Ranitidina bismutrex

DCI com Advertência na Gravidez DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Pertence ao grupo dos medicamentos antiulcerosos com ação antibacteriana para o Helicobacter pylori, protectora da mucosa gástrica.
Usos comuns
É utilizado em associação com determinados antibióticos para eliminar o Helicobacter pylori e prevenir o reaparecimento da úlcera gástrica.

É também utilizado para o tratamento da úlcera duodenal e úlcera gástrica benigna.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Erradicação do Helicobacter pylori e prevenção da recidiva da doença péptica ulcerosa quando administrado em associação com os antibióticos apropriados.

Tratamento da úlcera duodenal e úlcera gástrica benigna.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
A ranitidina bismuto citrato inibe a secreção basal e estimulada de ácido gástrico, reduzindo o volume da secreção e o seu conteúdo em ácido e pepsina, é bactericida in vitro para o H.pylori e tem ação protetora da mucosa gástrica.

Estas propriedades farmacodinâmicas dependem da dissociação da ranitidina bismuto citrato nos seus componentes ranitidina e bismuto.

A atividade biológica e anti-H.pylori do bismuto, está relacionada com a sua solubilidade após dissociação da ranitidina bismuto citrato.

Como a absorção do bismuto a partir da ranitidina bismuto citrato é mínima, a sua atividade anti-H.pylori resulta de um efeito local.

Mesmo em condições acídicas que induzem a precipitação deste componente, a quantidade que permanece solúvel, proveniente da ranitidina bismuto citrato, é suficiente para inibir o crescimento do H.pylori.
Posologia Orientativa
Úlcera péptica: A dose habitual é de 400 mg/dia (em 2 tomas de 150 ou toma única de 400 mg à noite), 4 a 6 semanas.
Administração
Deve ser administrado duas vezes por dia (de manhã e à noite), de preferência com alimentos.
Contraindicações
- hipersensibilidade (alergia) à ranitidina bismuto citrato;
- tratamentos prolongados (tratamento de manutenção);
- insuficiência renal moderada a grave.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Após administração IV da cimetidina pode ocorrer hiperprolactinemia.
Estão descritos casos de ginecomastia.
É frequente a elevação da creatinina no soro.

Em doentes idosos com IR e para doses elevadas, há risco de agitação, confusão mental e coma.

Com a ranitidina não se têm observado estados de confusão, agitação e delírio, descritos para a cimetidina em insuficientes renais e em doentes idosos.

Não se têm verificado efeitos antiandrogénicos nem antidopaminérgicos, não determinando ginecomastia, disfunção sexual, nem aumento da prolactina.

A formulação de ranitidina associada a sal de bismuto após a administração oral dissocia-se no estômago em ranitidina e bismuto.

Os efeitos indesejáveis são os da ranitidina e os dos compostos de bismuto.
O escurecimento da língua e a formação de fezes negras são os mais frequentes.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Precauções Gerais
Tome especial cuidado:
Antes de se iniciar o tratamento em doentes com úlcera gástrica deve excluir-se a possibilidade de doença maligna, pois a terapêutica com este medicamento pode ocultar os sintomas de carcinoma gástrico.

Deve evitar-se a administração deste medicamento em doentes com história clínica de porfíria aguda.

Quando for indicada terapêutica de associação com antibacterianos, devem consultar-se os RCMs relevantes previamente ao início do tratamento.

Não está indicado para tratamento prolongado (manutenção), devendo evitar-se mais do que 16 semanas de tratamento por ano.
Cuidados com a Dieta
A administração com alimentos permite maior cicatrização da úlcera.
Terapêutica Interrompida
Caso se esqueça de tomar o medicamento, deve tomá-lo assim que se lembrar e continuar como anteriormente. É muito importante que respeite um intervalo de 6 horas entre a administração de cada dose.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Não conservar acima de 30°C.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida + Ranitidina bismutrex

Observações: Não foram realizados estudos de interação farmacológica com este medicamento. As interações que foram identificadas em estudos com componentes individuais de este medicamento, isto é, com darunavir (em associação uma dose baixa de ritonavir), cobicistate, emtricitabina ou tenofovir alafenamida, determinam as interações que podem ocorrer com este medicamento. As interações esperadas entre Darunavir + Cobicistate + Emtricitabina + Tenofovir alafenamida e potenciais medicamentos concomitantes são baseadas em estudos realizados com os componentes deste medicamento, como agentes individuais ou em associação, ou são interações medicamentosas potenciais que podem ocorrer. Os ensaios de interação com os componentes de este medicamento foram realizados apenas em adultos.
Interações: ANTAGONISTAS DOS RECETORES H2 Cimetidina Famotidina Nizatidina Ranitidina Tendo por base considerações teóricas, não são esperadas interações mecanísticas. este medicamento pode ser administrado concomitantemente com antagonistas dos recetores H2 sem ajuste de dose.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ranitidina bismutrex + Claritromicina

Observações: Os alimentos diminuem a absorção do bismuto, efeito este sem qualquer relevância clínica. Dados limitados sugerem um aumento da cicatrização da úlcera quando Ranitidina bismutrex é administrada com alimentos.
Interações: Tem sido observado aumento da mediana das concentrações plasmáticas mínimas de bismuto, quando Ranitidina bismutrex é administrado em associação com claritromicina, no entanto, nos ensaios clínicos realizados este facto não tem sido associado a qualquer efeito adverso.

Ranitidina bismutrex + Metronidazol

Observações: Os alimentos diminuem a absorção do bismuto, efeito este sem qualquer relevância clínica. Dados limitados sugerem um aumento da cicatrização da úlcera quando Ranitidina bismutrex é administrada com alimentos.
Interações: Nos ensaios em doentes tratados com terapêutica tripla, durante 7 dias, a administração de Ranitidina bismutrex, claritromicina e metronidazol ou amoxicilina não causou este aumento. Os níveis de claritromicina não são alterados pela administração de ranitidina bismuto citrato, embora a exposição sistémica ao metabolito activo da claritromicina seja aumentada. A administração concomitante de claritromicina aumenta a absorção da ranitidina. Este aumento da exposição à ranitidina não tem significado clínico devido ao largo índice terapêutico da ranitidina.

Ranitidina bismutrex + Amoxicilina

Observações: Os alimentos diminuem a absorção do bismuto, efeito este sem qualquer relevância clínica. Dados limitados sugerem um aumento da cicatrização da úlcera quando Ranitidina bismutrex é administrada com alimentos.
Interações: Nos ensaios em doentes tratados com terapêutica tripla, durante 7 dias, a administração de Ranitidina bismutrex, claritromicina e metronidazol ou amoxicilina não causou este aumento. Os níveis de claritromicina não são alterados pela administração de ranitidina bismuto citrato, embora a exposição sistémica ao metabolito activo da claritromicina seja aumentada. A administração concomitante de claritromicina aumenta a absorção da ranitidina. Este aumento da exposição à ranitidina não tem significado clínico devido ao largo índice terapêutico da ranitidina.

Ranitidina bismutrex + Antiácidos

Observações: Os alimentos diminuem a absorção do bismuto, efeito este sem qualquer relevância clínica. Dados limitados sugerem um aumento da cicatrização da úlcera quando Ranitidina bismutrex é administrada com alimentos.
Interações: A administração concomitante de Ranitidina bismutrex e antiácidos não tem qualquer efeito clínico relevante.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 10 de Março de 2016