Zolmitriptano

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Hepática DCI com Advertência na Condução DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Zolmitriptano e pertence a um grupo de medicamentos designados por triptanos.

Zolmitriptano é um fármaco utilizado pela medicina como anti-enxaqueca.

Agonista dos receptores 5HT1D, 5HT1A e 5HT2, 5HT3 e 5HT4, alfa-adrenérgicos, beta-adrenérgicos, histaminérgicos, muscarínicos e dopaminérgicos.

A sua ação envolve basicamente o recetor 5HT1D, responsável pelo controle da vasoconstrição dos vasos do crânio e da duramáter, onde existem fibras nervosas aferentes provindas do trigémeo, provocantes de dor e vasodilatação.
Usos comuns
Zolmitriptano é utilizado para tratar a dor de cabeça da enxaqueca.

Os sintomas de enxaqueca poderão ser provocados pela dilatação dos vasos sanguíneos da cabeça.

Pensa-se que Zolmitriptano reduz a dilatação destes vasos sanguíneos.

Isto ajuda a fazer desaparecer a dor de cabeça e outros sintomas de um ataque de enxaqueca, como as náuseas ou vómitos e ficar sensível à luz e ao som.

Zolmitriptano apenas actua após o início da crise de enxaqueca.

Não o vai impedir de ter uma crise.
Tipo
Molécula pequena
História
O zolmitriptano é comercializado pela AstraZeneca.
Patente da AstraZeneca EUA em tábuas Zomig expirou em 14 de novembro de 2012 e sua extensão exclusividade pediátrica expirou em 14 de maio de 2013. A patente em certos países europeus já expirou também, e fabricante de medicamentos genéricos Actavis lançou uma versão genérica nesses países, a partir de março de 2012.
Indicações
Tratamento agudo da cefaleia da enxaqueca com ou sem aura.
Classificação CFT
02.11     Medicamentos usados na enxaqueca
Mecanismo De Ação
O zolmitriptano demonstrou ser um agonista selectivo dos receptores 5HT1B/1D que medeia a contracção vascular. O zolmitriptano possui elevada afinidade para os receptores recombinantes humanos 5HTIB e 5HTID, e modesta afinidade para os receptores 5HTIA. O zolmitriptano não possui afinidade ou actividade farmacológica significativas noutros subtipos de receptores da 5HT (5HT2, 5HT3, 5HT4) nem em receptores adrenérgicos, histamínicos, muscarínicos ou dopaminérgicos.

Em modelos animais, a administração de zolmitriptano provoca vasoconstrição na circulação arterial carotídea. Além disso, estudos experimentais em animais sugerem que o zolmitriptano inibe a actividade central e periférica do nervo trigémeo com inibição da libertação de neuropéptidos (péptido relacionado com o gene da calcitonina (CGRP), péptido intestinal vasoactivo (VIP) e Substância P).
Em estudos clínicos com comprimidos convencionais de zolmitriptano o início da eficácia é aparente a partir de uma hora após a toma, com eficácia crescente a ser verificada entre 2 e 4 horas na cefaleia e noutros sintomas da enxaqueca, como náuseas, fotofobia e fonofobia.

O zolmitriptano, quando administrado na forma de comprimidos orais convencionais, é consistentemente eficaz na enxaqueca com ou sem aura e na enxaqueca associada à menstruação. Não foi demonstrado que o zolmitriptano, quando administrado na forma de comprimidos orais convencionais e tomado durante a aura, previna a cefaleia da enxaqueca e portanto Zolmitriptano deverá ser tomado durante a fase da cefaleia da enxaqueca.

Um ensaio clínico controlado em 696 adolescentes com enxaqueca não conseguiu demonstrar superioridade dos comprimidos de zolmitriptano em doses de 2,5 mg, 5 mg e 10 mg em relação ao placebo. A eficácia não foi demonstrada.
Posologia Orientativa
A dose recomendada de zolmitriptano para tratar uma crise de enxaqueca é de 2,5 mg.

A ingestão diária total não deverá exceder 10 mg. Não deverão ser tomadas mais do que 2 doses de zolmitriptano em qualquer período de 24 horas.
Administração
Engula o comprimido com água.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao Zolmitriptano.
Hipertensão moderada ou grave e hipertensão ligeira não controlada.
Esta classe de compostos (agonistas dos receptores 5HT1B/1D) foi associada a vasospasmo coronário. Em consequência disso os doentes com doença cardíaca isquémica foram excluídos dos ensaios clínicos. Portanto Zolmitriptano não deverá ser administrado a doentes que sofreram um enfarte do miocárdio ou que têm doença cardíaca isquémica, vasospasmo coronário (angina de Prinzmetal), doença vascular periférica ou doentes que tenham sintomas ou sinais consistentes com doença cardíaca isquémica.
A administração concomitante de ergotamina, derivados da ergotamina (incluindo metisergida), sumatriptano, naratriptano e outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D com zolmitriptano é contra-indicada.
O zolmitriptano não deverá ser administrado a doentes com uma história de acidente vascular cerebral (AVC) ou ataque isquémico transitório (AIT).
O zolmitriptano é contra-indicado em doentes com uma depuração de creatinina inferior a 15 ml/min.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Cardiopatias:
Frequentes: palpitações.
Pouco frequentes: taquicardia; ligeiro aumento da pressão arterial. Aumentos transitórios da pressão arterial sistémica.
Muito raros: enfarte do miocárdio; angina de peito, vasospasmo coronário.
Doenças do sistema nervoso:
Frequentes: anomalias ou perturbações da sensação; tonturas; cefaleia; hiperestesia; parestesia; sonolência; sensação de calor.
Doenças gastrointestinais:
Frequentes: dor abdominal, náuseas, vómitos; boca seca.
Muito raros: isquemia ou enfarte (p. ex. isquemia intestinal, enfarte intestinal, enfarte esplénico) que poderão apresentar-se como diarreia sanguinolenta ou dor abdominal.
Doenças renais e urinárias:
Pouco frequentes: poliúria; frequência urinária aumentada.
Muito raros: urgência urinária.
Afecções musculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos:
Frequentes: fraqueza muscular; mialgia.
Perturbações gerais e alterações no local de administração:
Frequentes: astenia; sensação de peso, aperto, dor ou pressão na garganta, pescoço, membros ou peito.
Doenças do sistema imunitário:
Raros: reacções de hipersensibilidade, incluindo urticária, angioedema e reacções anafilácticas.
Alguns sintomas poderão fazer parte do próprio ataque de enxaqueca.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Evitar; não se dispõe de dados seguros. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados.
Aleitamento
Aleitamento:Evitar; interromper o aleitamento durante 24 horas; presente no leite em estudos animais.
Insuf. Hepática
Insuf. Hepática:Não exceder 5 mg/dia.
Conducao
Conducao:Altera a capacidade de condução.
Precauções Gerais
O zolmitriptano só deverá ser utilizado nos casos em que tenha sido estabelecido um diagnóstico claro de enxaqueca. Como com outras terapêuticas da enxaqueca aguda, antes de tratar as cefaleias em doentes que não foram anteriormente diagnosticados como sofredores de enxaquecas, e em doentes que sofrem de enxaquecas que se apresentam com sintomas atípicos, deverá ser tomada precaução para excluir outras doenças neurológicas potencialmente graves. O zolmitriptano não é indicado para utilização em enxaqueca hemiplégica, basilar ou oftalmoplégica. Foram notificados AVC e outros eventos vasculares cerebrais em doentes tratados com agonistas 5HT1B/1D. Deverá ter-se em consideração que os doentes que sofrem de enxaqueca poderão estar em risco de certos eventos vasculares cerebrais.
O zolmitriptano não deverá ser administrado a doentes com síndroma de Wolff-Parkinson-White sintomático ou arritmias associadas a outras vias de condução acessórias cardíacas.

Em casos muito raros, como com outros agonistas 5HT1B/1D, foram notificados casos de vasospasmo coronário, angina de peito e enfarte do miocárdio. Zolmitriptano não deverá ser administrado a doentes com factores de risco para doença cardíaca isquémica (p. ex. tabagismo, hipertensão, hiperlipidemia, diabetes mellitus, hereditariedade) sem uma avaliação cardiovascular prévia. Deverá ser dada consideração especial às mulheres pós-menopáusicas e a homens com mais de 40 anos com estes factores de risco. Estas avaliações, contudo, poderão não identificar todos os doentes que tenham doenças cardíacas e em casos muito raros, ocorreram eventos cardíacos graves em doentes sem doença cardiovascular subjacente.
Como com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, foram notificadas sensação de peso, pressão ou aperto sobre o precórdio após a administração de zolmitriptano. Caso ocorra dor no peito ou sintomas consistentes com doença cardíaca isquémica, não deverão ser tomadas mais doses de zolmitriptano até que tenha sido efectuada uma avaliação médica apropriada.

Como com outros agonistas 5HT1B/1D foram notificados aumentos transitórios da pressão arterial sistémica em doentes com e sem uma história de hipertensão. Muito raramente estes aumentos da pressão arterial foram associados a eventos clínicos significativos. A recomendação posológica para o zolmitriptano não deverá ser ultrapassada.

Os efeitos indesejáveis poderão ser mais frequentes durante a utilização concomitante de triptanos e preparações à base de plantas que contenham hipericão (Hypericum perforatum).

Foi notificada síndroma da serotonina (incluindo estado mental alterado, instabilidade autonómica e anomalias neuromusculares) após o tratamento concomitante com triptanos e inibidores selectivos da recaptação da serotonina (ISRS) ou inibidores da recaptação de serotonina e da noradrenalina (IRSN). Estas reacções podem ser graves. Se o tratamento concomitante com zolmitriptano e um ISRS ou IRSN for clinicamente justificado, é aconselhada a observação apropriada do doente, particularmente durante o início do tratamento, nos aumentos da dose ou na adição de outra medicação serotoninérgica.

O uso prolongado de qualquer tipo de analgésico para as cefaleias pode torná-las piores.

Caso essa situação seja verificada ou suspeitada, deverá ser obtido aconselhamento médico e o tratamento deverá ser descontinuado. O diagnóstico de cefaleia por uso excessivo de medicação deverá ser suspeitado em doentes que tenham cefaleias frequentes ou diárias apesar do (ou devido ao) uso regular de medicamentos para a cefaleia.
Cuidados com a Dieta
Pode tomar Zolmitriptano com ou sem alimentos.
Terapêutica Interrompida
Não utilize uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Hipericão + Zolmitriptano

Observações: Além disto, os pacientes devem estar informados que interacções com outros medicamentos não podem ser excluídas e devem ser tidas em consideração durante a toma de Hipericão.
Interações: Devido ao possível risco de efeitos indesejáveis do tipo síndrome serotoninérgico (interacções farmacodinâmicas), o uso de Hipericão não é aconselhado em associação com: - Os psicotrópicos, em particular os medicamentos serotoninérgicos, IERS (inibidores específicos da recaptação da serotonina), citalopram, fluoxetina, fluvoxamina, paroxetina e sertralina e os antidepressivos tricíclicos. - Os triptanos (sumatriptano, naratriptano, rizatriptano e zolmitriptano).

Zolmitriptano + Cafeína

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Foram efectuados estudos de interacção com cafeína, ergotamina, diidroergotamina, paracetamol, metoclopramida, pizotifeno, fluoxetina, rifampicina e propranolol e não foram observadas diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética do zolmitriptano ou do seu metabolito activo.

Zolmitriptano + Ergotamina

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Foram efectuados estudos de interacção com cafeína, ergotamina, diidroergotamina, paracetamol, metoclopramida, pizotifeno, fluoxetina, rifampicina e propranolol e não foram observadas diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética do zolmitriptano ou do seu metabolito activo. Os dados de indivíduos saudáveis sugerem que não existem interações farmacocinéticas ou clinicamente significativas entre o zolmitriptano e a ergotamina. Contudo, o risco aumentado de vasospasmo coronário é uma possibilidade teórica e a administração concomitante é contraindicada. É aconselhável aguardarem-se pelo menos 24 horas após o uso de preparações que contenham ergotamina antes de administrar zolmitriptano. Por outro lado, é aconselhável aguardar pelo menos seis horas após o uso de zolmitriptano antes de administrar um medicamento que contenha ergotamina.

Zolmitriptano + Mesilato de di-hidroergotamina

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Foram efectuados estudos de interacção com cafeína, ergotamina, diidroergotamina, paracetamol, metoclopramida, pizotifeno, fluoxetina, rifampicina e propranolol e não foram observadas diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética do zolmitriptano ou do seu metabolito activo.

Zolmitriptano + Paracetamol

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Foram efectuados estudos de interacção com cafeína, ergotamina, diidroergotamina, paracetamol, metoclopramida, pizotifeno, fluoxetina, rifampicina e propranolol e não foram observadas diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética do zolmitriptano ou do seu metabolito activo.

Zolmitriptano + Metoclopramida

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Foram efectuados estudos de interacção com cafeína, ergotamina, diidroergotamina, paracetamol, metoclopramida, pizotifeno, fluoxetina, rifampicina e propranolol e não foram observadas diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética do zolmitriptano ou do seu metabolito activo.

Zolmitriptano + Pizotifeno

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Foram efectuados estudos de interacção com cafeína, ergotamina, diidroergotamina, paracetamol, metoclopramida, pizotifeno, fluoxetina, rifampicina e propranolol e não foram observadas diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética do zolmitriptano ou do seu metabolito activo.

Zolmitriptano + Fluoxetina

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Foram efectuados estudos de interacção com cafeína, ergotamina, diidroergotamina, paracetamol, metoclopramida, pizotifeno, fluoxetina, rifampicina e propranolol e não foram observadas diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética do zolmitriptano ou do seu metabolito activo. É recomendada uma dose máxima de 5 mg de zolmitriptano em 24 horas em doentes que estão a tomar cimetidina. É recomendada a mesma redução posológica com compostos deste tipo, como a fluvoxamina e as quinolonas (p.ex. ciprofloxacina). A selegilina (um inibidor da MAO-B) e a fluoxetina (um ISRS) não apresentaram nenhuma interacção farmacocinética com o zolmitriptano.

Zolmitriptano + Rifampicina

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Foram efectuados estudos de interacção com cafeína, ergotamina, diidroergotamina, paracetamol, metoclopramida, pizotifeno, fluoxetina, rifampicina e propranolol e não foram observadas diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética do zolmitriptano ou do seu metabolito activo.

Zolmitriptano + Propranolol

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Foram efectuados estudos de interacção com cafeína, ergotamina, diidroergotamina, paracetamol, metoclopramida, pizotifeno, fluoxetina, rifampicina e propranolol e não foram observadas diferenças clinicamente relevantes na farmacocinética do zolmitriptano ou do seu metabolito activo.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Zolmitriptano + Moclobemida

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Após a administração de moclobemida, um inibidor específico da MAO-A, verificou-se um pequeno aumento (26%) da AUC da zolmitriptano e um aumento de 3 vezes da AUC do metabolito activo. Consequentemente, é recomendada uma ingestão máxima de 5 mg de zolmitriptano em 24 horas, em doentes que estão a tomar um inibidor da MAO-A. Os fármacos não deverão ser utilizados conjuntamente se forem administradas doses de moclobemida superiores a 150 mg duas vezes por dia.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Zolmitriptano + Cimetidina

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Após a administração de cimetidina, um inibidor geral do P450, a semivida do zolmitriptano foi aumentada em 44% e a AUC aumentou 48%. Além disso, a semivida e a AUC do metabolito activo, N-desmetilado, (183C91) aumentaram para o dobro. É recomendada uma dose máxima de 5 mg de zolmitriptano em 24 horas em doentes que estão a tomar cimetidina.

Zolmitriptano + Inibidores do CYP1A2

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Com base no perfil global de interacção, não se pode excluir uma interacção com inibidores específicos da CYP1A2. Portanto, é recomendada a mesma redução posológica com compostos deste tipo, como a fluvoxamina e as quinolonas (p.ex. ciprofloxacina).

Zolmitriptano + Quinolonas

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: É recomendada a mesma redução posológica com compostos deste tipo, como a fluvoxamina e as quinolonas (p.ex. ciprofloxacina).

Zolmitriptano + Ciprofloxacina

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: É recomendada a mesma redução posológica com compostos deste tipo, como a fluvoxamina e as quinolonas (p.ex. ciprofloxacina).

Zolmitriptano + Selegilina

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: A selegilina (um inibidor da MAO-B) e a fluoxetina (um ISRS) não apresentaram nenhuma interacção farmacocinética com o zolmitriptano.
 Risco Moderado

Zolmitriptano + Inibidores Selectivos da Recaptação da Serotonina (ISRS) (SSRIs)

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Contudo, houve notificações que descreveram doentes com sintomas compatíveis com síndroma da serotonina (incluindo estado mental alterado, instabilidade autonómica e anomalias neuromusculares) após o uso de inibidores selectivos da recaptação da serotonina (ISRS) ou inibidores da recaptação de serotonina e de noradrenalina e triptanos.
 Risco Moderado

Zolmitriptano + Inibidores da recaptação da serotonina e da noradrenalina (IRSN)

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Contudo, houve notificações que descreveram doentes com sintomas compatíveis com síndroma da serotonina (incluindo estado mental alterado, instabilidade autonómica e anomalias neuromusculares) após o uso de inibidores selectivos da recaptação da serotonina (ISRS) ou inibidores da recaptação de serotonina e de noradrenalina e triptanos.
 Risco Moderado

Zolmitriptano + Triptanos

Observações: Como se verifica com outros agonistas dos receptores 5HT1B/1D, o zolmitriptano poderá atrasar a absorção de outros medicamentos.
Interações: Contudo, houve notificações que descreveram doentes com sintomas compatíveis com síndroma da serotonina (incluindo estado mental alterado, instabilidade autonómica e anomalias neuromusculares) após o uso de inibidores selectivos da recaptação da serotonina (ISRS) ou inibidores da recaptação de serotonina e de noradrenalina e triptanos.

Rizatriptano + Zolmitriptano

Observações: N.D.
Interações: Ergotamina, derivados da cravagem do centeio (incluindo metisergida), ou outros agonistas dos recetores 5-HT 1B/1D: Devido a um efeito aditivo, a utilização concomitante de rizatriptano e ergotamina, derivados da cravagem do centeio (incluindo metisergida), ou outros agonistas dos recetores 5-HT 1B/1D (p.ex., sumatriptano, zolmitriptano, naratriptano) aumenta o risco de vasoconstrição coronária e efeitos hipertensivos. Esta associação está contraindicada.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica e medicamentos à base de plantas.

Em particular, informe o seu médico se estiver a tomar algum dos seguintes medicamentos:
Medicamentos para a enxaqueca
- outros triptanos além do zolmitriptano
- Se toma medicamentos que contenham ergotamina ou medicamentos derivados ergotamínicos (como diidroergotamina ou metisergida), deverá esperar 24 horas antes de tomar Zolmitriptano.
- após tomar Zolmitriptano, deverá aguardar 6 horas antes de tomar ergotamina ou medicamentos derivados ergotamínicos.
Medicamentos para a depressão
- moclobemida ou fluvoxamina
- medicamentos designados por ISRS (inibidores selectivos da recaptação da serotonina)
- medicamentos designados por IRSN (inibidores da recaptação de serotonina e noradrenalina), como venlafaxina, duloxetina
Outros medicamentos
- cimetidina (para a indigestão ou úlceras do estômago)
- um antibiótico do grupo das quinolonas (como a ciprofloxacina)
Se estiver a utilizar medicamentos à base de plantas que contenham hipericão (Hypericum perforatum), os efeitos secundários de Zolmitriptano Actavis poderão ser mais prováveis.

A administração do zolmitriptano só deverá ser considerada se o benefício esperado para a mãe for superior a qualquer risco possível para o feto.

Não amamente no intervalo de 24 horas após tomar Zolmitriptano.

Durante uma crise de enxaqueca, as suas reacções poderão ser mais lentas do que o habitual. Tenha isso presente quando conduzir ou utilizar quaisquer ferramentas ou máquinas.

Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017