Óleo de soja + Fosfolípidos + Glicerol

DCI com Advertência na Gravidez DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
Lípidos.

Emulsão branca, leitosa e estéril de óleo de soja em água para injetáveis, indicada para ser administrada por via intravenosa.

O óleo de soja é um produto natural refinado, que consiste numa mistura de triglicéridos neutros essencialmente de ácidos gordos insaturados.
Usos comuns
– Fonte de calorias e ácidos gordos essenciais para pacientes que requeiram nutrição parentérica durante largos períodos de tempo.

– Fonte de ácidos gordos essenciais nos estados de carência.
Tipo
Sem informação.
História
Sem informação.
Indicações
1. Como uma fonte de calorias e ácidos gordos essenciais para pacientes que requeiram uma nutrição parentérica, durante largos períodos de tempo.

2. Como uma fonte de ácidos gordos essenciais, quando ocorre a deficiência.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
É uma emulsão lipídica intravenosa, que a metabolizada e utilizada como fonte de energia pelo organismo, provocando, após a sua administração, um aumento na produção de calor, um decréscimo no quociente respiratório e um aumento no consumo de oxigénio.

Admite-se que as partículas lipídicas infusionadas são removidas da corrente sanguínea de modo semelhante a "clearence" enzimática dos quilomicrons naturais, produzidos após a ingestão de gorduras.

Após a infusão verifica-se um ligeiro aumento nos triglicéridos plasmáticos, que são hidrolizados a ácidos gordos livres e glicerol pela enzima, lipoproteína lipase.

Os ácidos gordos livres podem circular no plasma ligados a albumina ou entrarem nos tecidos, onde são oxidados ou re-utilizados para a produção de triglicéridos e armazenados.

No fígado, os ácidos gordos livres circulantes são oxidados ou convertidos em lipoproteínas de muito baixa densidade que reentram na circulação sanguínea.

O conteúdo em ácido gordo essencial (EFAD) previna as anormalidades bioquímicas da deficiência no organismo deste componente e previne ou corrige as manifestações clínicas do sindroma de EFAD.

Estas manifestações clínicas podem incluir eczema, dermatite descamativa usualmente nas dobras corporais, perda de cabelo ou crescimento fraco, pressão intraocular reduzida, dificuldade na cicatrização de feridas, disfunção hepática, anemia, trombocitopenia e atrasos no crescimento.
Posologia Orientativa
Adultos: A velocidade inicial de infusão, em adultos, deve ser 1,0 ml por minuto, para emulsão 10% e 0,5 ml por minuto para emulsão 20%, durante os primeiros 15 a 30 minutos de infusão.

Se não ocorrerem reações indesejáveis, a velocidade de infusão pode ser aumentada até que 500 ml de emulsão 10% ou 250 ml de emulsão 20% sejam infusionados durante um período de 4-6 horas.

Não mais do que 500 ml de emulsão 10% ou 250 ml de emulsão 20% devem ser administrados no primeiro dia de tratamento.

Se o paciente não manifestar reações indesejáveis, a dose poderá ser aumentada no dia seguinte.

A dose diária normal não deve exceder 2,59 de gordura por kilo de peso corporal.

A emulsão lipídica intravenosa não devera exceder 60% da ingestão calórica total do paciente.

Hidratos de carbono e aminoácidos deverão perfazer os restantes 40% ou mais da ingestão calórica.

Crianças: A velocidade de infusão inicial em pacientes pediátricos deve ser de 0,1 ml por minuto para emulsão 10% e de 0,05 ml por minuto para emulsão 20%, durante os primeiros 10-15 minutos.

Caso não ocorram reações indesejáveis, a velocidade poderá ser aumentada para permitir a infusão de 1 9 de gordura por kilo de peso corporal, em 4 horas.

A dose não devera exceder 4 g de gordura por kilo de peso corporal nas 24 horas.

A emulsão lipídica intravenosa não deve exceder 60% da ingestão calórica total do paciente.

Hidratos de carbono e aminoácidos deverão perfazer os restantes 40% ou mais da ingestão calórica.

Deficiência de ácidos gordos: Quando a emulsão é administrada para corrigir a deficiência em ácidos gordos, 8-10% da ingestão calórica deverão ser fornecidos pela emulsão lipídica de modo a fornecer o ácido Linoleico necessário para corrigir a deficiência.
Administração
Deve ser administrado por infusão intravenosa lenta, como parte de um regime de parental total ou suplementar, através de uma veia periférica ou por cateter venoso central.

Pode ser infusionado na mesma veia que as soluções de hidratos de carbono-aminoacidos, por meio de um dispositivo de ligação em Y, localizado próximo do local de infusão; a velocidade de infusão de cada fluido deve ser controlada separadamente por uma bomba de infusão.
Contraindicações
Alergia (hipersensibilidade) às substâncias ativas.

Esta contraindicado em pacientes com alterações no metabolismo das gorduras, como nos casos de nefrose lipóide, hiperlipidemia patológica e pancreatite aguda se acompanhada de hiperlipemia.

Contém óleo.

Este medicamento não deverá ser administrado a doentes alérgicos à soja ou ao amendoim.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
As raras reações adversas que ocorrem logo após a infusão incluem febre, arrepios, dores de cabeça e outras queixas fracamente definidas tais como náuseas, fadiga e reações de tipo alérgico.

As raras reações adversas prolongadas que têm sido referidas em pacientes recebendo a nutrição parentérica, incluem colestasis, trombocitopenia, ligeiro aumento dos testes da função hepática, contagem de plaquetas alterada e hepatomegalia.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Não administrar durante a gravidez
Precauções Gerais
Pode ser misturado com outras soluções num recipiente único (p.ex. um saco de 3 litros).

Estudos revelaram que as misturas deste medicamento com aminoácidos injetáveis (10% a 70%) são estáveis durante curtos períodos de tempo.

Estas misturas devem seguir fórmulas e técnicas de mistura bem definidas.

Na administração deve ser monitorizada a capacidade, do organismo de cada paciente, para eliminar da circulação sanguínea a gordura infusionada.

A lipemia deve normalizar entre as infusões e as sobredosagens evitadas.

A administração demasiado rápida pode causar sobrecarga gorda e/ou liquida.

Isto pode resultar em diluição das concentrações séricas de eletrólitos, sobrehidratação, edema pulmonar, diminuição da capacidade de difusão pulmonar ou acidose metabólica.

Deve ter-se especial atenção na administração a pacientes com grave disfunção hepática, patologia pulmonar, anemia, transtornos da coagulação sanguínea ou quando exista perigo de embolia gorda.

Durante a tratamento de longo termo devem ser realizados testes da função hepática e nos recém-nascidos, a receberem alimentação parentérica, é necessário proceder-se à contagem de plaquetas.

Os fluidos contendo lipídos tem tendência a extrair ftalatos de certos PVC plastificados.

Embora a quantidade seja muito pequena e não tenham sido referidos efeitos clínicos adversos pela sua administração, é aconselhável considerar o uso de recipientes não-ftalato e jogos de infusão para a administração deste medicamento.

Não usar filtro com este medicamento.
É fornecido em recipientes de dose única, os conteúdos não usados devem ser rejeitados
Antibióticos e outros medicamentos não devem ser adicionados aos frascos de emulsão deste medicamento.
Cuidados com a Dieta
Não aplicável.
Terapêutica Interrompida
Não aplicável.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Conservar a baixo de 25°C e proteger da luz.

Não congelar.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 10 de Março de 2016