Tiroxina

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
Tiroxina é a principal hormona derivada da glândula tiroideia.

Tiroxina é sintetizada via iodação da tirosina (monoiodotirosina) e o acoplamento de iodotirosinas (diiodotirosina) na tireoglobulina.

A Tiroxina é libertada da tiroglobulina por proteólise e segregada para o sangue.

A Tiroxina é perifericamente desiodada para formar tri-iodotironina que exerce um amplo espetro de efeitos estimuladores sobre o metabolismo celular.
Usos comuns
Hipotireoidismo de qualquer etiologia, supressão do TSH.
Tipo
pequena molécula
História
Sem informação.
Indicações
Para o uso isolado ou em combinação com agentes antitiroideus para tratar o hipotiroidismo, bócio, tireoidite linfocítica crónica, mixedema comatoso e estupor.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
Levotiroxina age como o hormona tireoidiano endógeno tiroxina (T4, um derivado da tirosina tetra-iodado).

No fígado e nos rins, T4 é convertido em T3, o metabolito ativo.

A fim de aumentar a solubilidade, os hormonas da tiroide atribuem ao hormona da tiroide proteínas, globulina ligada à tiroxina e pré-albumina de ligação da tiroxina (transtirretina) vinculativo.

Transportes e ligação aos recetores de hormonas tireoidianos no citoplasma e núcleo, em seguida, ocorre.

Assim, agindo como um substituto para a tiroxina naturais, sintomas de deficiência de tiroxina são aliviados.
Posologia Orientativa
Adultos.

Doses iniciais de 50 µg/dia, aumentando-se 25 µg a cada 3-4 semanas, até que o efeito seja alcançado; ou 1,7 µg/kg nos casos sintomáticos e 1,0 µg/kg nos assintomáticos.

A dose de manutenção é, em geral, de 75-125 µg/dia.

Reposição hormonal para supressão do TSH em pacientes com carcinoma diferenciado da tireoide: 2,0-3,0 µg/kg/dia durante 7-10 dias.

Ajustar a dose a cada 4-6 semanas conforme TSH sérico no hipotireoidismo primário ou T4 sérico no hipotireoidismo secundário.

Crianças.

0-3 meses: 10-15 µg/kg/dia; 3-6 meses: 8-10 µg/kg/dia; 6-12 meses: 6-8 µg/kg/dia; 1-5 anos: 5-6 µg/kg/dia; 6-12 anos: 4-5 µg/kg/dia; > 12 anos: 2-3 µg/kg/dia.
Administração
Via oral.

Deve ser administrado com o estômago vazio, pelo menos 1 h antes dos alimentos.

Administrar com intervalos de 4 h com fármacos como colestiramina, sulfato ferroso, sucralfato e hidróxido de alumínio.
Contraindicações
IAM recente e insuficiência suprarrenal não tratada.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Na superdosagem: agravamento da cardiopatia pre-existente (angina, arritmias), sinais de tireotoxicose (taquicardia, insónia, excitabilidade, cefaleia, sudorese, tremor, febre, emagrecimento rápido, diarreia), perda de massa óssea.

Em casos de subdosagem: apatia, cansaço, sonolência, cefaleia, fraqueza, aumento de peso.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Ver Levotiroxina sódica.
Precauções Gerais
Sem informação.
Cuidados com a Dieta
Absorção aumentada em jejum e diminuição nos estados de má absorção.

Administração consistente em relação às refeições é recomendado.

Não ferro ou carbonato de cálcio dentro de 4 horas depois de tomar este medicamento.

A administração oral, com a fórmula infantil de soja, farinha de soja, farinha de semente de algodão, as nozes, os alimentos que contêm grandes quantidades de fibra, sulfato ferroso, e os antiácidos podem diminuir a absorção do fármaco.

Tomar 30-60 minutos antes do pequeno-almoço.
Terapêutica Interrompida
Não utilize uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de aplicar/tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Beclometasona + Formoterol + Tiroxina

Observações: O dipropionato de beclometasona sofre um metabolismo rápido via enzimas estearase sem envolvimento do sistema citocrómio P450.
Interações: Adicionalmente, a L-dopa, a L-tiroxina, a oxitocina e o álcool podem prejudicar a tolerância aos simpaticomiméticos beta 2.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Ácidos biliares - resinas sequestradoras + Tiroxina

Observações: As resinas podem ligar-se, no tubo digestivo, a fármacos administrados por via oral. Podem também ligar-se a fármacos que sofrem circulação entero-hepática, mesmo se estes fármacos forem administrados por via parentérica
Interações: Fármacos cuja absorção pode ser reduzida: - Tiroxina

Ácido fólico + Ferro + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: Nos doentes com necessidades de tratamento com tiroxina podem surgir sinais de hipotiroidismo (o sulfato ferroso e a tiroxina formam um complexo insolúvel que leva à diminuição da absorção da tiroxina).

Beclometasona + Formoterol + Brometo de glicopirrónio + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: Interações farmacodinâmicas Relacionadas com o FORMOTEROL O tratamento concomitante com quinidina, disopiramida, procainamida, anti-histamínicos, inibidores da monoamina oxidase, antidepressivos tricíclicos e fenotiazinas pode prolongar o intervalo QT e aumentar o risco de arritmias ventriculares. Além disso, a L-dopa, L-tiroxina, oxitocina e o álcool podem alterar a tolerância cardíaca para com os simpaticomiméticos beta2.

Formoterol + Tiroxina

Observações: Não foram realizados estudos de interação específicos com formoterol.
Interações: Os compostos que, por si só, potenciam os efeitos simpaticomiméticos, como L-dopa, L-tiroxina, oxitocina ou álcool, podem afetar igualmente a regulação cardiovascular quando tomados ao mesmo tempo que o formoterol.

Iodeto (131I) de sódio + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: São conhecidos muitos fármacos que interagem com o iodo radioactivo. Podem fazê-lo através de uma série de mecanismos, afectando a ligação a proteínas, a farmacocinética ou influenciando os efeitos dinâmicos do iodo marcado. É portanto necessário considerar todos os fármacos tomados pelo doente e analisar que medicamentos é necessário interromper antes da administração do iodeto de sódio [131I]. Por exemplo, os anti-tiroideus, carbimazole (ou outros derivados do imidazole, como o propiltiouracilo), salicilatos, esteróides, nitroprussiato de sódio, sulfobromoftaleína, perclorato, ou outros medicamentos (anticoagulantes, antihistamínicos, antiparasitários, penicilinas, sulfonamidas, tolbutamida, tiopentona) são retirados durante 1 semana; a fenilbutazona por 1-2 semanas, expectorantes, vitaminas por 2 semanas; preparações naturais ou sintéticas da tiróide (tiroxina de sódio, liotironina de sódio, extracto de tiróide) por 2-3 semanas; amiodarona, benzodiazepinas, lítio por 4 semanas, iodetos tópicos por 1-9 meses; e para meios de contraste intravenosos, colecistográficos orais, meios de contraste contendo iodo por períodos até 1 ano,

Dorzolamida + Tiroxina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interações.
Interações: Em estudos clínicos, a dorzolamida foi utilizada de forma concomitante com os seguintes medicamentos sem provas de interações adversas: Solução oftálmica de timolol, solução oftálmica de betaxolol e medicamentos sistémicos, incluindo inibidores da enzima conversora de angiotensina (ACE), bloqueadores dos canais de cálcio, diuréticos, medicamentos anti-inflamatórios não esteróides, incluindo Ácido Acetilsalicílico e hormonas (por ex., estrogénio, insulina, tiroxina). A associação entre a dorzolamida e os agentes mióticos e agonistas adrenérgicos não foi totalmente avaliada durante o tratamento do glaucoma.

Vitaminas + Sais minerais e outras associações + Tiroxina

Observações: Não foram realizados estudos de interação.
Interações: A absorção de tetraciclinas, fluoroquinolonas, bifosfonatos, tiroxina e agentes antivirais pode ser afetada pelos minerais presentes no medicamento. Ao tomar concomitantemente estes medicamentos, as tomas devem ser intervaladas em duas horas para evitar qualquer potencial interação.

Polistireno sulfonato de sódio + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: A utilizar com precaução: Tiroxina: Possível diminuição da absorção da tiroxina.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Propiltiouracilo + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: Interações de outros medicamentos: A administração de tiroxina reduz a absorção do propiltiouracilo pela glândula da tiróide, além de que requer uma supressão mais pronunciada na síntese da hormona endógena, sendo necessária uma dose mais elevada de propiltiouracilo para obter um efeito depressor da tiróide comparável.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Antiácidos + Tiroxina

Observações: Os antiácidos podem reduzir a absorção por adsorção de fármacos no tubo digestivo ou porque os fármacos requerem pH ácido para a absorção. Tendem a acelerar o esvaziamento gástrico, aumentando a absorção intestinal dos fármacos. Alguns (ex.: hidróxido de alumínio ou de magnésio) alcalinizam a urina, alterando a eliminação de fármacos sensíveis ao pH urinário.
Interações: Absorção reduzida - Tiroxina
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Paracetamol + Cafeína + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: A cafeína também pode aumentar a taquicardia causada por outros fármacos (por exemplo, simpaticomiméticos e tiroxina).

Tirotropina + Tiroxina

Observações: Não foram realizados estudos de interação entre Tirotropina e outros medicamentos.
Interações: Nos ensaios clínicos, não foram observadas interações entre Tirotropina e a terapêutica com as hormonas da tiroide - triiodotironina (T3) e tiroxina (T4) - quando administrados simultaneamente.

Acenocumarol + Tiroxina

Observações: São frequentes e ocorrem por mecanismos diversos.
Interações: Deverão constituir objecto de vigilância particular os consumidores de álcool, tabaco, analgésicos e de AINEs, antiarrítmicos, antibacterianos, antidepressores, antiepiléticos, antiplaquetários, cisaprida, tiroxina, uricosúricos e muitos outros fármacos.

Fluindiona + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: Associações que requerem precauções de utilização: Hormonas da tiróide: Levotiroxina, tiroxina, tiratricol: Aumento do efeito anticoagulante oral e risco de hemorragia (aumento do metabolismo de fatores complexos de protrombina). Monitorização mais frequente do INR. Ajustar a dosagem de anticoagulante oral durante o início do tratamento de hipotireoidismo ou sobredosagem hormona da tiróide. Esse controlo não é necessário em pacientes em terapia de substituição da tiróide estável.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Fluticasona + Formoterol + Tiroxina

Observações: Não foram realizados estudos formais de interação com o Fluticasona / Formoterol.
Interações: Adicionalmente, a L-Dopa, a L-tiroxina, a oxitocina e o álcool podem diminuir a tolerância cardíaca aos simpaticomiméticos β2.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Anticoagulantes orais + Tiroxina

Observações: Intensamente ligados às proteínas plasmáticas. O metabolismo pode ser induzido. Susceptível à inibição do metabolismo pelo CYP2C9. A resposta anticoagulante pode ser alterada por fármacos que afectam a síntese ou o catabolismo de factores da coagulação.
Interações: Varfarina: Aumentam o efeito do anticoagulante com risco de hemorragia: Tiroxina: acelera o catabolismo dos factores da coagulação - Tiroxina

Timolol + Dorzolamida + Tiroxina

Observações: Não foram realizados estudos específicos de interações com Timolol / Dorzolamida.
Interações: Em estudos clínicos, a dorzolamida/timolol colírio, solução foi utilizada de forma concomitante com os seguintes medicamentos sem provas de interações adversas: Inibidores da enzima conversora de angiotensina (ACE), bloqueadores dos canais de cálcio, diuréticos, medicamentos anti-inflamatórios não esteróides, incluindo Ácido Acetilsalicílico e hormonas (por ex., estrogénio, insulina, tiroxina). No entanto, há possibilidade de efeitos aditivos e ocorrência de hipotensão e/ou bradicárdia acentuada quando o maleato de timolol em colírio é administrado com agentes bloqueadores dos canais do cálcio, deplectores de catecolaminas ou bloqueadores beta adrenérgicos, antiarrítmicos (incluindo amiodarona), glucosídeos digitálicos, parasimpaticomiméticos, narcóticos e inibidores da Monoaminoxidase (IMAO).

Budesonida + Formoterol + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: Além disso, a L-dopa, L-tiroxina, oxitocina e o álcool podem afetar a tolerância cardíaca aos simpaticomiméticos-β2.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Colestiramina + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: Colestiramina pode retardar ou reduzir a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral, tais como, fenilbutazona, varfarina, clorotiazida, tetraciclina, penicilina G, fenobarbital, preparações da tiroide e tiroxina e digitálicos.

Alginato de sódio + Bicarbonato de sódio + Carbonato de cálcio + Tiroxina

Observações: N.D.
Interações: Devido à presença de carbonato de cálcio que actua como um antiácido, deve ser efectuado um intervalo de 2 horas entre a toma deste medicamento e a administração de outros medicamentos, especialmente anti-histamínicos H2, tetraciclinas, digoxina, fluoroquinolona, sal de ferro, cetoconazol, neurolépticos, tiroxina, penicilamina, bloqueadores beta (atenolol, metoprolol, propranolol), glucocorticóides, cloroquina e bifosfonatos.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017