Urofolitropina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Urofolitropina é a hormona folículo-estimulante humana (FSH) preparação de origem de ADN recombinante, que consiste em dois não-covalentes, glicoproteínas não idênticos designados como os alfa e beta sub-unidades.

Os alfa e beta subunidades têm 92 e 111 aminoácidos.
Usos comuns
Para o tratamento da infertilidade feminina.
Tipo
Biotecnologia
História
Sem informação.
Indicações
Iguais às referidas para as gonadotropinas.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
FSH liga-se ao recetor da hormona estimulante do folículo, que é um recetor transmembranar de G-acoplada.

A ligação da FSH ao seu recetor parece induzir a fosforilação e activação da PI3K (Fosfatidilinositol-3-quinase) e Akt via de sinalização, que é conhecido por regular muitas outras funções metabólicas e afins sobrevivência/maturação em células.
Posologia Orientativa
Injeção por via IM ou SC de acordo com a situação clínica e a resposta do doente e algumas vezes dependente de resposta anterior à gonadotrofina.
Administração
Sem informação.
Contraindicações
Não deve ser administrada a mulheres grávidas.

Deve evitar-se, se existirem lesões intracranianas, perturbações da tiróide ou das suprarrenais, quistos ou aumento do volume do ovário.

Se existir hiperprolactinemia pode verificar-se uma redução do efeito terapêutico.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Edemas; cefaleias e alteração do humor, reações alérgicas.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Evitar. Risco fetal desconhecido, por falta de estudos alargados.
Aleitamento
Aleitamento:Evitar.
Precauções Gerais
É muito importante que o seu médico acompanhe o seu progresso em visitas regulares para certificar-se de que o medicamento está a funcionar corretamente e para verificar se há efeitos indesejáveis.

O seu médico provavelmente vai querer acompanhar o desenvolvimento do folículo ovariano(s) através da medição da quantidade de estrogénio na sua corrente sanguínea e, verificar o tamanho do folículo(s) com exames de ultra-som.

Se o seu médico lhe pediu para gravar a sua temperatura corporal basal (BBT) por dia, certifique-se de que faz isso todos os dias.

É importante que as relações sexuais ocorrem em torno do momento da ovulação para lhe dar a melhor hipótese de engravidar.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Contacte seu médico se se esquecer de uma dose de urofolitropina.
Cuidados no Armazenamento
Loja pó liofilizado em frigorífico ou à temperatura ambiente (15° a 25°C).

Proteger da luz.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Urofolitropina + Clomifeno

Observações: N.D.
Interações: Não foram realizados estudos de interacção medicamentosa, em seres humanos, com Urofolitropina. Embora não exista experiência clínica, é esperado que o uso concomitante de Urofolitropina e citrato de clomifeno possa aumentar a resposta folicular.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Urofolitropina + Hormona libertadora de gonadotrofina (GnRH)

Observações: N.D.
Interações: Quando se utilizam agonistas da GnRH para a dessensibilização pituitária, pode ser necessária uma dose mais elevada de Urofolitropina para se atingir a resposta folicular adequada.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico
– Explique o risco de nascimentos múltiplos.

Rever o regime de tratamento, incluindo a duração do tratamento e monitorizamento que serão necessários.

– Se o paciente fizer autoadministração em casa, certifique-se que o paciente entende como armazenar, preparar e administrar a dose e dispor de equipamentos e materiais utilizados.

– Alertar o paciente não mudar a dose ou parar de tomar o medicamento a menos que aconselhado pelo médico.

– Alertar o paciente que se uma dose for omitida para não dobrar a dose para compensar.

Aconselhar o paciente entrar em contacto com profissional de saúde para obter mais instruções.

– Relembre o paciente que o fármaco é administrado para promover o crescimento folicular e da produção de ovos e que uma hCG terá de ser administrada para induzir a ovulação.

– Incentivar o paciente que toma medicamentos para a infertilidade a ter relações diariamente, começando no dia antes da administração de hCG até a ovulação se tornar evidente.

– Avisar o paciente que um acompanhamento rigoroso para superestimulação dos ovários é necessário e denunciar qualquer dos seguintes efeitos imediatamente ao médico: dificuldade em respirar, dor pélvica severa, náuseas, vómitos, diarreia, rápido ganho de peso, dor de estômago ou inchaço, micção frequente.

– Aconselhe o paciente para informar médico de quaisquer reações adversas, sintomas, mudanças físicas, ou reações no local da injeção incómodas.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017