Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina)

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência na Condução DCI com Advertência no Dopping
O que é
Narcótico.

Analgésico opióide forte.

Heroína, cujo nome científico é diacetilmorfina, é uma droga opióide semissintética obtida a partir de plantas da espécie Papaver somniferum, da qual é extraído o ópio.

Durante o processamento do ópio origina-se a morfina que então é transformada em heroína.

Trata-se de um entorpecente, muitas vezes obtido em laboratórios clandestinos, que provoca diminuição da atividade do SNC ou seja é uma substância depressora.

Produz sensações de prazer intenso, muitas vezes comparados com um orgasmo.

Após essa fase de euforia ocorre um período de sedação.

A droga causa tolerância de forma rápida e o indivíduo busca maiores doses para obter o mesmo efeito.

Também produz dependência física.

Dopping: Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Usos comuns
Diamorfina é utilizada para tratar a dor grave.

Pode ser usada para a dor causada pelo cancro, e para aliviar a dor, antes, durante e depois de uma operação.

Também pode ser utilizada na sequência de um ataque cardíaco, ou para a falta de ar devido a líquido nos pulmões.

Funciona sobre os nervos e do cérebro para reduzir a quantidade de dor que sente.
Tipo
Molécula pequena.
História
Foi sintetizada pelo químico inglês Charles Romley Alder Wright em 1874 e introduzida no mercado de medicamentos pelo químico Felix Hoffmann, da Bayer, em 21 de agosto de 1897.

Seu nome provavelmente provém do alemão heroisch e indica a sensação observada pelos usuários durante estudos iniciais.

Foi usada para tratamento de viciados em morfina e como sedativo da tosse em crianças de 1898 a 1910, quando foi descoberto que a heroína convertia-se em morfina no fígado, ironicamente sendo até mais viciante que a morfina.

O seu nome comercial foi cedido pela Alemanha aos Aliados em 1918 como parte das indenizações de guerra.

A heroína foi proibida nos países ocidentais no início do século XX devido à grave dependência física que provoca.
Indicações
Diamorfina é utilizada para tratar a dor grave.

Pode ser usada para a dor causada pelo cancro, e para aliviar a dor, antes, durante e depois de uma operação.

Também pode ser utilizada na sequência de um ataque cardíaco, ou para a falta de ar devido a líquido nos pulmões.

Funciona sobre os nervos e do cérebro para reduzir a quantidade de dor que sente.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
Os receptores opioides são classificados nos tipo δ (delta) μ (mu ou mi), κ (kappa) existem nos neurónios de algumas zonas do cérebro, medula espinal e nos sistemas neuronais do intestino.

A heroína ativa (agonista farmacológico) todos os receptores opioides, mas os seus efeitos são largamente devidos à ativação do subtipo mi, efetivo na ação analgésica.

O mecanismo prazer e bem-estar produzido pelo consumo da heroína não está completamente esclarecido, mas sabe-se que, como o das outras drogas recreativas, é devido a interferência nas vias dopaminérgicas (vias que utilizam o neurotransmissor dopamina) meso-límbicas-meso-corticais.

As vias dopaminérgicas que relacionam o sistema límbico (região das emoções e aprendizagem) e o córtex (região dos mecanismos conscientes) são importantes na produção de prazer.

Normalmente, elas só são ativadas de forma limitada em circunstâncias especificas, ligadas à recompensa da aprendizagem e dos comportamentos bem sucedidos relacionados à obtenção de recursos, conhecimentos ou ligações sociais ou sexuais importantes para o sucesso do indivíduo.

No consumo de droga, estas vias são modificadas e pervertidas ("highjacked") e passam a responder de forma positiva apenas ao distúrbio bioquímico cerebral criado pela própria droga.

Grande parte da motivação do indivíduo passa assim para a obtenção e consumo da droga, e os interesses sociais, familiares, ambição profissional, aprendizagem e outros factores não diretamente importantes para a sua obtenção são com o consumo crescente cada vez mais desleixados, sem que muitas vezes o indivíduo tome decisões conscientes nesse sentido.
Posologia Orientativa
Diamorfina normalmente é administrado por injecção pelo enfermeiro ou médico.
Administração
Via oral, inalação, transmucosa, intravenosa, intranasal, retal e intramuscular.
Contraindicações
Hipersensibilidade à Diamorfina.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Os efeitos secundários mais comuns:

Sentir-se ou estar doente:
Isso geralmente passa como o seu corpo começa a se ajustar, mas avise o médico se continuar.

O médico pode prescrever um medicamento para aliviar a doença.

Prisão de ventre:
Tente comer uma dieta bem equilibrada que contém muita fibra e beber 6-8 copos de água por dia.

Se isso continuar o seu médico pode prescrever um laxante.

Tonturas, especialmente quando se levantam de uma posição sentada ou deitada:
Levantar-se lentamente ajuda.

Boca seca:
Mascar pastilha sem açúcar ou chupar rebuçados sem açúcar.

Se isso se tornar problemático falar com o médico ou farmacêutico.

Sonolência, dificuldades com a visão:
Não conduza ou faça coisas que seja perigoso quando não está totalmente alerta e capaz de ver claramente.

Outros efeitos secundários comuns incluem: rigidez, palpitações, pernas ou tornozelos inchados, alterações de humor, confusão, distúrbios do sono, dores de cabeça, dificuldades sexuais, dificuldade para urinar, transpiração, erupção cutânea e prurido:
Se alguma destas situações se agravar fale com o médico.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez e amamentação.
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez e amamentação.
Dopping
Dopping:Dopping: Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro
Conducao
Conducao:Não beba álcool com Diamorfina pois isso vai aumentar os efeitos secundários de tontura e sonolência.
Precauções Gerais
Antes de tomar Diamorfina fale com o médico ou farmacêutico:

Se estiver grávida ou a amamentar.

Se tiver problemas de fígado, rim ou de próstata.

Se tem problemas respiratórios, como a asma.

Se tem pressão arterial baixa.

Se tem problemas da tiróide.

Se sofre de convulsões.

Se tem um problemas no seu ducto biliar.

Se tiver diarreia grave, ou que tenha obstipação por mais de uma semana, ou um problema intestinal.

Se tiver feocromocitoma ou qualquer outro problema de glândula adrenal.

Se tem miastenia gravis (uma doença fraqueza muscular).

Se teve/sofreu recentemente um grave ferimento na cabeça.

Se já teve um problemas de vício com drogas.

Se tem psicose tóxica (um problema de saúde mental).

Se já teve uma reação alérgica a este ou a qualquer outro medicamento.

Se estiver a tomar outros medicamentos, incluindo medicamentos de venda livre.
Cuidados com a Dieta
Não beba álcool com Diamorfina pois isso vai aumentar os efeitos secundários de tontura e sonolência.
Terapêutica Interrompida
Não aplicável.
Cuidados no Armazenamento
Mantenha todos os medicamentos fora do alcance e da vista das crianças.

Guarde em lugar fresco e seco, longe do calor direto e luz.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina) + Depressores do SNC

Observações: A heroína é extremamente difícil de controlar, e não são raras as sobredosagens acidentais por consumidores.
Interações: Diamorfina potencia os efeitos de outros depressores centrais, aumentando o risco de sobredosagem.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina) + Álcool

Observações: A heroína é extremamente difícil de controlar, e não são raras as sobredosagens acidentais por consumidores.
Interações: O consumo concomitante de álcool, benzodiazepinas, cocaína ou anfetaminas, barbitúricos, antiepiléticos e antipsicóticos aumenta muito o risco de sobredosagem e morte.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina) + Benzodiazepinas

Observações: A heroína é extremamente difícil de controlar, e não são raras as sobredosagens acidentais por consumidores.
Interações: O consumo concomitante de álcool, benzodiazepinas, cocaína ou anfetaminas, barbitúricos, antiepiléticos e antipsicóticos aumenta muito o risco de sobredosagem e morte.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina) + Cocaina

Observações: A heroína é extremamente difícil de controlar, e não são raras as sobredosagens acidentais por consumidores.
Interações: O consumo concomitante de álcool, benzodiazepinas, cocaína ou anfetaminas, barbitúricos, antiepiléticos e antipsicóticos aumenta muito o risco de sobredosagem e morte.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina) + Anfetaminas

Observações: A heroína é extremamente difícil de controlar, e não são raras as sobredosagens acidentais por consumidores.
Interações: O consumo concomitante de álcool, benzodiazepinas, cocaína ou anfetaminas, barbitúricos, antiepiléticos e antipsicóticos aumenta muito o risco de sobredosagem e morte.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina) + Barbitúricos

Observações: A heroína é extremamente difícil de controlar, e não são raras as sobredosagens acidentais por consumidores.
Interações: O consumo concomitante de álcool, benzodiazepinas, cocaína ou anfetaminas, barbitúricos, antiepiléticos e antipsicóticos aumenta muito o risco de sobredosagem e morte.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina) + Antiepilépticos (AEs)

Observações: A heroína é extremamente difícil de controlar, e não são raras as sobredosagens acidentais por consumidores.
Interações: O consumo concomitante de álcool, benzodiazepinas, cocaína ou anfetaminas, barbitúricos, antiepiléticos e antipsicóticos aumenta muito o risco de sobredosagem e morte.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina) + Antipsicóticos

Observações: A heroína é extremamente difícil de controlar, e não são raras as sobredosagens acidentais por consumidores.
Interações: O consumo concomitante de álcool, benzodiazepinas, cocaína ou anfetaminas, barbitúricos, antiepiléticos e antipsicóticos aumenta muito o risco de sobredosagem e morte.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Indocianina verde + Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina)

Observações: N.D.
Interações: Seguidamente, apresenta-se uma lista geral das interações com outros medicamentos: Anticonvulsivantes Compostos de bissulfito Haloperidol Heroina Meperidina Metamizol Metadona Morfina Nitrofurantoina Alcaloides opiáceos Fenobarbital Fenilbutazona

Tecnécio (99mTc) macrosalb + Diamorfina (Heroína, Diacetilmorfina)

Observações: N.D.
Interações: Interações toxicológicas podem ser ocasionadas pela heroína, nitrofurantoina, busulfan, ciclofosfamida, bleomicina, metotrexato, metisergida.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Não administrar durante a gravidez e amamentação.

Não beba álcool com Diamorfina pois isso vai aumentar os efeitos secundários de tontura e sonolência.

Dopping: Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017