SANGUE

Ensaios de plasma sanguíneo convalescente já têm 700 dadores

Cerca de 700 potenciais dadores estavam inscritos, no final de agosto, no programa nacional de transfusão de plasma sanguíneo convalescente, para tratar doentes com COVID-19, revelou o Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST).

Ensaios de plasma sanguíneo convalescente já têm 700 dadores

Sobre o ponto de situação dos ensaios clínicos com plasma de doentes COVID-19 recuperados, o IPST referiu que os inscritos “já tinham sido contactados” por um médico, para efeitos de seleção, tendo já sido enviadas amostras para o Instituto de Medicina Molecular (IMM) João Lobo Antunes da Universidade de Lisboa, para serem determinados os níveis de anticorpos neutralizadores do coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença respiratória COVID-19

O registo de dadores é feito voluntariamente pelos interessados através da página na internet do IPST.

Em maio, o Instituto Português do Sangue e da Transplantação anunciou o arranque da recolha de plasma sanguíneo de doentes recuperados para ensaios clínicos. Uma vez que o uso de plasma convalescente é uma terapêutica experimental para a COVID-19, a sua eficácia e segurança têm de ser testadas.

O grupo de trabalho para desenvolver a proposta do Programa Nacional de Transfusão de Plasma Convalescente COVID-19 foi constituído em maio, tendo o relatório com a sugestão de medidas sido apresentando à tutela em 17 de junho.

O IPST adiantou que, em 21 de julho, foi criado um grupo de peritos que “acompanha tecnicamente a organização e o desenvolvimento do processo de investigação clínica, a realizar nos termos da lei de investigação clínica”.

O tratamento com plasma sanguíneo de doentes recuperados, recomendado pela OMS, tem sido aplicado em vários países a outros pacientes, em situações muito específicas e graves, em que as defesas do corpo (sistema imunitário) estão muito debilitadas.

Fonte: SNS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS