Tibolona

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência no Dopping
O que é
Tibolona é uma Terapêutica Hormonal de Substituição (THS).


A Tibolona é um fármaco, hormona esteróide sintético, que é bastante não-selectivo em seu perfil de ligação, agindo como um agonista principalmente em receptores de estrogénio, com preferência por ER alfa.

É utilizado principalmente para o tratamento da endometriose, bem como a terapia hormonal de substituição em mulheres pós-menopáusicas.

A tibolona tem eficácia semelhante ou superior em comparação com idosos medicamentos de reposição hormonal, mas compartilha um perfil de efeitos colaterais similares.

Também tem sido investigado como um possível tratamento para a disfunção sexual feminina.
Usos comuns
Terapêutica Hormonal de Substituição para a sintomatologia associada à deficiência em estrogénios em mulheres em pós menopausa, pelo menos 12 meses após a menopausa, designadamente tratamento de afrontamentos e suores noturnos, alterações de humor, líbido diminuída, insónia, irritabilidade, depressão e atrofia do tracto-urogenital.

Prevenção da osteoporose em mulheres pós-menopáusicas com elevado risco de futuras fracturas e que são intolerantes, ou para quem é contraindicado a administração de outros medicamentos aprovados para a prevenção da osteoporose.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
Tratamento dos sintomas da deficiência estrogénica em mulheres mais do que um ano após a menopausa.

Prevenção da osteoporose em mulheres pós-menopáusicas com elevado risco de fracturas futuras, que sejam intolerantes, ou que tenham contraindicação, a outros medicamentos aprovados para a prevenção da osteoporose.

Para todas as mulheres, a decisão de prescrever tibolona deverá ser baseada numa avaliação individual dos riscos gerais da mulher e, em particular acima dos 60 anos, deverá ser considerado o risco de AVC.
Classificação CFT

08.05.01.01 : Tratamento de substituição

Mecanismo De Ação
Após administração oral, a tibolona é rapidamente metabolizada em três compostos (3 – OH – tibolona, 3 – OH – tibolona e 4-isómero da tibolona), que contribuem para o perfil farmacodinâmico da tibolona.

Dois destes metabólitos (3 – OH - tibolona e 3 – OH – tibolona) têm uma actividade predominantemente estrogénica, o terceiro metabólito e o composto afim, têm uma actividade predominantemente progestagénica.

A tibolona tem uma acção do tipo estrogénico nos afrontamentos e outras queixas do climatério.

Além disso, a acção tipo estrogénio exerce ainda a sua acção sobre a vagina.

Devido à acção progestagénica, a tibolona não estimula o endométrio.

Assim, a ocorrência de hemorragia é devida a atrofia endometrial.

A tibolona tem efeitos em certos parâmetros metabólicos e hematológicos, tais como, a diminuição de HDL-colesterol, triglicéridos, lipoproteína LPa e aumento da actividade fibrinolítica do sangue.
Posologia Orientativa
A dosagem é de um comprimido por dia sem interrupção.
Administração
Via oral.


Os comprimidos devem ser engolidos sem mastigar, com um pouco de água ou outra bebida, de preferência à mesma hora do dia.
Contraindicações
Gravidez e aleitamento

Presença, antecedentes ou suspeita de cancro da mama - Tibolona aumentou o risco de recorrência de cancro da mama num ensaio controlado com placebo

Presença ou suspeita de tumores malignos estrogeno-dependentes (ex., cancro do endométrio)

Hemorragia vaginal não diagnosticada

Hiperplasia endometrial não tratada

Tromboembolismo venoso prévio ou actual (trombose venosa profunda, embolismo pulmonar)

Distúrbios trombofílicos conhecidos (ex., défice em proteína C, proteína S ou antitrombina)

Doença tromboembólica arterial activa ou recente (ex., angina pectoris, enfarte do miocárdio)

Doença hepática aguda, ou antecedentes de doença hepática se os valores da função hepática não tiverem retomado os valores normais

Hipersensibilidade à substância activa

Porfíria
Efeitos Indesejáveis/Adversos
As seguintes doenças são reportadas com maior frequência em mulheres a tomarem THS em comparação com as que não utilizam THS:

Cancro da mama
Crescimento anormal ou cancro da camada que reveste o útero (hiperplasia ou cancro do endométrio)

Cancro no ovário
Coágulos de sangue nas veias das pernas ou pulmões (tromboembolismo venoso)

Doença cardíaca
AVC (Acidente vascular cerebral)
Provável perda de memória se o tratamento com THS for iniciado após os 65 anos de idade

Informe o seu médico ou farmacêutico se está preocupada com qualquer efeito secundário que ache que pode ser devido a Tibolona.

Efeitos secundários graves
- consulte imediatamente o seu médico
Se acha que tem sinais de um efeito secundário grave, consulte com o seu medico imediatamente.

Pode precisar de parar de tomar Tibolona:
Se a sua pressão arterial aumenta
Se notar um amarelecimento da sua pele e a parte branca dos seus olhos (icterícia)
Se tiver de repente cefaleias de tipo enxaqueca
Se notar sinais de coágulos de sangue

Outros efeitos secundários

Frequentes (podem afectar até 1 em 10 mulheres)
Dor mamária
Dor de estômago ou pélvica
Crescimento anormal dos pelos
Hemorragia ou sangramento vaginal

Geralmente é nada para se preocupar nos primeiros meses de tomar HRT.

Se o sangramento continua ou começa depois de ter estado na HRT por um tempo.

Sintomas vaginais, tais como corrimento, comichão, irritação e candidíase
Espessamento do revestimento do útero, ou do revestimento da cervix
Aumento de peso

Pouco frequentes (podem afectar até 1 em 100 mulheres):
Acne
Dor nos mamilos ou desconforto nas mamas
Infeçoes vaginais

Algumas mulheres a tomar Tibolona também relataram:
Depressão, tonturas, dor de cabeça
Dor nas articulações ou dor muscular
Problemas de pele, tais como erupção ou comichão
Inchaço nas mãos, tornozelos e pés – sinal de retenção de líquidos
Dor de barriga
Perda da visão ou visão turva
Alterações nos testes de fígado
Houve relatos de câncer de mama e de um aumento do crescimento celular ou cancro da camada que reveste o útero em mulheres que usam Tibolona

Informe o seu médico se algum dos efeitos secundários acima mencionados persistir ou se tornar incómodo.

Os seguintes efeitos secundários foram referidos após a toma de outras THS:
Doença da vesícula biliar.
Várias anomalias na pele:
Descoloração da pele especialmente na cara ou pescoço conhecida como "manchas da gravidez" (cloasma)
Nódulos avermelhados e dolorosos na pele (eritema nodoso)
Erupção cutânea (da pele) com lesões em forma de alvo avermelhado ou feridas (eritema multiforme)
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Contra-indicada. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco.
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Contra-indicada durante o aleitamento.
Dopping
Dopping
Dopping:Outros agentes anabolisantes
Precauções Gerais
Fale com o médico se tiver tido qualquer uma das seguintes situações, antes de começar o tratamento, uma vez que estes podem reaparecer ou piorar durante o tratamento com Tibolona.

Neste caso deverá consultar o médico com maior regularidade para realizar exames:
• fibromiomas no útero
• crescimento de células endometriais fora do útero (endometriose) ou historial de crescimento excessivo da camada que reveste o útero (hiperplasia endometrial)
• risco aumentado de desenvolver coágulos de sangue
• risco aumentado de ter um cancro estrógenio-dependente (por exemplo, se tem uma mãe, irmã ou avó que teve cancro da mama)
• tensão arterial alta
• um problema do fígado, como um tumor benigno do fígado
• diabetes
• litíase (pedra) na vesícula
• enxaqueca ou dor de cabeça graves
• uma doença do sistema imunitário que afecta muitos órgãos do corpo (Lúpus eritematoso sistémico, LES)
• epilepsia
• asma
• uma doença que afecta o tímpano e a audição (otosclerose)
• níveis elevados de gordura no sangue (triglicéridos)
• retenção de líquidos devido a problemas cardíacos (coração) ou renais (rins)
Pare de imediato de tomar Tibolona e consulte o médico imediatamente
Se verificar alguma das seguintes situações enquanto estiver a fazer THS ou Tibolona:
• amarelecimento da pele e da parte branca dos seus olhos (icterícia).

Tal pode ser sinal de uma doença no fígado
• um grande aumento da sua tensão arterial (os sintomas poderão ser dor de cabeça, cansaço , tonturas)
• ocorrência de enxaquecas ou dores de cabeça fortes pela primeira vez
• se ficar grávida
• se notar sinais de coágulos de sangue, como:
− inchaço doloroso e vermelhidão das pernas
− dor repentina no peito
− dificuldade em respirar
Nota:
Tibolona não é um contraceptivo.

Se a sua última menstruação tiver sido há menos de 12 meses ou tiver menos de 50 anos, poderá ainda precisar de utilizar um método contraceptivo adicional para prevenir uma gravidez.

Consulte o médico para aconselhamento.


THS e cancro
Crescimento excessivo da camada que reveste o útero (hiperplasia endometrial) e cancro da camada que reveste o útero (cancro do endométrio)
Têm sido notificados casos e surgido estudos de aumento do crescimento celular ou cancro da camada que reveste o útero em mulheres que utilizam Tibolona.

O risco de cancro da camada que reveste o útero aumenta com a duração da utilização.


Hemorragia irregular
Poderá ter hemorragia irregular ou gotas de sangue (sangramento) inesperadas durante os primeiros 3 - 6 meses de tratamento com Tibolona.

No entanto, consulte o médico o mais rapidamente possível se a hemorragia irregular:
• Persistir para além dos primeiros 6 meses
• Começar após 6 meses de tomar de Tibolona
• Continuar após ter parado de tomar Tibolona
Cancro da mama
As evidências sugerem que tomar combinações estrógeno-progestativas e possivelmente também THS apenas com estrogénios aumenta o risco de cancro da mama.

O risco acrescido depende da duração do tratamento com THS.

O risco adicional torna-se mais evidente após alguns anos.

No entanto retorna aos valores normais depois de alguns anos (no máximo 5) após a interrupção do tratamento.


Comparação
As mulheres que tomam Tibolona têm um risco mais baixo que as mulheres que utilizam THS combinados e um risco comparável com as que tomam THS contendo apenas estrogénio.


Verifique regularmente as suas mamas.

Consulte o médico se detectar quaisquer alterações, tais como:
- Formação de covinhas ou depressões na pele
- Alterações nos mamilos
- Todos os nódulos que veja ou sinta
Cancro do ovário
O cancro do ovário é raro.

Tem sido reportado um ligeiro aumento de risco de cancro do ovário em mulheres que tomam THS durante pelo menos 5 a 10 anos.


Comparação
Para mulheres com idade entre os 50 e os 69 anos que não estão a tomar THS, espera-se que em média, durante um período de 5 anos, 2 mulheres em cada 1.000 serão diagnosticadas com cancro do ovário.

Para mulheres a tomar THS durante 5 anos, esperam-se 2 a 3 casos em cada 1.000 utilizadoras (ou seja, até 1 caso adicional).


Com a utilização da Tibolona, o risco aumentado de cancro no ovário é semelhante ao dos outros tipos de THS.


Efeitos da THS no coração e na circulação
Coágulos de sangue numa veia (trombose)
O risco de coágulos de sangue nas veias é cerca de 1,3 a 3 vezes maior em utilizadoras de THS do que em não utilizadoras, especialmente durante o primeiro ano de tratamento.


Estes coágulos de sangue podem ser graves, e se um se deslocar até aos pulmões pode causar dor no peito, falta de ar, desmaio ou mesmo morte.


Está mais propensa a ter um coágulo de sangue nas veias se tiver uma idade avançada e se alguma das seguintes situações descritas se aplicar a si.

Informe o médico se alguma das seguintes situações se aplicar a si:
• está grávida ou teve recentemente um bebé
• utiliza estrogénios
• não consegue andar durante um período de tempo prolongado, devido a uma grande operação, trauma ou doença
• tem excesso de peso grave (IMC >30 kg/m2)
• tem algum problema de coagulação do sangue que necessita de tratamento prolongado com um medicamento usado para prevenir coágulos de sangue
• se algum dos seus familiares próximos já teve um coágulo de sangue numa perna, pulmão ou noutro órgão
• sofre de lúpus eritematoso sistémico (LES)
• tem cancro
Comparação
Nas mulheres com cerca de 50 anos de idade que não estão a tomar THS espera-se que, em média, durante um período de 5 anos, 4 a 7 em 1.000 tenham um coágulo de sangue numa veia.


Para mulheres nos seus 50 anos que tenham tomado THS com estrogénio e progestagénio durante mais de 5 anos, o número de casos será de 9 a 12 em 1.000 utilizadoras (ou seja, 5 casos adicionais).


Com o uso da Tibolona, o risco aumentado de formar um coágulo de sangue numa veia é inferior ao dos outros tipos de THS.


Doença do coração (ataque cardíaco)
Não há evidência de que os THS ou Tibolona Sandoz previnam os ataques cardíacos.


As mulheres com mais de 60 anos que estejam a tomar THS com estrogénio e progestagénio estão ligeiramente mais propensas a desenvolver uma doença do coração do que as que não estão a tomar qualquer THS.


Acidente vascular cerebral (AVC)
O risco de ter um AVC é 1,5 vezes maior em utilizadoras de THS do que em não utilizadoras.

O número de casos extra de AVC devido à utilização de THS aumentará com a idade.


Comparação
Nas mulheres com cerca de 50 anos que não tomam tibolona, num período de 5 anos em média, esperar-se-ia que 3 em 1000 possam ter um AVC.

Para mulheres com cerca de 50 anos que estejam a tomar tibolona, o número seria de 7 em 1.000 (ou seja, 4 casos adicionais).


Entre as mulheres na faixa dos 60 anos que não tomam tibolona, num período de 5 anos em média, esperar-se-ia que 11 em cada 1000 possam ter um AVC.

Para mulheres na faixa dos 60 anos que estejam a tomar tibolona, o número seria de 24 em cada 1000 (ou seja, 13 casos adicionais).


Outras condições e Tibolona
A THS não previne a perda de memória.

O risco de perda de memória poderá ser maior em mulheres que começaram a utilizar THS após os 65 anos de idade.
Cuidados com a Dieta
Pode comer e beber normalmente enquanto estiver a tomar Tibolona
Terapêutica Interrompida
Se se esquecer de tomar um comprimido à hora habitual, tome-o logo que se lembre a não ser que se tenha atrasado mais de 12 horas.

Neste caso, salte a toma deste comprimido e tome o próximo comprimido à hora habitual.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Usar com precaução

Tibolona + Anticoagulantes orais

Observações: N.D.
Interações: Uma vez que a tibolona pode aumentar a actividade fibrinolítica, ela pode intensificar os efeitos de anticoagulantes. Este efeito foi observado com a utilização de varfarina. Consequentemente, as mulheres que tomem em simultâneo Tibolona e varfarina devem ser vigiadas de perto, especialmente no início ou no final do tratamento com Tibolona. Se necessário, deve ser ajustada a dose de varfarina. - Anticoagulantes orais
Usar com precaução

Tibolona + Varfarina

Observações: N.D.
Interações: Uma vez que a tibolona pode aumentar a actividade fibrinolítica, ela pode intensificar os efeitos de anticoagulantes. Este efeito foi observado com a utilização de varfarina. Consequentemente, as mulheres que tomem em simultâneo Tibolona e varfarina devem ser vigiadas de perto, especialmente no início ou no final do tratamento com Tibolona. Se necessário, deve ser ajustada a dose de varfarina. Dados de metabolismo in vitro sugerem que a tibolona e os seus metabolitos podem inibir o CYP2C9, uma enzima P450. É preciso ter muito cuidado se se combinar tibolona com outros medicamentos metabolizados pelo CYP2C9. Isto aplica-se sobretudo aos medicamentos com intervalo terapêutico estreito, como a varfarina, a fenitoína e a tolbutamida. - Varfarina
Sem significado Clínico

Tibolona + Midazolam

Observações: N.D.
Interações: Existe informação limitada relativamente às interacções farmacocinéticas com tibolona. Um estudo in vivo demonstrou que o tratamento simultâneo com tibolona pode afetar moderadamente a farmacocinética do midazolam, um substrato do citocromo P4503A4. Com base nesse estudo, podem também ser esperadas interacções com outros substratos do CYP3A4. - Midazolam
Sem significado Clínico

Tibolona + Substratos do CYP3A4

Observações: N.D.
Interações: Existe informação limitada relativamente às interacções farmacocinéticas com tibolona. Um estudo in vivo demonstrou que o tratamento simultâneo com tibolona pode afetar moderadamente a farmacocinética do midazolam, um substrato do citocromo P4503A4. Com base nesse estudo, podem também ser esperadas interacções com outros substratos do CYP3A4. - Substratos do CYP3A4
Usar com precaução

Tibolona + Fenitoína

Observações: N.D.
Interações: Dados de metabolismo in vitro sugerem que a tibolona e os seus metabolitos podem inibir o CYP2C9, uma enzima P450. É preciso ter muito cuidado se se combinar tibolona com outros medicamentos metabolizados pelo CYP2C9. Isto aplica-se sobretudo aos medicamentos com intervalo terapêutico estreito, como a varfarina, a fenitoína e a tolbutamida. - Fenitoína
Usar com precaução

Tibolona + Tolbutamida

Observações: N.D.
Interações: Dados de metabolismo in vitro sugerem que a tibolona e os seus metabolitos podem inibir o CYP2C9, uma enzima P450. É preciso ter muito cuidado se se combinar tibolona com outros medicamentos metabolizados pelo CYP2C9. Isto aplica-se sobretudo aos medicamentos com intervalo terapêutico estreito, como a varfarina, a fenitoína e a tolbutamida. - Tolbutamida
Usar com precaução

Tibolona + Substratos do CYP2C9

Observações: N.D.
Interações: Dados de metabolismo in vitro sugerem que a tibolona e os seus metabolitos podem inibir o CYP2C9, uma enzima P450. É preciso ter muito cuidado se se combinar tibolona com outros medicamentos metabolizados pelo CYP2C9. Isto aplica-se sobretudo aos medicamentos com intervalo terapêutico estreito, como a varfarina, a fenitoína e a tolbutamida. - Substratos do CYP2C9
Usar com precaução

Tibolona + Barbitúricos

Observações: N.D.
Interações: Não foram estudados os efeitos da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Tendo em conta o perfil complexo da substância, incluindo os diversos metabolitos com diferentes efeitos, não é possível prever o efeito da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Todavia, teoricamente, deverão ser tidas em consideração as seguintes potenciais interacções: Os compostos de indução enzimática, tais como os barbitúricos, carbamazepina, hidantoínas e rifampicina, podem aumentar o metabolismo da tibolona e, desse modo, afetar o seu efeito terapêutico. As preparações à base de plantas que contêm hipericão (Hypericum Perforatum) podem induzir o metabolismo de estrogénios e Progestagénios. Em termos clínicos, um metabolismo reforçado de estrogénios e Progestagénios pode levar a um efeito reduzido e a alterações no perfil da hemorragia uterina. - Barbitúricos
Usar com precaução

Tibolona + Carbamazepina

Observações: N.D.
Interações: Não foram estudados os efeitos da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Tendo em conta o perfil complexo da substância, incluindo os diversos metabolitos com diferentes efeitos, não é possível prever o efeito da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Todavia, teoricamente, deverão ser tidas em consideração as seguintes potenciais interacções: Os compostos de indução enzimática, tais como os barbitúricos, carbamazepina, hidantoínas e rifampicina, podem aumentar o metabolismo da tibolona e, desse modo, afetar o seu efeito terapêutico. As preparações à base de plantas que contêm hipericão (Hypericum Perforatum) podem induzir o metabolismo de estrogénios e Progestagénios. Em termos clínicos, um metabolismo reforçado de estrogénios e Progestagénios pode levar a um efeito reduzido e a alterações no perfil da hemorragia uterina. - Carbamazepina
Usar com precaução

Tibolona + Hidantoínas

Observações: N.D.
Interações: Não foram estudados os efeitos da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Tendo em conta o perfil complexo da substância, incluindo os diversos metabolitos com diferentes efeitos, não é possível prever o efeito da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Todavia, teoricamente, deverão ser tidas em consideração as seguintes potenciais interacções: Os compostos de indução enzimática, tais como os barbitúricos, carbamazepina, hidantoínas e rifampicina, podem aumentar o metabolismo da tibolona e, desse modo, afetar o seu efeito terapêutico. As preparações à base de plantas que contêm hipericão (Hypericum Perforatum) podem induzir o metabolismo de estrogénios e Progestagénios. Em termos clínicos, um metabolismo reforçado de estrogénios e Progestagénios pode levar a um efeito reduzido e a alterações no perfil da hemorragia uterina. - Hidantoínas
Usar com precaução

Tibolona + Rifampicina

Observações: N.D.
Interações: Não foram estudados os efeitos da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Tendo em conta o perfil complexo da substância, incluindo os diversos metabolitos com diferentes efeitos, não é possível prever o efeito da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Todavia, teoricamente, deverão ser tidas em consideração as seguintes potenciais interacções: Os compostos de indução enzimática, tais como os barbitúricos, carbamazepina, hidantoínas e rifampicina, podem aumentar o metabolismo da tibolona e, desse modo, afetar o seu efeito terapêutico. As preparações à base de plantas que contêm hipericão (Hypericum Perforatum) podem induzir o metabolismo de estrogénios e Progestagénios. Em termos clínicos, um metabolismo reforçado de estrogénios e Progestagénios pode levar a um efeito reduzido e a alterações no perfil da hemorragia uterina. - Rifampicina
Usar com precaução

Tibolona + Hipericão (Erva de S. João)

Observações: N.D.
Interações: Não foram estudados os efeitos da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Tendo em conta o perfil complexo da substância, incluindo os diversos metabolitos com diferentes efeitos, não é possível prever o efeito da inibição ou indução do metabolismo da tibolona. Todavia, teoricamente, deverão ser tidas em consideração as seguintes potenciais interacções: Os compostos de indução enzimática, tais como os barbitúricos, carbamazepina, hidantoínas e rifampicina, podem aumentar o metabolismo da tibolona e, desse modo, afetar o seu efeito terapêutico. As preparações à base de plantas que contêm hipericão (Hypericum Perforatum) podem induzir o metabolismo de estrogénios e Progestagénios. Em termos clínicos, um metabolismo reforçado de estrogénios e Progestagénios pode levar a um efeito reduzido e a alterações no perfil da hemorragia uterina. - Hipericão (Erva de S. João)
Usar com precaução

Fluindiona + Tibolona

Observações: N.D.
Interações: Associações que requerem precauções de utilização: Tibolona: Aumento do efeito anticoagulante oral e risco de hemorragia. Monitorização mais frequente do INR. Ajustar a dose de anticoagulante oral durante o tratamento com tibolona e após a sua retirada. - Tibolona
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações da Tibolona
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Não tomar preparações com progestogénios quando este a tomar Tibolona

Tibolona está contra-indicada durante a gravidez.

Tibolona é contra-indicada durante o aleitamento.

Doping: Outros agentes anabolisantes
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 26 de Novembro de 2020