INFERTILIDADE

Conceção por reprodução assistida afeta saúde cardíaca da criança

Uma investigação internacional que incluiu especialistas da Austrália, China e Finlândia permitiu descobrir que as crianças concebidas através de injeção intracitoplasmática de espermatozoides (ICSI) ou fertilização in vitro (FIV) podem ter pressão arterial mais alta e alterações na estrutura ventricular esquerda (uma das quatro câmaras do coração).

Conceção por reprodução assistida afeta saúde cardíaca da criança
INFERTILIDADE - A CEGONHA QUE TARDA EM CHEGAR

SEXUALIDADE E FERTILIDADE

INFERTILIDADE - A CEGONHA QUE TARDA EM CHEGAR


De referir que os passos envolvidos nestas técnicas de reprodução assistida são semelhantes. A diferença reside no facto de na FIV ser necessário um grande número de espermatozoides, enquanto a ICSI é um procedimento no qual um único espermatozoide é injetado diretamente num óvulo, um procedimento mais adequado e utilizado frequentemente para, por exemplo, ultrapassar problemas de infertilidade masculina.

Fizeram parte do estudo 764 participantes, com idades compreendidas entre os 6 e os 10 anos, que foram recrutados de novembro de 2017 até fevereiro de 2019. De entre estas crianças, 382 haviam sido concebidas com uma das duas tecnologias de reprodução assistida e as outras 382 tinham sido concebidas naturalmente.

Os cientistas monitorizaram a pressão arterial e realizaram ecocardiografias às crianças de forma a avaliar a função e a estrutura ventricular esquerda. A avaliação revelou que o grupo concebido através de reprodução assistida apresentava diferenças estatisticamente significativas na pressão arterial e na estrutura ventricular esquerda, duas condições que podem causar problemas de saúde mais tarde.

Para a equipa estes primeiros resultados destacam a necessidade da realização de estudos mais aprofundados e de prazo mais longo de forma a avaliar o impacto das técnicas de ICSI e de FIV no coração, para garantir que quaisquer potenciais problemas de saúde sejam identificados e tratados o mais cedo possível.

Acima de tudo, os resultados acentuam a importância da deteção precoce, de potenciais intervenções e da melhoria da saúde cardiovascular entre as crianças concebidas por tecnologia de reprodução assistida.

Fonte: Tupam Editores

OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS


ÚLTIMAS NOTÍCIAS