Zearalenona

O que é
Zearalenona(ZEA) é uma micotoxina com efeitos estrogénicos produzida por Fusarium graminiarum ou outras espécies Fusarium sp que contaminam frequentemente cereais (principalmente o milho) mas também outros produtos como bananas e tomates.

A exposição a micotoxina ocorre diariamente através do consumo de cereais e derivados de cereais contaminados.

Frequentemente surge associada a outras micotoxinas produzidas por fungos do mesmo gênero, suspeitando-se que muitas de doenças do gado, como diminuição do potencial reprodutivo, são causadas pelo consumo de rações contendo esta micotoxinasl, provavelmente em associação com outras como com deoxinivalenol e metabolitos secundários dos tricotecenos.

A maior prevalência de ZEA tem sido reportada no Canadá, norte da Europa central e Estados Unidos embora tenha sido encontrada em alimentos no Egipto, em Itália, África do Sul e América do Sul.
Usos comuns
Sem informação.
Tipo
Sem informação.
História
ZEA foi isolada e caracterizada em 1962 devido à síndrome estrogénica que surgiu em suínos alimentados com rações á base de milho contaminado com Fusarium graminiarum.

A sua estrutura foi elucidada em 1966 e a síntese total surge em 1968.

A sua ocorrência em produtos naturais é estudada em 1968.

Entre 1961 e 1985 foi associada, juntamente com outras micotoxinas de Fusarium sp, a ''Scabby grain toxicosis''.

Esta micotixicose surgiu na China, causada pelo consumo de milho e trigo contaminados.

Manifesta-se por náuseas, vómitos, dor abdominal, tontura e cefaleia.

A importância desta descoberta não é clara.
Indicações
Sem informação.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
Sem informação.
Posologia Orientativa
Sem informação.
Administração
Sem informação.
Contraindicações
Sem informação.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
O α- zearalenol tem uma capacidade de se ligar ao receptor dos estrogénios 17x mais forte do que o etinil-estradiol.

Daí advém muitos efeitos adversos relacionados com os seus potentes efeitos estrogénicos, nomeadamente puberdade precoce, fibrose do útero, cancro da mama, carcinoma do endométrio, hiperplasia do útero, diminuição da fertilidade (por diminuição da libertação da LH eFSH), influência nas actividades das glândulas adrenal, tiróide e pituitária.

Nos indivíduos do sexo masculino, pode ocorrer inflamação da glândula prostática, atrofia testicular e quistos nas glândulas mamárias.

A zearalenona parece ser também hematotóxica, podendo haver problemas na coagulação do sangue, com alteração dos parâmetros hematológicos (hematócrito, número de plaquetas…).

Como consequência do consumo de alimentos com esta micotoxina podem ainda surgir adenomas ou carcinomas hepáticos comprovados pela alteração dos parâmetros hepáticos (transferases, fosfatase alcalina, bilirrubina, γ-GT).

Além disso, a zearalenona reduz a viabilidade celular, inbibe a síntese proteica e de DNA e induz peroxidação lipídica.

Quanto ao seu uso farmacológico, existe um medicamento de uso veterinário (Ralgro®), cujo princípio activo é o zeranol, um metabolito da Zearalenona.

É usado para promover o crescimento dos animais.

Actualmente é proibido o seu uso na EU, devido ao risco de exposição por consumo de derivados de animais (carne, ovos).

No que diz respeito ao seu uso humano, estão actualmente a realizar-se ensaios clínicos para o desenvolvimento de um fármaco baseado na Zearalenona, aplicando as suas propriedades estrogénicas na terapia de reposição hormonal.
Advertências
Precauções Gerais
Sem informação.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Sem informação.
Cuidados no Armazenamento
Manter esta substância fora da vista e do alcance das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Sem informação.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017