DIAGNÓSTICO

INEGI ajuda OMS a definir diretrizes para qualidade do ar interior

A investigadora Marta Gabriel, do INEGI – Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial, tem vindo a colaborar com os esforços da Organização Mundial de Saúde (OMS) no sentido de estandardizar o diagnóstico da qualidade do ar interior, em particular no que toca à sua influência na saúde das crianças, destaca a Universidade do Porto no seu portal de notícias.

INEGI ajuda OMS a definir diretrizes para qualidade do ar interior

O convite para participar na consulta de especialistas foi feito pela primeira vez em 2018, e tem sido renovado anualmente. Sob o estatuto de temporary advisor (consultora temporária), Marta Gabriel tem vindo a participar em sessões de discussão organizados pela OMS para a definição de conteúdos de vários documentos oficiais. Entre eles inclui-se a publicação mais recente, dedicada aos “Métodos para amostragem e análise de poluentes químicos no ar interior (2020)”.

A consulta de especialistas que resultou nesta publicação tem como objetivo principal definir estratégias de monitorização dos poluentes químicos mais comuns em espaços públicos para crianças (escolas, jardins de infância e creches).
Pretende-se desta forma contribuir ainda para o desenvolvimento e implementação de uma ferramenta para avaliação dos riscos que a exposição combinada a múltiplos poluentes químicos pode representar para a saúde das crianças.

Para esta agência, entidade especializada em saúde subordinada à Organização das Nações Unidas (ONU), as evidências científicas comprovam a importância do ar limpo para a saúde e bem-estar, pelo que assume como missão impulsionar o debate e a definição de políticas de saúde pública para reduzir a poluição do ar.


TEMAS

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS