Vacina contra a difteria, tétano, tosse convulsa, hepatite B e poliomielite

O que é
As vacinas funcionam “ensinando” o sistema imunitário (as defesas naturais do organismo) a defender-se contra as doenças.

Esta vacina contém pequenas quantidades de:
- toxóides da bactéria que provoca a difteria e o tétano;
- toxóides e outras proteínas purificadas de B. pertussis;
- antigénio de superfície (proteínas da superfície) do vírus da hepatite B;
- poliovírus (tipos 1, 2 e 3) que foram inactivados (neutralizados) para não causar a doença.

Quando a vacina é administrada a um lactente, o sistema imunitário reconhece os fragmentos da bactéria e do vírus como “corpos estranhos” e produz anticorpos contra eles.

O sistema imunitário irá então conseguir produzir anticorpos mais rapidamente quando a pessoa for naturalmente exposta à bactéria ou ao vírus.

Isso ajuda a proteger contra as doenças provocadas por estas bactérias e estes vírus.

A vacina é “adsorvida”, o que significa que as substâncias activas são fixadas num composto de alumínio para estimular uma resposta melhor.

Os antigénios de superfície do vírus da hepatite B são produzidos por meio de um método conhecido como ”tecnologia de ADN recombinante”: são produzidos por uma levedura que recebeu um gene (ADN) que a torna capaz de produzir as proteínas.

A vacina é uma combinação de componentes disponíveis na União Europeia (UE) noutras vacinas: a difteria, o tétano, a tosse convulsa e a hepatite B no Infanrix HepB de 1997 a 2005, e a difteria, o tétano, a tosse convulsa, e os poliovírus estão disponíveis noutras vacinas.

- Difteria: a difteria afecta principalmente as vias aéreas e, por vezes, a pele. Geralmente as vias aéreas ficam inflamadas (inchadas), provocando dificuldades respiratórias e, por vezes, asfixia. A bactéria também liberta uma toxina (veneno) que causa lesões nervosas, problemas cardíacos e mesmo a morte.

- Tétano: a bactéria do tétano entra no organismo através de cortes, arranhões ou feridas na pele. As feridas que infectam mais facilmente são as queimaduras, fracturas, feridas profundas ou feridas contaminadas com terra, pó, excrementos de cavalo ou farpas de madeira. A bactéria liberta uma toxina (veneno), que pode causar rigidez muscular, espasmos musculares dolorosos, convulsões e até a morte. Os espasmos musculares podem ser suficientemente fortes para causar fracturas dos ossos da coluna vertebral.

- Pertussis (tosse convulsa): a pertussis é uma doença altamente infecciosa. A doença afecta as vias aéreas causando períodos de tosse que podem interferir com a respiração normal. Normalmente a tosse é acompanhada por ruído e é conhecida por tosse de cão. A tosse pode durar 1-2 meses ou mais. A pertussis também pode causar otites, bronquites que podem ser prolongadas, pneumonia, convulsões, lesão cerebral e até a morte.

- Hepatite B: é causada pelo vírus da hepatite B. Causa inchaço do fígado (inflamação). O vírus é encontrado nos fluidos corporais, tais como o sangue, o sémen, as secreções vaginais ou a saliva das pessoas infectadas.

- Poliomielite (Polio): a poliomielite, por vezes chamada simplesmente “polio”, é uma infecção viral que pode ter vários efeitos. Muitas vezes, provoca apenas doença ligeira mas, em algumas pessoas, causa lesão permanente ou mesmo morte. Na sua forma mais grave, a infecção polio causa paralisia dos músculos (não se consegue mover os músculos), incluindo os músculos necessários para respirar ou andar. Os membros afectados por esta doença podem sofrer deformação dolorosa.

A vacinação é a melhor forma de protecção contra estas doenças. Nenhum dos componentes da vacina é infeccioso.

Usos comuns
Imunização contra a difteria, tétano, tosse convulsa, hepatite B e poliomielite.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Imunização contra a difteria, tétano, tosse convulsa, hepatite B e poliomielite.
Classificação CFT

18.1 : Vacinas (simples e conjugadas)

Mecanismo De Ação
A vacina foi objecto de 16 estudos sobre a vacinação primária.

Os estudos incluíram mais de 10000 crianças, das quais cerca de três quartos receberam Infanrix Penta, administrado em função de vários esquemas de vacinação.

A vacina foi igualmente objecto de nove estudos de vacinação de reforço incluindo mais de 4000 crianças, 714 das quais receberam esta vacina como vacinação de reforço.

O parâmetro principal de eficácia foi a produção de anticorpos contra as substâncias activas após a vacinação.
Posologia Orientativa
O esquema de vacinação recomendado para esta vacina consiste em duas ou três doses administradas geralmente nos primeiros seis meses de vida, respeitando um intervalo de, pelo menos, 1 mês entre cada dose.


Administração
A vacina é administrada por injecção intramuscular (num músculo) profunda. O local de injecção deve ser diferente nas injecções subsequentes.

Deve ser administrada uma dose de reforço da vacina ou de uma vacina similar pelo menos seis meses após a última dose da vacinação primária. A escolha da vacina deve basear-se nas recomendações oficiais.

A vacina pode ser administrado a crianças que receberam à nascença uma vacina contra a hepatite B.
Contraindicações
As contra-indicações usuais para todas as vacinas: em caso de febre, doença aguda ou doença crónica progressiva, é preferível adiar a vacinação.

A vacina não deve ser utilizado em crianças que possam ser hipersensíveis (alérgicas) a qualquer uma das substâncias activas, a qualquer outro componente da vacina, ou à neomicina e polimixina (antibióticos).

Não deverá ser administrado em crianças que apresentaram uma reacção alérgica após receberem uma vacina anterior contendo componentes contra a difteria, o tétano, a tosse convulsa, a hepatite B, e o poliovírus.

A vacina é contra-indicado em crianças que tenham tido encefalopatia (doença do cérebro) de causa desconhecida nos sete dias após receberem uma vacina anterior contendo componentes contra a tosse convulsa.

A administração da vacina deve ser adiada nas crianças que apresentem febre aguda súbita.

À semelhança de todas as vacinas, quando a vacina é administrada a bebés nascidos muito prematuramente, existe o risco de ocorrência de apneia (breves pausas respiratórias).

A respiração deve ser monitorizada até três dias após a vacinação.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Tal como todas as vacinas injectáveis, existe um risco extremamente pequeno de reacções alérgicas graves (reacções anafiláticas e anafilactóides).

Os sinais de reacções alérgicas graves podem ser:
- erupções cutâneas que podem ser com comichão ou vesículas
- inchaço dos olhos e face
- dificuldade em respirar ou em engolir
- queda súbita na pressão sanguínea e perda de consciência

Estas reacções ocorrem normalmente antes de sair do consultório médico.

Contudo, se a sua criança apresentar algum destes sintomas deve contactar o médico com urgência.

Tal como acontece com outras vacinas contra a tosse convulsa, os seguintes efeitos adversos podem ocorrer muito raramente dentro de 2 a 3 dias após a vacinação:
- colapso ou períodos de inconsciência ou diminuição de estado de alerta
- espasmos ou convulsões com ou sem febre Se a sua criança apresentar algum destes efeitos secundários, deve contactar o médico imediatamente.

Os outros efeitos secundários que foram comunicados são:
Muito frequentes (Estes podem ocorrer em 1 em cada 10 ou mais doses da vacina)
- perda de apetite
- febre superior a 38ºC
- inchaço, dor, vermelhidão no local de injecção
- cansaço
- choro anormal, irritabilidade, inquietação.

Frequentes (Estes podem ocorrer até 1 em cada 10 doses da vacina)
- diarreia, vómitos
- febre superior a 39,5ºC
- inchaço superior a 5 cm no local de injecção, nódulo duro no local de injecção.

Pouco frequentes (Estes podem ocorrer até 1 em cada 100 doses da vacina)
- sonolência
- tosse
- dermatite, erupção cutânea
- grande inchaço no membro onde foi administrada a injecção
- nervosismo.

Muito raros (Estes podem ocorrer em até 1 em 10000 doses da vacina)
- nos recém-nascidos que nasceram muito prematuramente (antes ou às 28 semanas de gestação) podem ocorrer falhas mais longas que o normal entre as respirações, 2-3 dias após a vacinação
- urticária
- inchaço em todo o membro onde foi administrada a injecção, vesículas no local de injecção.
Advertências

Sem informação.

Precauções Gerais
Se, após administração anterior desta vacina ou outra vacina contra a pertussis (tosse convulsa), o seu filho tiver tido quaisquer problemas, especialmente: temperatura elevada (acima de 40°C) nas 48 horas seguintes à vacinação, colapso ou estado semelhante ao estado de choque nas 48 horas seguintes à vacinação, choro persistente com duração superior a 3 horas, nas 48 horas seguintes à vacinação, espasmos/convulsões, com ou sem temperatura, ocorridas no período de 3 dias após vacinação.

Se o seu filho sofre de uma doença não diagnosticada ou progressiva do cérebro ou de epilepsia não controlada.

Após o controlo da doença a vacina deve ser administrada.

Se o seu filho tem qualquer problema de coagulação do sangue ou se faz nódoas negras com facilidade
Se o seu filho tem tendência a fazer convulsões/espasmos devido a febre ou se existe história familiar desta ocorrência.

Como com todas as vacinas, esta vacina pode não proteger completamente todos os indivíduos vacinados.
Cuidados com a Dieta
Não aplicável.
Terapêutica Interrompida
Contacte o médico se não fizer uma dose de reforço.

Certifique-se que completa o esquema de vacinação.

Caso contrário poderá não ficar completamente protegida contra as doenças.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Conservar no frigorífico (2ºC – 8ºC).

Conservar na embalagem de origem para proteger da luz.

Não congelar.

A congelação destrói a vacina.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Vacina contra a difteria, tétano, tosse convulsa, hepatite B e poliomielite + Imunossupressores

Observações: N.D.
Interações: Tal como acontece com outras vacinas, nos doentes que estejam a fazer terapêutica imunossupressora, pode não ser possível obter uma resposta adequada.

Vacina contra a difteria, tétano, tosse convulsa, hepatite B e poliomielite + Vacina contra o haemophilus tipo b

Observações: N.D.
Interações: Estudos clínicos demonstraram que esta vacina pode ser administrada simultaneamente com vacinas contra Haemophilus influenzae tipo b. Nestes estudos clínicos, as vacinas injectáveis foram administradas em locais de injecção diferentes.

Vacina contra a difteria, tétano, tosse convulsa, hepatite B e poliomielite + Vacina contra o sarampo, a papeira e a rubéola

Observações: N.D.
Interações: Não existem dados relativamente à eficácia e segurança da administração simultânea de desta vacina e da vacina contra Sarampo-Papeira-Rubéola.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 31 de Outubro de 2019