Tiramina

DCI com Advertência na Gravidez
O que é
Há muito se sabe que existem certos alimentos que desencadeiam enxaqueca mais que outros.

Assim, temos os seguintes exemplos: Queijos, Chocolates, Carnes em conserva, Salsichas, Bebidas alcoólicas, Lentilha, amendoim, outras "sementes".

Acontece que esses alimentos, além de vários outros, contêm uma substância chamada Tiramina.

A palavra tiramina deriva do grego tyros = queijo; e amina, significando um radical químico derivado da amónia. Portanto "Tiramina" = "amina do queijo". Recebeu esse nome por haver sido primeiro isolada a partir do queijo.

As aminas são substâncias químicas que contribuem para o funcionamento do cérebro e vasos sanguíneos. Algumas delas são produzidas pelo próprio organismo; outras precisam ser suplementadas na dieta.

O cérebro funciona através de correntes elétricas que viajam para o próprio cérebro, para a medula espinal, e para os nervos periféricos. A eletricidade é gerada através de reações químicas entre as células e várias substâncias químicas.

As substâncias químicas que afetam as células nervosas denominam-se neurotransmissores. Há vários tipos de neurotransmissores, cada qual com sua função.

Os neurotransmissores aparentemente mais importantes no processo das cefaléias são denominados aminas biogénicas, isto é, aminas que o próprio organismo gerou.

Tais aminas biogénicas parecem também estar envolvidas em processos de sono, regulação da pressão arterial, e frequência cardíaca.

Variações na taxa dessas aminas parece estarem relacionadas com distúrbios psiquiátricos e neurológicos, como esquizofrenia, depressão e doença de Parkinson.

As aminas também parece estarem implicadas em mecanismos da enxaqueca. Muitos alimentos contém aminas, as quais são necessárias ao bom funcionamento do cérebro.

No entanto, níveis muito elevados dessas aminas podem implicar efeitos adversos para pessoas que sofrem de enxaqueca e outras dores de cabeça. No caso, a Tiramina leva os vasos sanguíneos a iniciar o processo de contração que termina na crise de enxaqueca.

Também leva à liberação de substâncias denominadas prostaglandinas, que afetam ainda mais os vasos sanguíneos.

A Tiramina, se purificada e injetada em qualquer pessoa, pode levar a dor de cabeça, dependendo da quantidade introduzida. Mas para pessoas sensíveis a essa substância, um simples pedaço de queijo, uma pizza com queijo, ou um pouco de amendoim, podem ser suficientes.
Usos comuns
Para o alívio temporário dos sintomas relacionados com a sensibilidade à tiramina, incluindo os desejos de comida, espasmo muscular, dor de cabeça, pressão alta, sudorese excessiva, perda de peso, fadiga, nervosismo, agitação e vasodilatação.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Para o alívio temporário dos sintomas relacionados com a sensibilidade à Tiramina, incluindo o desejo por comida, espasmo muscular, dor de cabeça, pressão alta, sudorese excessiva, perda de peso, fadiga, nervosismo, agitação e vasodilatação.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
Sem informação.
Posologia Orientativa
1-10 gotas sob a língua, 3 vezes ao dia ou como orientado por um Profissional de Saúde.

Consultar um Médico para uso em crianças com menos de 12 anos de idade.
Administração
Sem informação.
Contraindicações
Sem informação.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Sem informação.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Precauções Gerais
Sem informação.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Não utilize uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Tedizolida + Tiramina

Observações: O potencial de interações serotoninérgicas não foi estudado nem em doentes nem em voluntários saudáveis.
Interações: Foram realizados estudos de interação medicamentosa para determinar os efeitos de 200 mg de Tedizolida, administrados por via oral, em estado estacionário sobre os efeitos de pressão da pseudoefedrina e tiramina em voluntários saudáveis. Não foram observadas quaisquer alterações relevantes na tensão arterial e ritmo cardíaco com a pseudoefedrina em voluntários saudáveis, e não foi observado qualquer aumento clinicamente relevante na sensibilidade da tiramina.

Isoniazida + Rifampicina + Tiramina

Observações: N.D.
Interações: ISONIAZIDA: Dado a isoniazida ter uma actividade inibitória das monoaminoxidases, pode ocorrer uma interacção com alimentos contendo tiramina (queijo, vinho tinto). Pode também ocorrer uma resposta exagerada com alimentos contendo histamina, como o atum. Assim, a ingestão de alimentos contendo tiramina e histamina deve ser evitada por doentes tratados com Isoniazida/Rifampicina.

Safinamida + Tiramina

Observações: Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: Interação tiramina/safinamida: Os resultados de um estudo de estimulação com tiramina por via intravenosa e dois por via oral de curta duração, bem como os resultados da monitorização domiciliária da tensão arterial após as refeições durante dosagem crónica em dois ensaios terapêuticos com doentes com DP, não detetaram qualquer aumento clinicamente importante da tensão arterial. Três estudos terapêuticos realizados com doentes com PD sem qualquer restrição da tiramina também não detetaram qualquer evidência de potenciação da tiramina. Por conseguinte, safinamida pode ser utilizada com segurança, sem quaisquer restrições alimentares relativamente à tiramina.

Moclobemida + Tiramina

Observações: N.D.
Interações: Uma vez que a acção de Moclobemida é selectiva e reversível, o potencial de interacção com a tiramina é ligeiro e transitório, conforme demonstrado em estudos em animais e seres humanos. Quando a administração da moclobemida é feita após a refeição, a potenciação do efeito pressor foi ainda mais reduzida ou não ocorreu.

Selegilina + Tiramina

Observações: N.D.
Interações: Interações com alimentos: Ao contrário dos inibidores convencionais da MAO, que inibem as enzimas MAO-A e a MAO-B, a selegilina é um inibidor específico da MAO-B. Não foi notificado que os alimentos que contêm tiramina induzem reações hipertensivas durante o tratamento com selegilina nas doses recomendadas, isto é, não causam o chamado “efeito queijo”. Logo, não são necessárias restrições alimentares desde que o fármaco seja tomado na dose recomendada. No entanto, em caso de associação da selegilina com inibidores convencionais da MAO ou MAO-A, são recomendadas restrições alimentares, isto é, evitar alimentos com quantidades elevadas de tiramina, como queijos antigos e produtos com leveduras.

Rasagilina + Tiramina

Observações: N.D.
Interações: Interação tiramina/rasagilina: Resultados de 5 estudos de estimulação com tiramina (em voluntários e doentes de Parkinson), juntamente com resultados de monitorizações de pressão arterial, efetuadas em ambulatório, após as refeições (de 464 doentes tratados com 0,5 ou 1 mg/dia de rasagilina ou placebo como terapia adjuvante de levodopa durante 6 meses sem restrições de tiramina), e o facto de não haver interações de tiramina/rasagilina reportadas em estudos clínicos efetuados sem restrições de tiramina, indicam que a rasagilina pode ser usada com segurança sem restrições de tiramina na dieta.

Linezolida + Tiramina

Observações: Linezolida é um inibidor reversível, não seletivo da monoaminoxidase (IMAO). Linezolida não é metabolizado de forma detetável pelo sistema enzimático do citocromo P450 (CYP) e não inibe nenhuma das isoformas CYP humanas clinicamente significativas (1A2, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1, 3A4). Da mesma forma, linezolida não induz as isoenzimas P450 em ratos. Assim, não se espera que linezolida induza interações farmacológicas a nível do CYP450.
Interações: Não se observou resposta significativa da pressão após administração de linezolida e menos de 100 mg de tiramina. Este facto sugere que é apenas necessário evitar a ingestão de quantidades excessivas de alimentos e bebidas com um elevado teor em tiramina (por ex., queijo curado, extratos de leveduras, bebidas alcoólicas não destiladas e produtos de soja fermentada, tal como molho de soja).

Furazolidona + Tiramina

Observações: N.D.
Interações: Não é recomendada a utilização de furazolidona com: - Álcool - Tiramina
Informar o Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017