DIAGNÓSTICO

COVID-19: Portugal “na linha da frente” nos estudos e testes

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde afirmou que os testes rápidos de antigénio “farão, a partir do dia 9 de novembro, parte da nossa resposta à pandemia em situações definidas”.

COVID-19: Portugal “na linha da frente” nos estudos e testes

Neste momento, “estão a ser ultimados os procedimentos para a sua operacionalização e para a efetiva utilização de testes no SNS”, disse o governante numa conferência de imprensa que contou com a presença do presidente do Conselho Diretivo do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), Fernando Almeida.

“O Ministério da Saúde manifestou interesse na adesão ao consórcio joint-venture europeu no valor de um milhão de testes” e que em relação aos testes da Cruz Vermelha, que resultam de um financiamento europeu, “a primeira tranche de 100 mil testes estará disponível na primeira semana de novembro”, adiantou.

De acordo com Fernando Almeida, “a evolução destes testes de antigénio tem de ter reconhecimento da sua qualidade, sobretudo em dois aspetos principais: o teste da sensibilidade e da especificidade, e a sua utilização, e os critérios clínicos e epidemiológicos que devem estar na base da utilização destes”.

“Portugal acompanha tudo o que se faz a nível europeu”, afirmou o presidente do INSA, referindo que, neste caso, está “também na linha da frente”.

Sobre o Plano Outono/Inverno, o responsável referiu que este está a ser consolidado “até ao final da semana” e está já a ser “aplicado no terreno ao nível regional e local”.

Fonte: SNS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS