Pseudoefedrina

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Insuficiência Renal DCI com Advertência no Dopping DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Um alfa-e beta-adrenérgico que pode também aumentar a libertação de norepinefrina.

Tem sido usado no tratamento de várias doenças, incluindo asma, insuficiência cardíaca, rinite e incontinência urinária, e para os seus efeitos estimulantes do sistema nervoso central no tratamento de narcolepsia e depressão.

Tornou-se menos extensivamente utilizada com o advento dos agonistas mais seletivos.

Dopping: Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro. A pseudoefedrina é proibida quando a concentração na urina seja superior a 150 microgramas por mililitro.
Usos comuns
A pseudoefedrina é utilizada para aliviar a congestão nasal ou causada pelo frio, sinusite e febre do feno comum e outras alergias respiratórias.

É também utilizada para aliviar a congestão da orelha provocada por inflamação ou infeção do ouvido.

Algumas destas preparações estão disponíveis apenas com prescrição médica.

Não se deve dar nenhum medicamento de venda livre para a tosse ou gripe a um bebé ou a uma criança com menos de 4 anos de idade.

Usado em crianças muito jovens estes medicamentos podem causar efeitos colaterais graves possivelmente com risco de vida.
Tipo
pequena molécula
História
Sem informação.
Indicações
Para o tratamento da congestão nasal, congestão do sínus, congestão da trompa de Eustáquio e rinite vasomotora, e como um adjuvante de outros agentes no tratamento ideal de rinite alérgica, difteria, sinusite, otite média, e traqueobronquite.

Também é usado como tratamento de primeira linha do priapismo.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
A Pseudoefedrina age diretamente sobre ambos alfa e, até certo ponto, os recetores beta-adrenérgicos menores.

Através da ação direta sobre os recetores alfa-adrenérgicos na mucosa do trato respiratório, pseudoefedrina produz vasoconstrição.

Pseudoefedrina relaxa a musculatura lisa brônquica, estimulando recetores beta2-adrenérgicos.

Como efedrina, pseudoefedrina liberação de noradrenalina a partir de seus locais de armazenamento, um efeito indireto.

Este é o seu mecanismo principal e de ação direta.

A noradrenalina deslocado é liberado na sinapse neuronal, onde é livre para ativar os recetores adrenérgicos pós-sinápticos.
Posologia Orientativa
Adultos:
Via oral: 60 mg, 2 a 4 vezes/dia.

Crianças:
Via oral: Dos 2 aos 6 anos - 15 mg, 2 a 4 vezes/dia; dos 6 aos 12 anos - 30 mg, 2 a 4 vezes/dia; mais de 12 anos - 60 mg, 2 a 4 vezes/dia.
Administração
Sem informação.
Contraindicações
Arritmias, doença coronária, HTA. Evitar na IR grave. Hipersensibilidade aos constituintes.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
O seu uso repetido pode induzir tolerância e causar irritação local. Podem provocar taquicardia, inquietação e insónias ou mesmo depressão central, especialmente quando utilizados em crianças ou no adulto em doses excessivas. Na sua maior parte são medicamentos não sujeitos a receita médica.
Semelhantes às da efedrina (taquicardia, inquietação, insónia), embora geralmente menos marcadas. Raramente, arritmias cardíacas.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Encerramento defeituoso da parede abdominal referido em RN. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco. Trimestre: 1º
Aleitamento
Aleitamento:Presente no leite em quantidades muito pequenas para ser perigoso.
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Evitar na IR grave.
Dopping
Dopping:Dopping: Diuréticos e Agentes Mascarantes. O uso Em Competição e Fora de Competição, conforme aplicável, de qualquer quantidade das seguintes substâncias sujeitas a um valor limite de deteção: formoterol, salbutamol, catina, efedrina, metilefedrina e pseudoefedrina, associado com um diurético ou outro agente mascarante, requer a obtenção de uma Autorização de Utilização Terapêutica especificamente para essa substância, para além da obtida para o diurético ou outro agente mascarante. Estimulantes específicos. Proibida quando a concentração na urina seja superior a 150 microgramas por mililitro
Precauções Gerais
Se os sintomas não melhorarem dentro de 7 dias ou se também tiver febre alta, consulte o seu médico uma vez que estes sinais podem significar que tem outros problemas médicos.
Cuidados com a Dieta
Tome, independentemente das refeições.
Terapêutica Interrompida
Uma vez que a pseudoefedrina é tomada quando necessário, pode não ser necessário um esquema de administração.

Se estiver a tomar a medicação regularmente, tome a dose esquecida assim que se lembrar. Ignorar a dose esquecida se for quase hora da sua próxima dose.

Não tome medicamento extra para compensar a dose esquecida.
Cuidados no Armazenamento
Administrar pseudoefedrina à temperatura ambiente, entre 15° e 30° C). Armazene longe do calor, humidade e luz. Não armazene no banheiro. Mantenha pseudoefedrina fora do alcance de crianças e longe de animais de estimação.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Efedrina + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: Associações contraindicadas: Agentes simpaticomiméticos indiretos (fenilpropanolamina, pseudoefedrina, fenilefrina, metilfenidato) Risco de vasoconstrição e/ou de episódios agudos de hipertensão.

Tedizolida + Pseudoefedrina

Observações: O potencial de interações serotoninérgicas não foi estudado nem em doentes nem em voluntários saudáveis.
Interações: Foram realizados estudos de interação medicamentosa para determinar os efeitos de 200 mg de Tedizolida, administrados por via oral, em estado estacionário sobre os efeitos de pressão da pseudoefedrina e tiramina em voluntários saudáveis. Não foram observadas quaisquer alterações relevantes na tensão arterial e ritmo cardíaco com a pseudoefedrina em voluntários saudáveis, e não foi observado qualquer aumento clinicamente relevante na sensibilidade da tiramina.
 Potencialmente Grave

Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO) + Pseudoefedrina

Observações: Aumento das reservas de nordrenalina nos neurónios adrenérgicos; Deslocamento destas reservas por outros fármacos que podem desencadear uma crise hipertensiva; Os IMAOs têm actividade hipoglicémica intrínseca
Interações: Simpaticomiméticos (de acção indirecta): episódio hipertensivo por libertação das reservas de noradrenalina (anfetaminas, efedrina, fenilpropanolamina, pseudoefedrina) - Pseudoefedrina

Cloreto de cálcio + Cloreto de potássio + Cloreto de sódio + Lactato de sódio + Pseudoefedrina

Observações: População pediátrica: Não existem características especiais.
Interações: A administração desta associação de acordo com as indicações e contraindicações recomendadas não eleva as concentrações plasmáticas dos eletrólitos que a solução contém. Em caso de aumento da concentração de qualquer eletrólito devido a outras causas as seguintes interações devem ser consideradas. Relacionadas com LACTATO: A administração de bicarbonato ou de um precursor do bicarbonato tal como o lactato conduz à alcalinização da urina com depuração renal aumentada de medicamentos acídicos (p.ex. ácido salicílico). A semivida de medicamentos básicos – em especial de simpaticomiméticos (p.ex. efedrina, pseudoefedrina) e de estimulantes (p.ex. sulfato de dexanfetamina, cloridrato de fenfluramina) será prolongada se forem administradas em simultâneo soluções contendo lactato.

Desloratadina + Pseudoefedrina + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: DESLORATADINA / PSEUDOEFEDRINA Não foram realizados estudos de interação com a associação de desloratadina e sulfato de pseudoefedrina.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Bicarbonato de sódio + Ácido cítrico + Simeticone + Pseudoefedrina

Observações: Alguns medicamentos podem interagir com bicarbonato de sódio/ácido cítrico/simeticone.
Interações: Simpaticomiméticos (por exemplo, pseudoefedrina), porque o risco de seus efeitos secundários podem ser aumentados.

Cetirizina + Pseudoefedrina

Observações: Dados os perfis farmacocinéticos, farmacodinâmicos e de tolerância da cetirizina, não são esperadas interações com este anti-histamínico. A extensão da absorção da cetirizina não é reduzida pela administração de alimentos, apesar da velocidade de absorção diminuir.
Interações: Não foram descritas interações significativas nos estudos de interacção medicamento-medicamento realizados, nomeadamente com a pseudoefedrina. Estudos farmacodinâmicos de cetirizina com pseudoefedrina não revelaram evidências de interações adversas.

Bicarbonato de sódio + Carbonato de cálcio + Carbonato de magnésio + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: O aumento do pH urinário induzido pela administração de antiácidos, diminui a excreção de sais fracos e aumenta a de ácidos fracos. A excreção urinária de anfetaminas, dextroanfetaminas, efedrina, pseudoefedrina, flecainida e quinidina pode ser marcadamente diminuída em doentes cuja urina é alcalinizada com antiácidos e em doentes sob tratamento concomitante com estes fármacos, pode ocorrer um aumento dos efeitos das anfetaminas, das dextroanfetaminas, da efedrina, da pseudoefedrina, da flecainida e da quinidina. Não se recomenda a administração concomitante de antiácidos com anfetaminas, dextroanfetaminas, efedrina, pseudoefedrina, flecainida ou quinidina. Caso não possa ser evitada uma administração concomitante, deverão monitorizar-se os sinais de toxicidade das anfetaminas, dextroanfetaminas, efedrina, pseudoefedrina e flecainida e ainda os níveis plasmáticos de quinidina, com vista a um ajustamento adequado das doses.

Cetirizina + Pseudoefedrina + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: CETIRIZINA: Foram realizados estudos de interacção farmacocinética de cetirizina com cimetidina, cetoconazol, eritromicina, azitromicina e pseudoefedrina; não se verificaram interações farmacocinéticas. Estudos farmacodinâmicos de cetirizina com cimetidina, glipizida, diazepam e pseudoefedrina não revelaram evidências de interações adversas. Estudos de cetirizina com azitromicina, eritromicina, cetoconazol, teofilina e pseudoefedrina não revelaram evidência de interações clínicas adversas. Não há evidência de interacção farmacocinética relevante entre a cetirizina e a pseudoefedrina.

Safinamida + Pseudoefedrina

Observações: Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: Interações medicamentosas farmacodinâmicas in vivo e in vitro: Inibidores da MAO e petidina: Safinamida não deve ser administrado juntamente com outros inibidores da MAO (incluindo a moclobemida) uma vez que poderá existir um risco de inibição não seletiva da MAO que pode resultar numa crise de hipertensão. Foram notificados casos de reações adversas graves com a utilização concomitante de petidina e inibidores da MAO. Como isto pode ser um efeito de classe, a administração concomitante de Safinamida e petidina é contraindicada. Foram notificados casos de interações medicamentosas com a utilização concomitante de inibidores da MAO e medicamentos simpatomiméticos. Tendo em consideração a atividade inibitória da safinamida, a administração concomitante de Safinamida e medicamentos simpaticomiméticos, tais como os existentes em descongestionantes nasais e orais ou medicamentos para constipação que contenham efedrina ou pseudoefedrina, requer precaução.

Atomoxetina + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: Fármacos que afetam a noradrenalina devem ser usados com precaução quando administrados concomitantemente com atomoxetina, dados os potenciais efeitos farmacológicos aditivos ou sinérgicos. Exemplos incluem antidepressivos tais como a imipramina, venlafaxina e mirtazapina ou os descongestionantes pseudoefedrina ou fenilefrina.

Levocetirizina + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: Não foram efectuados estudos de interacção com a levocetirizina (incluindo estudos com indutores da CYP3A4); estudos efectuados com o composto racemato cetirizina demonstraram não existir interações adversas clinicamente relevantes (com pseudoefedrina, cimetidina, cetoconazol, eritromicina, azitromicina, glipizida e diazepam).
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Pirbuterol + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: Inibidores da catecol-O-metiltransferase (COMT) (por exemplo, entacapone), linezolid, um IMAO (por exemplo, fenelzina), broncodilatadores simpaticomiméticos de curta duração (por exemplo, albuterol), estimulantes (por exemplo, anfetamina), simpaticomiméticos (pseudoefedrina) ou antidepressivos tricíclicos (por exemplo, amitriptilina) porque podem aumentar o risco de efeitos secundários do pirbuterol

Furazolidona + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: Não se recomenda a utilização de furazolidona com qualquer um dos seguintes medicamentos. - Amitriptilina - Apraclonidina - Atomoxetina - Benzefetamina - Brimonidina - Bupropiona - Carbamazepina - Carbidopa - Carbinoxamina - Citalopram - Clomipramina - Ciclobenzaprina - Cipro-heptadina - Desipramina - Desvenlafaxina - Dexmetilfenidato - Dextroanfetamina - Anfepramona (Dietilpropiona) - Doxilamina - Entacapona - Escitalopram - Femoxetina - Fluoxetina - Fluvoxamina - Guanedrel - Guanetidina - Hidroxitriptofano - Imipramina - Isocarboxazida - Levodopa - Levacetilmetadol - Levomilnacipran - Maprotilina - Mazindol - Metadona - Metanfetamina - Metildopa - Metilfenidato - Milnaciprano - Mirtazapina - Nefazodona - Nefopam - Nortriptilina - Opipramol - Paroxetina - Fendimetrazina - Fenmetrazina - Fentermina - Fenilalanina - Pseudoefedrina - Reserpina - Safinamida - Selegilina - Sertralina - Sibutramina - Sumatriptano - Tapentadol - Tetrabenazina - Tranilcipromina - Trazodona - Trimipramina - Triptofano - Venlafaxina - Vilazodona - Vortioxetina - Zimeldina
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Carbonato de cálcio + Hidróxido de alumínio + Pseudoefedrina

Observações: O aumento do pH urinário aumenta a excreção urinária e diminui a concentração sanguínea dos salicilatos.
Interações: Pode acelerar a absorção de ácido acetilsalicílico em comprimido tamponado ou revestido, dicumarol, pseudoefedrina e diazepam. Devem portanto estes medicamentos ser tomados longe do Carbonato de cálcio/ Hidróxido de alumínio (1 a 2 horas antes).

Rasagilina + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: Foram relatadas interações medicamentosas com inibidores da MAO no uso concomitante de fármacos simpaticomiméticos. Assim, tendo em consideração a atividade inibitória da MAO da rasagilina, o uso concomitante de rasagilina e simpaticomiméticos, tais como os incluídos em descongestionantes nasais e orais, ou medicamentos usados no tratamento da constipação contendo efedrina ou pseudoefedrina, não é recomendado.
 Potencialmente Grave

Pseudoefedrina + Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: N.D.
Interações: A co-administração com MAOI (ou durante 2 semanas após ter interrompido a administração de MAOI) pode provocar uma crise de hipertensão.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Pseudoefedrina + Antidepressores (Tricíclicos)

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante da Pseudoefedrina com antidepressivos tricíclicos, agentes simpaticomiméticos tais como descongestionantes, inibidores do apetite e furazolidona, que interferem com o catabolismo das aminas simpaticomiméticas, ocasionalmente podem provocar um aumento da pressão sanguínea.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Pseudoefedrina + Simpaticomiméticos

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante da Pseudoefedrina com antidepressivos tricíclicos, agentes simpaticomiméticos tais como descongestionantes, inibidores do apetite e furazolidona, que interferem com o catabolismo das aminas simpaticomiméticas, ocasionalmente podem provocar um aumento da pressão sanguínea.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Pseudoefedrina + Descongestionantes

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante da Pseudoefedrina com antidepressivos tricíclicos, agentes simpaticomiméticos tais como descongestionantes, inibidores do apetite e furazolidona, que interferem com o catabolismo das aminas simpaticomiméticas, ocasionalmente podem provocar um aumento da pressão sanguínea.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Pseudoefedrina + Furazolidona

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante da Pseudoefedrina com antidepressivos tricíclicos, agentes simpaticomiméticos tais como descongestionantes, inibidores do apetite e furazolidona, que interferem com o catabolismo das aminas simpaticomiméticas, ocasionalmente podem provocar um aumento da pressão sanguínea.

Pseudoefedrina + Tosilato de bretílio

Observações: N.D.
Interações: A pseudoefedrina pode parcialmente inverter a acção hipotensiva de fármacos que interferem com a actividade simpaticomimética incluindo o bretilium, betanidina, guanetidina, debrisoquina, metildopa, agentes bloqueadores alfa e beta-adrenérgicos.

Pseudoefedrina + Betanidina

Observações: N.D.
Interações: A pseudoefedrina pode parcialmente inverter a acção hipotensiva de fármacos que interferem com a actividade simpaticomimética incluindo o bretilium, betanidina, guanetidina, debrisoquina, metildopa, agentes bloqueadores alfa e beta-adrenérgicos.

Pseudoefedrina + Guanetidina

Observações: N.D.
Interações: A pseudoefedrina pode parcialmente inverter a acção hipotensiva de fármacos que interferem com a actividade simpaticomimética incluindo o bretilium, betanidina, guanetidina, debrisoquina, metildopa, agentes bloqueadores alfa e beta-adrenérgicos.

Pseudoefedrina + Debrisoquina

Observações: N.D.
Interações: A pseudoefedrina pode parcialmente inverter a acção hipotensiva de fármacos que interferem com a actividade simpaticomimética incluindo o bretilium, betanidina, guanetidina, debrisoquina, metildopa, agentes bloqueadores alfa e beta-adrenérgicos.

Pseudoefedrina + Metildopa

Observações: N.D.
Interações: A pseudoefedrina pode parcialmente inverter a acção hipotensiva de fármacos que interferem com a actividade simpaticomimética incluindo o bretilium, betanidina, guanetidina, debrisoquina, metildopa, agentes bloqueadores alfa e beta-adrenérgicos.

Pseudoefedrina + Bloqueadores beta-adrenérgicos

Observações: N.D.
Interações: A pseudoefedrina pode parcialmente inverter a acção hipotensiva de fármacos que interferem com a actividade simpaticomimética incluindo o bretilium, betanidina, guanetidina, debrisoquina, metildopa, agentes bloqueadores alfa e beta-adrenérgicos.

Pseudoefedrina + Bloqueadores adrenérgicos alfa

Observações: N.D.
Interações: A pseudoefedrina pode parcialmente inverter a acção hipotensiva de fármacos que interferem com a actividade simpaticomimética incluindo o bretilium, betanidina, guanetidina, debrisoquina, metildopa, agentes bloqueadores alfa e beta-adrenérgicos.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Pseudoefedrina + Inibidores do apetite

Observações: N.D.
Interações: O uso concomitante da Pseudoefedrina com antidepressivos tricíclicos, agentes simpaticomiméticos tais como descongestionantes, inibidores do apetite e furazolidona, que interferem com o catabolismo das aminas simpaticomiméticas, ocasionalmente podem provocar um aumento da pressão sanguínea.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Tolazamida + Pseudoefedrina

Observações: N.D.
Interações: Os bloqueadores dos canais de cálcio (por exemplo, diltiazem), corticosteróides (por exemplo, prednisona), descongestionantes (por exemplo, pseudoefedrina), diazóxido, diuréticos (por exemplo, furosemida, hidroclorotiazida), estrogénios, contraceptivos hormonais (por exemplo, comprimidos anticoncepcionais), isoniazida, niacina, Fenotiazinas (por exemplo, prometazina), fenitoína, rifamicinas (por exemplo, rifampicina), simpaticomiméticos (por exemplo, albuterol, epinefrina, terbutalina) ou suplementos de tireóide (por exemplo, levotiroxina), porque podem diminuir a eficácia da tolazamida, resultando em níveis elevados de açúcar no sangue.

Linezolida + Pseudoefedrina

Observações: Linezolida é um inibidor reversível, não seletivo da monoaminoxidase (IMAO). Linezolida não é metabolizado de forma detetável pelo sistema enzimático do citocromo P450 (CYP) e não inibe nenhuma das isoformas CYP humanas clinicamente significativas (1A2, 2C9, 2C19, 2D6, 2E1, 3A4). Da mesma forma, linezolida não induz as isoenzimas P450 em ratos. Assim, não se espera que linezolida induza interações farmacológicas a nível do CYP450.
Interações: Em voluntários saudáveis normotensos, linezolida potenciou o aumento da pressão sanguínea provocado pela pseudoefedrina e cloridrato de fenilpropanolamina. A coadministração de linezolida tanto com a pseudoefedrina como com a fenilpropanolamina originou aumentos médios da pressão sanguínea sistólica na ordem dos 30-40 mm Hg, em comparação com aumentos de 11-15 mm Hg com linezolida administrado isoladamente, 14-18 mm Hg tanto com a pseudoefedrina como com a fenilpropanolamina administradas isoladamente, e 8-11 mm Hg com placebo. Não se realizaram estudos semelhantes em indivíduos hipertensos. Recomenda-se que sejam determinadas cuidadosamente as doses dos fármacos com ação vasopressora, incluindo agentes dopaminérgicos, de modo a atingir a resposta desejada quando coadministrados com linezolida.
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica (OTC), Produtos de Saúde, Suplementos Alimentares ou Fitoterapêuticos

Tomar somente como prescrito, não aumentar a dose ou duração do tratamento, a menos que instruído de outra forma por um clínico.

Informar os pacientes sobre o desenvolvimento de efeitos adversos do sistema nervoso central (por exemplo, nervosismo, tontura, insónia).

Descontinuar o tratamento se os sintomas persistirem por >7 dias ou são acompanhados por febre.

Alertar os pacientes para informarem o médico sobre a existência de outros tratamentos em curso, incluindo medicamentos de venda livre (por exemplo, tosse e preparações frias) e suplementos de ervas, bem como todas as doenças concomitantes (por exemplo, doença cardiovascular).

Alertar pacientes mulheres para informarem o médico se planeiam engravidar ou amamentar.

Importância de informar os pacientes de outras informações de precaução importante.

Dopping:
- Diuréticos e Agentes Mascarantes. O uso Em Competição e Fora de Competição, conforme aplicável, de qualquer quantidade das seguintes substâncias sujeitas a um valor limite de deteção: formoterol, salbutamol, catina, efedrina, metilefedrina e pseudoefedrina, associado com um diurético ou outro agente mascarante, requer a obtenção de uma Autorização de Utilização Terapêutica especificamente para essa substância, para além da obtida para o diurético ou outro agente mascarante.

- Estimulantes específicos. Proibida quando a concentração na urina seja superior a 150 microgramas por mililitro.

Dopping: Substância probida - Portaria n.º 411/2015, de 26 de novembro - Aprova a Lista de Substâncias e Métodos Proibidos para 2016 e revoga a Portaria n.º 270/2014, de 22 de dezembro. A pseudoefedrina é proibida quando a concentração na urina seja superior a 150 microgramas por mililitro.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017