AMBIENTE

Observatório chama a atenção para golpes de calor em animais

Todos os anos, dezenas de animais morrem ou ficam com graves sequelas, em consequência dos golpes de calor a que são sujeitos, sendo uma das causas de morte mais comum nos animais de estimação no verão.

Observatório chama a atenção para golpes de calor em animais

Com a colaboração de várias associações de proteção animal e autarquias locais, o ONDAID - Observatório Nacional para a Defesa dos Animais lança uma campanha de prevenção com o objetivo de alertar os detentores de animais de companhia, em especial de cães, para os perigos decorrentes do encerramento de animais em veículos automóveis.

Continua a ser prática comum em Portugal os tutores deixarem os seus animais de estimação encerrados em automóveis enquanto tratam de atividades diárias, sem terem consciência que colocam a vida e a saúde dos animais em risco.

Mesmo em dias em que a temperatura esteja mais amena ou em situações em que o encerramento do animal tenha uma curta duração, o risco pode persistir.

Com uma temperatura exterior de 21° C, em apenas dez minutos, a temperatura interior de um carro exposto à luz do sol pode subir 11° C.

Em vinte minutos, pode subir 16° C.  Ao fim de uma hora, o interior do automóvel pode chegar aos 82° C.

Um golpe de calor (insolação ou hipertermia) leva a que a temperatura corporal do animal aumente acima do normal, uma vez que, ao contrário dos humanos, que conseguem transpirar através da pele, os cães e os gatos não transpiram, antes desencadeando um processo de arrefecimento corporal através da respiração (arfar) e das almofadas plantares.

Mesmo que as janelas dos veículos se encontrem abertas, a quantidade de ar circulante pode não ser suficiente para que o animal consiga respirar satisfatoriamente e equilibrar a sua temperatura corporal.

Ao atingirem a temperatura de 41° C, a probabilidade dos animais em carros fechados entrarem em hipertermia aumenta, o que leva à falência de múltiplos órgãos e à morte.

São vários os sinais clínicos que evidenciam um golpe de calor: respiração ofegante, salivação excessiva, pele muito quente, batimento cardíaco acelerado, falta de reação, vómito, diarreia, descoordenação e tremores.

O golpe de calor é uma urgência médica e sempre que o animal sobreviva deve ser encaminhado de imediato ao médico veterinário para avaliação.

Fonte: ONDAID - Observatório Nacional para a Defesa dos Animais e Interesses Difusos

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS