Anemia é já um problema de saúde pública

  Tupam Editores

De acordo com o estudo EMPIRE, realizado em 2015, um em cada cinco portugueses adultos tem anemia, o que faz desta uma condição de elevada prevalência no país. Cerca de 84 por cento dos doentes não sabe que tem anemia.

Para António Robalo Nunes, presidente do Anemia Working Group Portugal, “estamos perante um problema de saúde pública”. É ainda de referir que mais de metade de todos os casos de anemia é provocada por défice de ferro.

O ferro é um nutriente essencial para o organismo, para a saúde física e mental e para manter os níveis de energia adequados à atividade. Fadiga, tonturas, falta de ar, maior suscetibilidade para infeções, aftas, dores de cabeça, queda de cabelo ou intolerância ao frio são alguns dos principais sintomas provocados pelo aporte deficiente de ferro no organismo.  

Teste-sangue

A anemia causada por deficiência de ferro tem um impacto significativo na saúde, aumentando o risco de morbilidade e mortalidade por agravamento de outras doenças subjacentes.

Os doentes com anemia apresentam sintomas de fadiga e têm uma qualidade de vida reduzida, quando comparados com doentes não-anémicos, tendo um impacto negativo na sua produtividade.

Para Robalo Nunes, “é essencial sensibilizar a população para este tema, pois, normalmente, subvalorizam um dos sintomas mais comuns - a fadiga - associando-o a outras situações. No entanto, a deficiência de ferro ou a anemia, quando não é tratada poderão ter implicações sérias na qualidade de vida do doente”.

Perante o diagnóstico, o tratamento depende do que é mais adequado a cada situação e a cada doente, reforça o médico.

ARTIGO

Relacionados

Destaques

MENOPAUSA

A forma como homens e mulheres lidam com os primeiros sinais de envelhecimento difere. No entanto, são cada vez mais as pessoas que encaram com naturalidade a nova fase da vida, desfrutando em pleno...

VACINAÇÃO

Um dos maiores trunfos da ciência foi a imunização em larga escala da população, aventura que teve início há mais de mil anos.
0 Comentários