Taurina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento
O que é
A taurina é um aminoácido natural do corpo humano, onde desempenha importantes funções em vários processos biológicos. Existe em abundância, nomeadamente no coração, músculos, sistema nervoso, retina e plaquetas (tipo de células sanguíneas). É um aminoácido dito não-essencial, pois apesar de poder ser obtido da alimentação diária, pode também ser sintetizado (no fígado e no cérebro) pelo nosso organismo através dos aminoácidos metionina e cisteína e da piridoxina (vitamina B6).

A taurina é encontrada naturalmente em alimentos de origem animal como a carne e o peixe, embora exista também em alimentos de origem vegetal como as leguminosas, a beterraba e os frutos oleaginosos,. No entanto, tornou-se muito popular como ingrediente comum de bebidas energéticas ou tomado na forma de suplemento alimentar desportivo, devido aos seus efeitos no aumento dos níveis de energia e da performance atlética

A taurina está envolvida em inúmeros processos biológicos. Desde logo, desempenha um papel essencial na absorção de gorduras (lípidos) provenientes da alimentação, no intestino delgado, actuando, assim, como emulsionante. Ao nível muscular, funciona como transmissor metabólico, fortalecendo as contracções musculares, incluindo as contracções cardíacas. Intervém no metabolismo energético, tanto dos aminoácidos, contribuindo para a construção muscular (anabolismo), como da glicose, intensificando os efeitos da insulina. A taurina tem anda reconhecidas funções no processo inflamatório e actua, ainda, como agente desintoxicante, facilitando a eliminação hepática (isto é, através do fígado) de substâncias que já não são utilizadas pelo organismo. Ainda, pode ser vantajosa na prevenção de convulsões em indivíduos com epilepsia, devido a sua capacidade inibidora de neurotransmissores prevenindo, assim, estados de excitabilidade cerebral que despoletam as crises.

Outro efeito da taurina, é o seu papel importante na saúde cardiovascular, na medida em que auxilia a entrada e saída de minerais essenciais como o potássio, magnésio e cálcio, e, ainda, contribui para a vasodilatação através do aumento da secreção do vasodilatador orgânico óxido nítrico. Desta forma, contribui para a oxigenação de tecidos e músculos e pode ajudar a prevenir arritmia, insuficiência cardíaca e hipertensão arterial.

A taurina melhora também o funcionamento da vesícula biliar, contribuindo para o seu normal esvaziamento, o que, além de auxiliar o processo digestivo, contribui para a eliminação do colesterol endógeno, existente na bílis.

Indivíduos com problemas renais ou hepáticos devem consultar um médico antes do seu consumo.
Usos comuns
O uso de suplementos dietéticos contendo taurina é indicado para o suporte nutricional de lactentes e pacientes pediátricos jovens que necessitam de nutrição parenteral total por via central ou periférica.

O uso de suplementos dietéticos contendo taurina previne a perda de nitrogénio e peso ou para tratar o balanço nitrogenado negativo em pacientes pediátricos onde o trato alimentar não pode ser feito por via oral, gastrostomia ou jejunostomia, há absorção gastrointestinal prejudicada ou as necessidades protéicas são substancialmente aumentadas.

A taurina pode ser útil em alguns com insuficiência cardíaca congestiva e hipertensão.

Demonstrou alguns efeitos antiaterogénicos em estudos em animais e humanos.

Usado em bebidas energéticas.
Tipo
Molécula pequena.
História
A taurina foi pela primeira vez isolada em 1827. (Tiedemann F., Gmelin L., 1827: Einige neue Bestandteile der Galle des Ochsen, Ann. Physik. Chem., 9, 326-337).

A ligação com os bovinos (nome em latim “bos taurus”) claramente explica o porquê do nome “Taurina” ter sido escolhido.
Indicações
Considerando as suas funções orgânicas, a taurina está indicada na forma suplementar para prevenir ou auxiliar no tratamento de situações de stress, uma vez que actua na regulação (redução) da tensão arterial e na prevenção da excitabilidade do sistema nervoso, funcionado, pois, como calmante natural. Actua também como antioxidante cito-protector, protegendo as células de alguns químicos responsáveis por danos oxidativos.

Ajuda à prevenção do catabolismo proteico (destruição muscular), contribuindo para a manutenção ou o aumento da massa muscular, especialmente pretendido por praticantes de desporto. O facto de melhorar a função da insulina confere-lhe, também, propriedades de melhorador do metabolismo energético, melhorando a performance atlética. Ainda no âmbito do exercício físico, tem efeito similar a creatina no que se refere a promoção do volume muscular.

Algumas pessoas podem também ter vantagem em tomar taurina suplementar como auxiliar do tratamento de afecções cardíacas, como a insuficiência cardíaca congestiva, hipertensão arterial, de hipercolesterolémia (colesterol elevado), de doença hepática, de fibrose quística, de distúrbios convulsivos como a epilepsia, problemas da retina, diabetes e perturbação de hiperatividade e défice de atenção (PHDA).
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
Os suplementos dietéticos que contêm taurina funcionam substituindo os nutrientes ausentes no corpo.

A taurina, como agente único, apresenta diferentes funções como substrato para formação de sais biliares, regulação do volume celular, modulação do cálcio intracelular, citoproteção do sistema nervoso central, etc.
Posologia Orientativa
A taurina abunda principalmente em alimentos de origem animal como a carne e o peixe, contudo, para beneficiar do seu máximo potencial, poderá ser necessária a toma suplementar, disponível geralmente em cápsula, pó ou líquido.

Na prática desportiva regular, é utilizado como suplemento pré- e pós-treino, com vista à redução do catabolismo proteico, sendo a recomendação usual de toma de 500mg de taurina, 3 vezes por dia. No que respeita a outros objectivos terapêuticos, deverá utilizar e adequar a dose segundo indicação médica ou de um profissional de saúde credenciado.
Administração
Via oral.
Contraindicações
Mulheres grávidas e lactantes devem evitar suplementos de taurina, a menos que recomendado por seus médicos.

Pessoas com insuficiência cardíaca congestiva devem usar apenas taurina sob supervisão médica.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Quando tomada nas doses recomendadas, pelo menos que se saiba, não existem quaisquer efeitos secundários associados.

Quando alguém ingere elevadas doses de taurina, isso pode provocar uma sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins, de modo que também quem tem problemas nestes órgãos deverá obter primeiro uma autorização médica para o seu uso.
Advertências
Precauções Gerais
Sem informação.
Cuidados com a Dieta
Sem informação.
Terapêutica Interrompida
Sem informação.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Sem Resultados
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos.

Mulheres grávidas e lactantes devem evitar suplementos de taurina, a menos que recomendado por seus médicos.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 25 de Setembro de 2018