Similares Químicos

Produtos com a mesma molécula e do mesmo Grupo Terapêutico

Similares Terapêuticos

Produtos do mesmo Grupo Terapêutico

Paracetamol + Ácido ascórbico

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
Analgésicos e antipiréticos.

O paracetamol nas doses terapêuticas possui propriedades analgésicas e antipiréticas, sendo destituído de acção anti-inflamatória.
A actividade analgésica do paracetamol é maioritariamente periférica, sendo evidenciada nas dores de intensidade ligeira a moderada.
Não possui efeito nas dores espasmódicas de origem visceral.
O paracetamol reduz a temperatura corporal nos casos de hipertermia, mas não possui efeito significativo nos casos de normotermia.

Existem estudos publicados sobre o papel do ácido ascórbico ou vitamina C, na prevenção e tratamento das e constipações.
Além disso, esta vitamina permite suprir uma eventual deficiência em ácido ascórbico.
Usos comuns
Paracetamol / Ácido ascórbico é um medicamento analgésico (alivia as dores) e antipirético (faz baixar a febre).
Tipo
Sem informação.
Indicações
Paracetamol / Ácido ascórbico está indicado no tratamento sintomático das afecções acompanhadas de dor ou febre, em especial nos casos de síndromes gripais e constipações.
Classificação CFT

02.10 : Analgésicos e antipiréticos

Mecanismo de ação
Sem informação.
Posologia orientativa
Apenas, a título informativo e salvo indicação médica em contrário, Paracetamol / Ácido ascórbico, pode ser administrado do seguinte modo:

Adultos e crianças com idade superior a 12 anos
Deitar o conteúdo de uma ou duas saquetas numa chávena de água fria ou quente, 4 vezes por dia (pode adicionar açúcar, se desejar).
A dose da noite poderá ser preparada como bebida quente açucarada.

Dose máxima:
Adultos
- 4 g de paracetamol, ou seja, 8 saquetas por dia

Crianças com idade superior a 12 anos
- 3 g de paracetamol, ou seja, 6 saquetas por dia

Atenção: não exceda as doses diárias recomendadas.

Em caso de insuficiência renal, poderá ser necessária uma redução da dose ou um alargamento do intervalo entre as administrações.
Administração
Via oral.
Contraindicações
Não deve tomar este medicamento:
- se for alérgico ao paracetamol ou a qualquer outro componente do medicamento;
- se sofrer de doença hepática e/ou insuficiência renal graves;
- se possuir deficiência na enzima glucose-6-fosfato desidrogenase;
- em caso de porfiria e porfiria hepática.
Efeitos indesejáveis/adversos
Nas doses terapêuticas habituais, o paracetamol é geralmente bem tolerado.
No entanto, pode surgir ocasionalmente erupção cutânea ou outras reacções alérgicas (urticária, prurido e edema).

Estas reacções alérgicas ocorrem com mais frequência nos indivíduos com história anterior de alergia aos salicilatos.
O seu aparecimento impõe a suspensão do tratamento.

Muito raramente, podem surgir alterações sanguíneas relacionadas com a administração prolongada de doses elevadas.

Outros efeitos indesejáveis descritos incluem: Náuseas, vómitos, diarreia e dor abdominal; Dificuldade ou dor ao urinar, diminuição do volume urinário, vestígios de sangue na urina; Febre, hipoglicemia (diminuição do teor em açúcar no sangue), icterícia, insuficiência hepática.

Também se encontra descrita a ocorrência de síndrome de Lyell e de síndrome de Stevens-Johnson.
Precauções gerais
Nas doses aconselhadas, o paracetamol é relativamente atóxico.
No entanto, são possíveis reacções cutâneas alérgicas.

Paracetamol / Ácido ascórbico deve ser administrado com precaução em doentes com insuficiência cardíaca, hepática, renal ou anemia (nestes doentes a administração deve fazer-se sob vigilância e apenas por curtos períodos).

O paracetamol deve ser administrado com precaução em doentes com historial de alcoolismo, uma vez que nestes doentes o risco de aparecimento ou agravamento de lesão hepática é maior.

Não tome Paracetamol / Ácido ascórbico para o alívio da dor durante mais de 7 dias (adultos) ou durante mais de 5 dias (crianças), excepto se prescrito pelo médico, pois uma dor intensa e prolongada pode requerer avaliação e tratamento médico.

Também não tome este medicamento em caso de febre elevada (superior a 39ºC), febre de duração superior a 3 dias ou febre recorrente, excepto se prescrito pelo médico, pois estas situações requerem avaliação e tratamento médico.

Não exceda as doses recomendadas.

De uma maneira geral, o paracetamol pode ser tomado com outros medicamentos.
Contudo, no caso de tomar algum dos seguintes medicamentos deverá consultar o médico antes de tomar Paracetamol / Ácido ascórbico:
- medicamentos contendo paracetamol, salicilatos ou outros anti-inflamatórios não esteróides;
- medicamentos para a epilepsia;
- rifampicina ou cloranfenicol (antibióticos);
- medicamentos contendo zidovudina (AZT) (anti-viral);
- medicamentos contendo varfarina (anticoagulante):- colestiramina (fármaco que reduz o colesterol no sangue): como os medicamentos que contêm esta substância reduzem a absorção do paracetamol, deverá esperar 1 hora entre a sua administração e a do paracetamol.

No caso de ingerir habitualmente mais de 3 bebidas alcoólicas/dia, o risco de aparecimento ou agravamento de lesão hepática é maior.

Assim, deve evitar o uso regular ou excessivo de paracetamol ou, alternativamente, não deve consumir álcool durante o seu uso.

O paracetamol pode falsear alguns resultados laboratoriais (ácido úrico e glicémia), pelo que o doente deverá alertar para o facto de estar a tomar (ou ter tomado recentemente) Paracetamol / Ácido ascórbico.
Cuidados com a dieta
Evite bebidas alcoólicas.
Resposta à overdose
Procurar atendimento médico de emergência ou ligar para o Centro de intoxicações.

Nas primeiras 24 horas, os sintomas de sobredosagem com paracetamol incluem: palidez, náuseas, vómitos, anorexia e dores abdominais.
As lesões hepáticas são prováveis em adultos que ingeriram doses de paracetamol iguais ou superiores a 10 g.

Tratamento: Apesar da ausência de sintomas precoces, a intoxicação aguda pelo paracetamol implica a hospitalização imediata e, consoante o grau de intoxicação e o tempo decorrido, ser-lhe-ão administradas as adequadas medidas de tratamento e de suporte (administração de acetilcisteína, esvaziamento gástrico, administração de carvão activado e/ou hemodiálise, diurese forçada, etc.).
Terapêutica interrompida
Uma vez que a necessidade de tomar este medicamento é consequência de uma situação dolorosa ou de um estado febril, é pouco provável que se esqueça de o tomar.
Contudo, se tal acontecer tome-o logo que se lembrar, mas não tome uma dose a dobrar para compensar a que se esqueceu.
Se estiver próximo da hora da nova toma, espere até lá, tomando a dose habitual no horário normal e prosseguindo o tratamento como de costume.
Cuidados no armazenamento
Não guarde o medicamento acima de 25ºC.
Proteja-o da luz e humidade.

Mantenha todos os medicamentos fora do alcance de crianças e animais de estimação.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu médico, enfermeiro ou farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espectro de susceptibilidade e tolerância bacteriológica
Sem informação.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 26 de Novembro de 2020