Aspirina parece não diminuir mortalidade por cancro da próstata

  Tupam Editores

Cientistas da Dinamarca descobriram que a toma de uma baixa dose de aspirina não parece reduzir o risco de morte por cancro da próstata, mas pode retardar a doença em alguns casos.

Para pacientes com tumores não agressivos de crescimento lento, a aspirina pareceu impedir o cancro de progredir. Um pequeno benefício também foi observado entre os homens que tomaram aspirina por mais de cinco anos, descobriram os pesquisadores.

A aspirina é amplamente utilizada devido à sua proteção estabelecida contra doenças cardiovasculares. Mas evidências crescentes sugerem que a aspirina pode reduzir o risco de desenvolver e morrer de cancro do cólon e outros tipos de tumor. Pensou-se que o cancro da próstata poderia ser adicionado a essa lista.

Aspirina-próstata

Para o estudo, a equipa recolheu dados sobre mais de 29 mil homens, com idade média de 70 anos, que foram diagnosticados com cancro da próstata entre 2000 e 2011.

Durante quase cinco anos de acompanhamento, mais de 7 600 homens morreram da doença e mais de 5 500 morreram de outras causas, segundo o estudo.

Observou-se que a aspirina não foi associada, neste grande estudo, a um menor risco de morte por cancro da próstata, apesar dessa associação parecer ser promissora em estudos anteriores em laboratório.

Ainda assim, o risco foi reduzido entre os que usaram aspirina num subgrupo de homens com cancro da próstata de menor risco.

Os resultados foram publicados na revista Annals of Internal Medicine.

ARTIGO

Relacionados

CONTAMINAÇÕES HOSPITALARES

O conceito geral de hospital tem a sua origem no vocábulo latino hospes (hóspede ou hospedeiro) do qual resulta hospitalitas (hospitalidade), noção que ao longo do tempo passou a dizer respeito à qual...

Destaques

MENOPAUSA

A forma como homens e mulheres lidam com os primeiros sinais de envelhecimento difere. No entanto, são cada vez mais as pessoas que encaram com naturalidade a nova fase da vida, desfrutando em pleno...

VACINAÇÃO

Um dos maiores trunfos da ciência foi a imunização em larga escala da população, aventura que teve início há mais de mil anos.
0 Comentários