Prazepam

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
Prazepam é uma benzodiazepina que é utilizada no tratamento de perturbações de ansiedade.

É um fármaco cronograma IV nos EUA.
Usos comuns
Está indicado no alívio dos sintomas de ansiedade e tensão.
Tipo
Molécula pequena.
História
Prazepam foi desenvolvido pela Warner-Lambert em 1960.
Indicações
Prazepam está indicado no controlo da ansiedade ou de estados de tensão e no alívio a curto prazo dos sintomas de ansiedade. A ansiedade ou a tensão associada ao stress da vida diária não requer, normalmente, tratamento com ansiolíticos.
As benzodiazepinas só estão indicadas quando a doença é grave, incapacitante, ou quando o indivíduo está sujeito a angústia extrema.
Classificação CFT

02.09.01 : Ansiolíticos, sedativos e hipnóticos

Mecanismo De Ação
O prazepam é uma 1-4-benzodiazepina com atividade farmacodinâmica qualitativamente similar à dos outros compostos do mesmo grupo, ou seja, atividade relaxante muscular, ansiolítica, sedante, hipnótica, anticonvulsiva, amnésica. Estes efeitos estão relacionados com uma ação agonista específica num recetor central que faz parte do complexo recetores macromoleculares GABAOMEGA, também denominado BZD1 e BZD2, que interfere na abertura do canal de cloreto.
Nos estudos realizados em sujeitos normais, demonstrou-se que o prazepam tem efeitos depressores sobre o sistema nervoso central. Em administração oral, doses únicas tão elevadas como 60 mg e doses divididas até 100 mg, três vezes ao dia (300 mg, dose diária total), não produziram efeitos tóxicos.
Posologia Orientativa
A duração total do tratamento da ansiedade, em geral, não deve ultrapassar 8 a 12 semanas, incluindo a redução gradual da dose.

Posologia nos Adultos: deve ser administrado por via oral em doses divididas. A dose diária inicial recomendada é de 20 mg em doses divididas.
A dose diária habitual é de 30 mg.
A dose deve ser gradualmente ajustada, dentro do intervalo de 20 mg a 60 mg diários, em função da resposta do doente.

Posologia no Idoso: Nos doentes idosos ou debilitados, o tratamento deve ser iniciado por uma dose diária de 10 mg a 15 mg em tomas divididas ou em toma única (10 mg).
A redução da dose é aconselhada, sendo geralmente suficiente metade da dose diária média.

Posologia nos Doentes com Disfunção Hepática e/ou Renal: Metade da dose diária média nos adultos é, geralmente, suficiente.
Administração
Por via oral.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao Prazepam.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Sonolência, confusão emocional, capacidade de reação diminuída (alerta reduzido), confusão, fadiga, cefaleias, tonturas, fraqueza muscular, ataxia, visão dupla. Estes fenómenos ocorrem predominantemente no início da terapêutica e, em geral, desaparecem com a continuação do tratamento. Outros efeitos adversos, tais como problemas gastrointestinais, alterações da libido ou reações cutâneas, foram referidos ocasionalmente com o uso de benzodiazepinas.

Amnésia: Amnésia anterógrada pode ocorrer com dosagens terapêuticas e o risco aumenta com dosagens mais elevadas. Os efeitos amnésicos podem estar associados a comportamentos inadequados.

Depressão: Uma depressão pré-existente pode ser revelada durante a utilização das benzodiazepinas.

Reações Psiquiátricas e Paradoxais: Reações de inquietação, agitação, irritabilidade, agressividade, ilusão, ataques de raiva, pesadelos, alucinações, psicoses, comportamento inadequado e outros efeitos adversos de comportamento sabe-se estarem associadas à utilização das benzodiazepinas e das benzodiazepinas-like.
Podem mesmo ser severas com este fármaco. São mais comuns nas crianças e nos idosos.

Dependência: O uso (mesmo em doses terapêuticas) pode conduzir ao desenvolvimento de dependência física: a interrupção da terapêutica pode dar origem ao síndrome de abstinência ou ao fenómeno de rebound.
Pode ocorrer dependência psíquica. O uso abusivo das benzodiazepinas tem sido referido.

Os efeitos secundários seguintes foram notificados durante os ensaios em dupla ocultação controlados com placebo, que utilizaram a típica dose diária total de 30mg em tomas divididas Nos ensaios controlados da dose única noturna, que utilizaram doses variáveis, demonstrou-se que a incidência destes efeitos indesejáveis está relacionada com a dose. Estes resultados são característicos das benzodiazepinas.
Perturbações do foro psiquiátrico: confusão mental, sonhos vívidos.
Doenças do sistema nervoso: ataxia, tonturas, sonolência, cefaleias, hiperatividade, vertigens.
Afeções oculares: visão turva.
Doenças cardíacas: palpitações.
Doenças gastrointestinais: xerostomia, doenças gastrointestinais.
Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos: diaforese, prurido, rash cutâneo.
Afeções musculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos: dores articulares.
Doenças renais e urinárias: doença urogenital.
Perturbações gerais e alterações no local de administração: fadiga, edema dos pés, fraqueza.
Exames complementares de diagnóstico: diminuição da pressão arterial, parâmetros da função hepática alterados, aumento do peso.
Advertências
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Ver Benzodiazepinas. Evidência fetal em animais, mas a necessidade pode justificar o risco. Trimestre: 1º, 2º e 3º
Aleitamento
Aleitamento
Aleitamento:Ver Benzodiazepinas.
Condução
Condução
Condução:Altera a capacidade de condução.
Precauções Gerais
Antes de iniciar o tratamento com este medicamento informe o médico se:
- sofre de doença renal, doença hepática, glaucoma, doenças neuromusculares como miastenia grave e outros distúrbios neuromusculares degenerativos;
- é ou foi dependente de álcool, de prazepam ou de outras benzodiazepinas;
- este medicamento pode causar dependência, sobretudo quando são administradas doses elevadas durante muito tempo. O tratamento deve ser de curta duração. A necessidade da continuação do tratamento será avaliada pelo médico.
Cuidados com a Dieta
Durante o tratamento, evite tomar bebidas alcoólicas porque causam mais sonolência e tonturas.
Terapêutica Interrompida
Não utilize uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de aplicar.

Não interrompa o medicamento nem modifique a posologia sem falar primeiro com o seu médico. A interrupção brusca do tratamento pode causar reações de privação,
tais como nervosismo, náuseas, vómitos, problemas de sono, sudação, diarreia e dores musculares. Os efeitos secundários mais graves da retirada são convulsões e extrema confusão, que podem ocorrer logo a seguir à interrupção do tratamento ou alguns dias depois.
Cuidados no Armazenamento
Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças.

Não conservar acima de 25°C.
Conservar na embalagem de origem para proteger da luz e da humidade.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Não recomendado/Evitar

Prazepam + Álcool

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: É de evitar a ingestão concomitante de álcool. O efeito sedativo pode estar aumentado quando Prazepam é utilizado em simultâneo com o álcool. Este facto afeta a capacidade de conduzir ou utilizar máquinas. - Álcool
Usar com precaução

Prazepam + Depressores do SNC

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: Com a administração simultânea de Prazepam de outros fármacos com ação sobre o sistema nervoso central, a farmacologia da medicação a administrar deve ser cuidadosamente ponderada. - Depressores do SNC
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Fenotiazidas (fenotiazinas)

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: A ação do prazepam pode ser potenciada por certos compostos, designadamente fenotiazidas, narcóticos, barbitúricos, inibidores da monoamina oxidase ou outros agentes antidepressivos. - Fenotiazidas (fenotiazinas)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Narcóticos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: A ação do prazepam pode ser potenciada por certos compostos, designadamente fenotiazidas, narcóticos, barbitúricos, inibidores da monoamina oxidase ou outros agentes antidepressivos. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neuroléticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, fármacos antidepressivos, analgésicos narcóticos, fármacos antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. No caso dos analgésicos narcóticos, pode ocorrer uma intensificação da euforia, provocando um aumento da dependência psíquica. - Narcóticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Barbitúricos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: A ação do prazepam pode ser potenciada por certos compostos, designadamente fenotiazidas, narcóticos, barbitúricos, inibidores da monoamina oxidase ou outros agentes antidepressivos. - Barbitúricos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: A ação do prazepam pode ser potenciada por certos compostos, designadamente fenotiazidas, narcóticos, barbitúricos, inibidores da monoaminoxidase ou outros agentes antidepressivos. - Inibidores da Monoaminoxidase (IMAO)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Antidepressores

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: A ação do prazepam pode ser potenciada por certos compostos, designadamente fenotiazidas, narcóticos, barbitúricos, inibidores da monoaminoxidase ou outros agentes antidepressivos. Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neuroléticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, fármacos antidepressivos, analgésicos narcóticos, fármacos antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Antidepressores
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Neurolépticos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neuroléticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, fármacos antidepressivos, analgésicos narcóticos, fármacos antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Neurolépticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Hipnóticos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neuroléticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, fármacos antidepressivos, analgésicos narcóticos, fármacos antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Hipnóticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Ansiolíticos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neuroléticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, fármacos antidepressivos, analgésicos narcóticos, fármacos antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Ansiolíticos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Sedativos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neuroléticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, fármacos antidepressivos, analgésicos narcóticos, fármacos antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Sedativos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Antiepilépticos (AEs)

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neuroléticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, fármacos antidepressivos, analgésicos narcóticos, fármacos antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Antiepilépticos (AEs)
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Anestésicos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neuroléticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, fármacos antidepressivos, analgésicos narcóticos, fármacos antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Anestésicos
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Prazepam + Antihistamínicos

Observações: As substâncias que inibem certas enzimas hepáticas (particularmente a citocromo P450) podem intensificar a atividade das benzodiazepinas. Este efeito também se aplica às benzodiazepinas que são metabolizadas apenas por conjugação, ainda que em menor grau. No caso de utilização de Prazepam para tratamento da ansiedade associada a estados somáticos patológicos devem ser especialmente consideradas as possíveis interações medicamentosas com os fármacos concomitantes.
Interações: Pode ocorrer uma intensificação do efeito depressor no caso de uso simultâneo com antipsicóticos (neuroléticos), hipnóticos, ansiolíticos/sedativos, fármacos antidepressivos, analgésicos narcóticos, fármacos antiepiléticos, anestésicos e anti-histamínicos sedativos. - Antihistamínicos
Não recomendado/Evitar

Etcorvinol + Prazepam

Observações: N.D.
Interações: Usando etclorvinol com qualquer um dos seguintes medicamentos normalmente não é recomendada, mas pode não ser necessária em alguns casos. Se ambos os medicamentos são prescritos em conjunto, o médico pode alterar a dose. - Adinazolam - Alfentanil - Alprazolam - Amobarbital - Anileridina - Aprobarbital - Brofaromina - Bromazepam - Brotizolam - Buprenorfina - Butabarbital - Butalbital - Carbinoxamina - Carisoprodol - Clorodiazepóxido - Clorzoxazona - Clobazam - Clonazepam - Clorazepato - Clorgilina - Codeína - Dantroleno - Diazepam - Estazolam - Fentanilo - Flunitrazepam - Flurazepam - Furazolidona - Halazepam - Hidrocodona - Hidromorfona - Iproniazida - Isocarboxazida - Cetazolam - Lazabemida - Levorfanol - Linezolida - lorazepam - lormetazepam - Meclizina - Medazepam - meperidina - mefenesina - meprobamato - metaxalone - metadona - Metocarbamol - Metoexital - Midazolam - Moclobemida - Morfina - Nialamida - Nitrazepam - Nordazepam - Oxazepam - Oxicodona - Oximorfona - Pargilina - Pentobarbital - Fenelzina - Fenobarbital - Prazepam - Primidona - Procarbazina - Propoxifeno - Quazepam - Rasagilina - Remifentanil - Secobarbital - Selegilina - Sufentanil - Suvorexanto - Tapentadol - Temazepam - Tiopental - Toloxatona - Tranilcipromina - Triazolam - Zolpidem - Prazepam
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Prazepam
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, tiver tomado recentemente, ou se vier a tomar outros medicamentos.

Se está grávida, a pensar em engravidar, se suspeita poder estar grávida, ou se está a amamentar, informe-se junto do seu médico dos potenciais riscos para o bebé. Se engravidar durante o tratamento com este medicamento, informe imediatamente o seu médico.

Este medicamento pode causar sonolência, tonturas e visão dupla. Seja prudente quando conduz veículos ou utiliza máquinas perigosas, ou tem atividades que exigem estado de alerta.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020