Fenilbutirato de sódio

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento Uso Hospitalar DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Fenilbutirato de sódio ajuda o organismo a eliminar os resíduos de azoto, reduzindo a quantidade de amónia no organismo.
Usos comuns
Fenilbutirato de sódio está indicado para doentes com distúrbios do ciclo da ureia.

As pessoas que sofrem desta doença rara apresentam deficiência de determinadas enzimas do fígado e, como tal, são incapazes de eliminar resíduos de azoto.

O azoto é um dos elementos que constitui as proteínas e, por este motivo, existe uma acumulação de azoto no organismo após a ingestão de proteínas.

Os resíduos de azoto, sob a forma de amónia, são sobretudo tóxicos para o cérebro e, nos casos mais graves, podem conduzir a redução dos níveis de consciência e a coma.


Fenilbutirato de sódio ajuda o organismo a eliminar os resíduos de azoto, reduzindo a quantidade de amónia no organismo.



Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Tratar os transtornos do ciclo da ureia (excreção de nitrogénio ou amónia) juntamente com a dieta prescrita.
Classificação CFT
n.d.     n.d. 20.09     Outros medicamentos
Mecanismo De Ação
O fenilbutirato de sódio é um pró-fármaco rapidamente metabolizado em fenilacetato.

O fenilacetato é um composto metabolicamente ativo que se conjuga com a glutamina por acetilação para formar a fenilacetilglutamina, que é então excretada pelos rins.

Numa base molar, a fenilacetilglutamina é comparável à ureia (cada uma contendo 2 moles de azoto).

Assim, a fenilacetilglutamina proporciona um veículo alternativo para a excreção de azoto residual.

Com base em estudos sobre a excreção de fenilacetilglutamina em doentes com perturbações do ciclo de ureia, é possível calcular que, para cada grama de fenilbutirato de sódio administrado, se produz 0,12 a 0,15 g de nitrofenilacetilglutamina.


Consequentemente, o fenilbutirato de sódio reduz os níveis de glutamina e amónia elevados no plasma, em doentes com perturbações do ciclo de ureia.

É importante que o diagnóstico seja efetuado precocemente e que o tratamento seja iniciado logo de imediato para melhorar a sobrevivência e os resultados clínicos.


Antigamente, a apresentação de início neonatal de perturbações do ciclo da ureia era quase sempre fatal durante o primeiro ano de vida, mesmo quando tratada por meio de diálise peritoneal e aminoácidos essenciais ou seus análogos isentos de azoto.

Com a hemodiálise, a utilização de vias alternativas de excreção do azoto residual (fenilbutirato de sódio, benzoato de sódio e fenilacetato de sódio), uma restrição de proteínas na dieta e, em alguns casos, um suplemento de aminoácidos essenciais, a taxa de sobrevivência nos recém-nascidos diagnosticados após o nascimento (mas dentro do primeiro mês de vida) aumentou em cerca de 80%, verificando-se agora que a maior parte dos casos fatais ocorre durante um episódio de encefalopatia hiperamonémica aguda.

Os doentes com doença de início neonatal apresentavam uma elevada incidência de atraso mental.


Em doentes diagnosticados durante a gestação e tratados antes de qualquer episódio de encefalopatia hiperamonémica, a taxa de sobrevivência era de 100%, mas mesmo estes doentes demonstravam posteriormente, na sua maior parte, um qualquer distúrbio cognitivo ou outros défices neurológicos.


Nos doentes com deficiência de início tardio, incluindo indivíduos do sexo feminino heterozigóticos com deficiência de ornitina transcarbamilase, que tinham recuperado de uma encefalopatia hiperamonémica e que tinham sido então submetidos a tratamento crónico com fenilbutirato de sódio e restrição de proteínas na dieta, a taxa de sobrevivência foi de 98%.

A maior parte dos doentes testados apresentavam um QI dentro da faixa média a média baixa, no limite do atraso mental.

O seu rendimento cognitivo manteve-se relativamente estável durante o tratamento com fenilbutirato.


Não é de prever a reversão de uma lesão neurológica pré-existente com o tratamento e a deterioração neurológica pode continuar em certos doentes.



Posologia Orientativa
A dose diária total usual de fenilbutirato de sódio na experiência clínica é de:
450 - 600 mg/kg/dia, em crianças com menos de 20 kg de peso
9,9 -13,0 g/m2/dia, em crianças com mais de 20 kg de peso, adolescentes e adultos.


Não foi estabelecida a segurança e a eficácia de doses superiores a 20 g/dia (40 comprimidos).



Administração
Via oral.


O tratamento deve ser supervisionado por um médico experiente no tratamento de perturbações do ciclo da ureia.



A dose diária total deve ser dividida em partes iguais e administrada com cada refeição, por exemplo, três vezes por dia.

Os comprimidos devem ser tomados com um grande volume de água.



Contraindicações
Hipersensibilidade ao Fenilbutirato de sódio
Gravidez
Aleitamento
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Doenças do sangue e do sistema linfático
Frequentes: Anemia, trombocitopenia, leucopenia, leucocitose, trombocitemia
Pouco frequentes: Anemia aplástica, equimose

Doenças do metabolismo e da nutrição
Frequentes: Acidose metabólica, alcalose, redução do apetite

Perturbações do foro psiquiátrico
Frequentes: Depressão, irritabilidade

Doenças do sistema nervoso
Frequentes: Síncope, cefaleia

Cardiopatias
Frequente: Edema
Pouco frequente: Arritmia

Doenças gastrointestinais
Frequentes: Dor abdominal, vómitos, náuseas, obstipação, disgeusia
Pouco frequentes: Pancreatite, úlcera péptica, hemorragia retal, gastrite

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos
Frequentes: Erupção cutânea, odor cutâneo anormal

Doenças renais e urinárias
Frequente: Acidose tubular renal

Doenças dos órgãos genitais e da mama
Muito frequentes: Amenorreia, irregularidades menstruais

Exames complementares de diagnóstico
Frequentes: Redução do potássio, albumina, proteínas totais e fosfato sanguíneos.

Aumento da fosfatase alcalina, transaminases, bilirrubina, ácido úrico, aumento de cloreto, fosfato e sódio sanguíneos.

Aumento de peso.



Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento:A utilização de Fenilbutirato de sódio é contraindicada durante o aleitamento
Precauções Gerais
Os comprimidos não devem ser utilizados em doentes com disfagia devido ao risco potencial de ulceração esofágica caso os comprimidos não cheguem rapidamente ao estômago.


Cada comprimido contém 62 mg (2,7 mmol) de sódio, que corresponde a 2,5 g (108 mmol) de sódio por cada 20 g de fenilbutirato de sódio, que é a dose diária máxima.


Por conseguinte, deve ser utilizado com precaução em doentes com insuficiência cardíaca congestiva ou com grave insuficiência renal e em condições clínicas em que se verifique retenção de sódio com edema.


Uma vez que o metabolismo e excreção de fenilbutirato de sódio envolvem o fígado e os rins, Fenilbutirato de sódio deve ser utilizado com precaução em doentes que apresentem insuficiência hepática ou renal.


Os níveis séricos de potássio devem ser monitorizados durante o tratamento uma vez que a excreção renal de fenilacetilglutamina pode induzir uma perda de potássio por via urinária.


Mesmo sob tratamento, é possível a ocorrência de encefalopatia hiperamonémica em diversos doentes.


Fenilbutirato de sódio não está recomendado no controlo de hiperamonemia aguda, a qual constitui uma emergência médica.



Cuidados com a Dieta
Tomar com uma dieta de baixo teor de proteínas.
Terapêutica Interrompida
Deve tomar uma dose logo que possível, com a próxima refeição.

Garanta um período de, pelo menos, 3 horas entre duas doses.

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.



Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.


Não conservar acima de 25ºC.



Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Fenilbutirato de sódio + Probenecida

Observações: N.D.
Interações: A administração concomitante de probenecida pode afectar a excreção renal do produto de conjugação de fenilbutirato de sódio.

Fenilbutirato de sódio + Haloperidol

Observações: N.D.
Interações: Foram publicados relatórios acerca da indução de hiperamonemia induzida por haloperidol e valproato.

Fenilbutirato de sódio + Valproato semisódico (ácido valpróico)

Observações: N.D.
Interações: Foram publicados relatórios acerca da indução de hiperamonemia induzida por haloperidol e valproato.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fenilbutirato de sódio + Corticosteroides

Observações: N.D.
Interações: Os corticosteróides podem aumentar o catabolismo das proteínas e por consequência aumentar os níveis plasmáticos de amónia. Se for necessário utilizar estes medicamentos, aconselha-se uma monitorização mais frequente dos níveis plasmáticos de amónia.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

A utilização de Fenilbutirato de sódio é contraindicada durante a gravidez.

Terão de ser tomadas medidas contracetivas seguras no caso de mulheres com potencial para engravidar.

A utilização de Fenilbutirato de sódio é contraindicada durante o aleitamento
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017