ter freio. Mais recomendado para crianças acima de 6 meses, possui um assento espaçoso e envolvente, adaptado para sestas prolongadas. É pesado, costuma ocupar bastante espaço na bagageira do carro, e no verão pode tornar-se quente.

Carrinho duplo

Carrinho duplo (crianças lado a lado ou frente a frente) – este carrinho duplo é prático principalmente para gémeos, mas pode ser usado por irmãos de idades diferentes. O assento não costuma ser muito largo, e é preciso levar isso em conta se quisermos usar o carrinho com uma criança mais velha. Pode não reclinar totalmente, logo não seria o adequado para recém-nascidos. Para além de ser pesado, este modelo ocupa bastante espaço no carro e pode não passar nas portas de casa, sendo conveniente tirar medidas antes de o comprar.

No modelo em que as crianças ficam frente a frente, o comprimento pode dificultar as manobras, principalmente em curvas fechadas, e pode não caber em alguns elevadores.

A grande variedade e tipos de carrinhos disponíveis atualmente no mercado torna difícil a escolha, mas uma coisa é certa, quando falamos dos mais pequenos o fator primordial é, sem dúvida, a segurança.

Em Portugal os artigos de puericultura não têm legislação específica. Aplicam-se as leis sobre a segurança geral de produtos e, para a maioria, existe legislação comunitária.

Ainda que muitos pais desconheçam, o carrinho é um dos itens que mais está relacionado com acidentes em bebés com menos de um ano de idade – risco de asfixia, de queda e de lesões diversas, má postura da criança, existência de pequenos espaços vazios onde as crianças podem entalar os dedos, o incorreto funcionamento dos dispositivos de estacionamento e fechamento, entre outros, são alguns dos perigos a que os bebés podem estar expostos.

Para que o seu bebé não faça parte dos números de acidentados, quando o for colocar no carrinho aperte sempre o arnês (cinto interno) para impedir que se levante e caia, e não se esqueça da faixa entrepernas.

Carrinho para duas crianças

Quando o carrinho estiver parado acione sempre o sistema de travagem e verifique com regularidade se este funciona eficazmente, mesmo em pisos inclinados, com a criança sentada. Quando abrir e fechar o carrinho, mantenha a criança afastada para evitar que entale os dedos.

Nunca pendure sacos ou malas nas pegas para evitar que o carrinho tombe para trás –guarde-os no compartimento próprio, normalmente, por debaixo do assento. Não utilize o carrinho em escadas rolantes, nem use as pegas e o apoio de pés para o levantar e subir ou descer escadas, pois podem partir-se.

Seja responsável. Não cometer os erros aqui relatados já evita a maioria dos acidentes que acontecem com estes equipamentos.

A experiência de ser pai é por definição muito feliz e positiva, mas cuidar de uma criança é um assunto sério. Não se distraia, pois com os bebés todo o cuidado é pouco.

Aproveite essa fase maravilhosa de sua vida em segurança, e bons passeios!

ARTIGO

Autor:
Tupam Editores

Última revisão:
06 de Novembro de 2018

Referências Externas:

Relacionados

REGRESSO ÀS AULAS - MOCHILAS!

Com o início de mais um ano letivo para todos os níveis de ensino pré-escolar, ensino básico e ensino secundário, começam também as dores de cabeça para os pais e educadores que, para além de terem de...

A IDADE DO PINÓQUIO!

Se ao dirigir-se à criança usar uma forma acusatória, perguntando “Foste tu que partiste a jarra?” estará a criar condições propícias para que uma mentira seja gerada na sua mente, como forma de defes...

Destaques

CROSSFIT, TREINO INTENSIVO

Crossfit – uma das modalidades com maior adesão repentina de todos os tempos. Esta modalidade tornou-se viral, e já foi chamada o mais completo desporto de sempre.

VIVA O DESPORTO

A actividade física adequada e o desporto constituem um dos pilares para um estilo de vida saudável, juntamente com uma alimentação equilibrada e não existência de hábitos nocivos.
0 Comentários