Meprobamato

DCI com Advertência na Gravidez DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica)
O que é
O Meprobamato é um carbamato com hipnótico, sedativo, e algumas propriedades relaxantes musculares, embora em doses terapêuticas, a redução da ansiedade, em vez de um efeito direto pode ser responsável pelo relaxamento muscular.

Há relatos de que o Meprobamato tem ações anticonvulsivantes contra as convulsões do petit mal (crises de ausência), mas não contra os ataques de epilepsia (que podem ser exacerbados).

É utilizado no tratamento de transtornos de ansiedade, e também para o tratamento a curto prazo da insónia, mas tem sido em grande medida substituido pelas benzodiazepinas.
Usos comuns
O Meprobamato é usado para aliviar a ansiedade, nervosismo e tensão associada a transtornos de ansiedade.
Tipo
pequena molécula
História
O Meprobamato foi sintetizado pela primeira vez por Bernard John Ludwig, PhD, e Frank Milan Berger, MD, dos Produtos Carter em maio 1950. A Wallace Laboratories, subsidiária da Carter, comprou a licença e nomeou sua sucessora a Miltown em Nova Jersey. Lançado em 1955, rapidamente se tornou a primeira droga psicotrópica de sucesso na história americana, tornando-se popular em Hollywood e ganhando notoriedade pelos seus efeitos aparentemente milagrosos.

Em meados da década de 1940, o Dr. Berger estava a trabalhar no laboratório de uma empresa farmacêutica britânica, na pesquisa de um conservante para a penicilina, quando percebeu que um composto chamado Mefenesina tinha um efeito sedativo em pequenos animais de laboratório (roedores). Posteriormente Berger, referiu-se a este sedativo ou efeito de " tranquilizante ", num artigo agora - histórico, publicado pelo British Journal of Pharmacology, em 1946.

Em 1955, num estudo em 101 pacientes realizado num Hospital em Whitfield, Mississippi, descobriu que o meprobamato era útil no alívio dos " sintomas mentais. " Três por cento dos pacientes teve uma recuperação completa, 29 % foram significativamente melhoradas, e 50 % ficaram um pouco melhor. Em dezoito por cento perceberam-se poucas mudanças. Pacientes auto-destrutivos tornaram-se cooperantes e mais calmos, e experimentaram uma retoma do pensamento lógico. Em 50 % dos casos de relaxamento provocou hábitos de sono mais saudáveis. Tratamentos de hidroterapia e todos os tipos de tratamento de choque foram interrompidos. Descobiu-se também, em 1956, que o Meprobamato ajudava no tratamento de alcoólatras.

Em Abril de 1965, o Meprobamato foi removido da lista de tranquilizantes, quando os peritos determinaram que, em seu lugar, a droga passava a ser usada como sedativo. A Farmacopéia dos EUA publicou a decisão. Ao mesmo tempo a Medicai Letter divulgava que o Meprobamato poderia ser viciante em níveis de dosagem não muito acima do recomendado. Em dezembro de 1967, o Meprobamato foi colocado sob controle na lista de alterações de abuso da Lei de Alimentos, Medicamentos e Cosméticos.

A produção continuou por toda a década de 1960, mas em 1970 foi listado como substância controlada depois de se ter descoberto que causava dependência física e psicológica.
Em 19 de janeiro de 2012, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), recomendou a suspensão em toda a União Europeia de todos os medicamentos contendo meprobamato, "devido a efeitos secundários graves observados com o medicamento".
Indicações
o Meprobamato está indicado para o tratamento das perturbações de ansiedade ou para o alívio a curto prazo dos sintomas de ansiedade.
Classificação CFT
n.d.     n.d.
Mecanismo De Ação
Mecanismo de ação do Meprobamato não é conhecido.

Demonstrou-se em estudos com animais, ter efeitos em vários locais no sistema nervoso central, incluindo no tálamo e no sistema límbico.

O Meprobamato liga-se aos receptores GABAA, que interrompem a comunicação neuronal na formação reticular e medula espinal, causando sedação e percepção alterada da dor.
Posologia Orientativa
Adultos
Posologia: 1,2 a 1,6 g / dia, em 3 a 4 doses divididas (max, 2,4 g / dia).

Crianças de 6 a 12 anos de idade
Posologia: 100 a 200 mg de 2 a 3 vezes por dia.
Administração
Sem Informação.
Contraindicações
Não use Meprobamato se:
– é alérgico a qualquer ingrediente em meprobamato ou a medicamentos semelhantes (por exemplo, carbromal, carisoprodol, mebutamato, tibamato)
– tem a porfíria doença sanguínea
– Estiver a tomar oxibato de sódio (GHB).

Contacte o seu Médico ou Profissional de Saúde imediatamente se algum destes se aplicar a si.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Se sentir algum dos seguintes efeitos secundários graves, pare de tomar Meprobamato e procurar atendimento médico de emergência:
– Uma reação alérgica (dificuldade em respirar, bloqueio da garganta, inchaço dos lábios, cara, ou língua, ou urticária);
– Batimentos cardíacos rápidos ou irregulares;
– Comportamento anormal;
– Febre;
– Erupções cutâneas, ou
– Dor de garganta.

Outros efeitos colaterais menos graves podem ser mais prováveis ​​de ocorrer. Continue a tomar Meprobamato e fale com o seu Médico se sentir
– Sonolência ou vertigens,
– Dor de cabeça,
– Fraqueza,
– Vómitos ou diarreia, ou
– Dormência ou formigueiro.
Outros Efeitos Secundários não os listados aqui, também podem ocorrer. Fale com o seu Médico sobre qualquer efeito colateral que pareça invulgar ou que seja demasiadamente incómodo.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: D - Há evidências de risco em fetos humanos. Só usar se o benefício justificar o risco potencial. Em situação de risco de vida ou em caso de doenças graves para as quais não se possa utilizar drogas mais seguras, ou se estas drogas não forem eficazes.
Precauções Gerais
Se vai tomar Meprobamato regularmente por muito tempo, o seu Médico deve verificar o seu progresso em visitas regulares. Fale com ele pelo menos a cada quatro meses para se certificar de que precisa continuar a tomar Meprobamato.

Se vai tomar Meprobamato em grandes doses ou por muito tempo, não pare de o tomar sem primeiro consultar o seu Médico. Ele pode querer reduzir gradualmente a quantidade que está a tomar antes de parar completamente.

Meprobamato irá adicionar aos efeitos do álcool e outros depressores do SNC (medicamentos que retardam o sistema nervoso, podendo causar sonolência). Alguns exemplos de depressores do SNC são os anti-histamínicos ou medicamentos para a febre dos fenos, outras alergias ou constipações, sedativos, tranquilizantes, ou medicamentos para dormir; analgésicos prescritos ou narcóticos; barbitúricos; medicamentos ansioliíticos; relaxantes musculares; ou anestésicos, incluindo alguns anestésicos dentários.

Fale com seu Médico antes de tomar qualquer um dos atrás mencionados enquanto estiver a tomar Meprobamato. Antes de efetuar quaisquer exames Médicos, informar o Médico responsável que está a tomar Meprobamato. Os resultados de alguns ensaios, tais como o teste de metirapona e o teste de fentolamina, pode ser afectado pelo Meprobamato.

Se acha que pode ter ingerido uma overdose de Meprobamato, obter ajuda de emergência imediatamente. A toma de uma overdose de Meprobamato, álcool ou outros depressores do SNC com Meprobamato pode levar à inconsciência e possivelmente à morte.

Alguns sintomas de uma overdose são confusão grave, sonolência ou fraqueza, falta de ar ou respiração lenta e com perturbações; fala arrastada, cambaleando, e batimento cardíaco lento. O Meprobamato pode levar algumas pessoas a ficarem tontas, sonolentas ou menos alerta do que habitualmente.

Mesmo quando tomado ao deitar, pode levar algumas pessoas a sentir-se sonolentas ou menos alerta. Certifique-se de que sabe como reagir aos efeitos da Meprobamato antes de conduzir, utilizar máquinas, ou execiutar tarefas que poderiam ser perigosas se ficar tonto ou menos alerta.

O Meprobamato pode causar secura da boca. Para alívio temporário, o uso de doces sem açúcar ou pastilhas, derreter pedaços de gelo na boca, ou usar um substituto da saliva. No entanto, se continuar com a boca seca, durante mais de 2 semanas, consulte o seu Médico ou dentista.

A secura de boca continuada pode aumentar a probabilidade de ocorrerem doenças dentárias, incluindo a cárie dentária, doença periodontal, e infeções por fungos.
Cuidados com a Dieta
Tome, independentemente das refeições e evite o álcool.
Terapêutica Interrompida
Tome a dose assim que se lembrar. No entanto, se estiver quase na hora da sua próxima dose, salte a dose que perdeu e tome apenas a dose regularmente programada seguinte. Não tome uma dose dupla dessa medicação. A dose dupla pode ser muito perigosa.
Cuidados no Armazenamento
Guarde em local seco e fresco.
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Naltrexona + Meprobamato

Observações: N.D.
Interações: Associações a ter em consideração: Barbitúricos, benzodiazepinas, ansiolíticos que não benzodiazepinas (i.e. meprobamato), hipnóticos, antidepressivos sedativos (amitriptilina, doxepina, mianserina, trimipramina), antihistamínicos H1 sedativos, neurolépticos (droperidol).

Etcorvinol + Meprobamato

Observações: N.D.
Interações: Usando etclorvinol com qualquer um dos seguintes medicamentos normalmente não é recomendada, mas pode não ser necessária em alguns casos. Se ambos os medicamentos são prescritos em conjunto, o médico pode alterar a dose. - Adinazolam - Alfentanil - Alprazolam - Amobarbital - Anileridina - Aprobarbital - Brofaromina - Bromazepam - Brotizolam - Buprenorfina - Butabarbital - Butalbital - Carbinoxamina - Carisoprodol - Clorodiazepóxido - Clorzoxazona - Clobazam - Clonazepam - Clorazepato - Clorgilina - Codeína - Dantroleno - Diazepam - Estazolam - Fentanilo - Flunitrazepam - Flurazepam - Furazolidona - Halazepam - Hidrocodona - Hidromorfona - Iproniazida - Isocarboxazida - Cetazolam - Lazabemida - Levorfanol - Linezolida - lorazepam - lormetazepam - Meclizina - Medazepam - meperidina - mefenesina - meprobamato - metaxalone - metadona - Metocarbamol - Metoexital - Midazolam - Moclobemida - Morfina - Nialamida - Nitrazepam - Nordazepam - Oxazepam - Oxicodona - Oximorfona - Pargilina - Pentobarbital - Fenelzina - Fenobarbital - Prazepam - Primidona - Procarbazina - Propoxifeno - Quazepam - Rasagilina - Remifentanil - Secobarbital - Selegilina - Sufentanil - Suvorexanto - Tapentadol - Temazepam - Tiopental - Toloxatona - Tranilcipromina - Triazolam - Zolpidem

Morfina + Meprobamato

Observações: N.D.
Interações: Deve ter-se em atenção o facto de vários medicamentos e substâncias poderem adicionar os seus efeitos depressores do sistema nervoso central e contribuírem para a diminuição da vigília. Tratam-se dos derivados da morfina (analgésicos, antitússicos e tratamentos de substituição), neurolépticos, barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos além das benzodiazepinas (por exemplo meprobamato), hipnóticos, antidepressores sedativos (amitriptilina, doxepina, mianserina, Mirtazapina, trimipramina), anti-histamínicos H1 sedativos, antihipertensores centrais, baclofeno e talidomida.

Paracetamol + Feniramina + Ácido ascórbico + Meprobamato

Observações: N.D.
Interações: Associações em que devem ser tomadas precauções: Outros medicamentos sedativos (devido à presença de feniramina): derivados da morfina (analgésicos, antitússicos e tratamentos de substituição, neurolépticos, barbitúricos, benzodiazepinas, outros ansiolíticos que não as benzodiazepinas (por exemplo meprobamato), hipnóticos, sedativos antidepressivos (amitriptilina, doxepina, mianserina, mirtazapina, trimipramina, anti-histamínicos sedativos H1, anti-hipertensivos de ação central, talidomida e baclofeno. Pode aumentar uma depressão central. A diminuição da vigilância pode tornar perigosas a condução de veículos e utilização de máquinas.
Tome Meprobamato exatamente como indicado pelo seu Médico. Se não entender estas instruções, peça ao seu Farmacêutico, Enfermeiro ou Médico para lhe explicar.

Tome cada dose com um copo cheio de água. Não esmague, mastigar, ou abra qualquer um dos comprimidos ou cápsulas. Engula-los inteiros.

Não tome mais do que este medicamento prescrito para si. Não pare de tomar Meprobamato de repente, se tiver sido tomado durante várias semanas. Parando de repente pode causar sintomas de abstinência e fazer-se sentir desconfortável. Converse com seu Médico se precisar de parar o tratamento com Meprobamato.
Guarde o Meprobamato à temperatura ambiente longe da humidade e calor.
Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017