Liraglutido

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução DCI/Medicamento Sujeito a Receita Médica (a ausência deste simbolo pressupõe Medicamento Não Sujeito a Receita Médica) DCI/Medicamento sujeito a Monitorização Adicional
O que é
Antidiabético.
A substância liraglutido ajuda o seu corpo a reduzir o nível de açúcar no sangue apenas quando este nível é demasiado elevado.
Também abranda a passagem dos alimentos através do estômago
Usos comuns
É utilizado com outros medicamentos para a diabetes, quando os mesmos não são suficientes para controlar os seus níveis de açúcar no sangue. Estes podem incluir:
– antidiabéticos orais (tais como medicamentos com metformina, pioglitazona, sulfonilureia) e/ou uma insulina basal, um tipo de insulina que tem uma ação ao longo do dia
Tipo
biotecnologia
História
Sem informação.
Indicações
É indicado no tratamento de adultos com diabetes mellitus tipo 2 para alcançar o controlo glicémico em combinação com medicamentos orais para a redução da glicose sanguínea e/ou insulina basal, quando estes, em conjunto com a dieta e o exercício, não proporcionam um controlo glicémico adequado
Classificação CFT
08.04.02     Antidiabéticos orais
Mecanismo De Ação
O liraglutido é um análogo do GLP-1 com uma sequência 97% semelhante à do GLP-1 humano, que liga e ativa o recetor de GLP-1.
O recetor de GLP-1 é o alvo para GLP-1 nativo, uma hormona incretina endógena que potencia a secreção de insulina dependente de glicose a partir das células beta pancreáticas.
Ao contrário do que acontece com o GLP-1 nativo, o liraglutido apresenta um perfil farmacocinético e farmacodinâmico em seres humanos adequado a uma administração diária.
Após a administração subcutânea, o perfil de ação prolongada baseia-se em três mecanismos:
autoassociação, que resulta numa absorção lenta; ligação à albumina e maior estabilidade enzimática relativamente às enzimas dipeptidil peptidase-4 (DPP-4) e endopeptidase neutra (NEP), resultando numa longa semivida plasmática.
A ação do liraglutido é mediada por uma interação específica com recetores do GLP-1, conduzindo a um aumento da adenosina monofosfato cíclica (cAMP).
O liraglutido estimula a secreção da insulina de uma forma dependente da glicose.
Simultaneamente, o liraglutido diminui a secreção elevada inadequada de glucagom, também de uma forma dependente da glicose.
Deste modo, quando a glicose sanguínea é elevada, a secreção de insulina é estimulada e a secreção de glucagom inibida.
Inversamente, durante uma hipoglicemia o liraglutido diminui a secreção de insulina e não inviabiliza a secreção de glucagom.
O mecanismo de redução da glicose sanguínea também envolve um ligeiro atraso doesvaziamento gástrico.
O liraglutido reduz o peso corporal e a massa da gordura corporal através de mecanismos que envolvem a redução da sensação de fome e a diminuição da necessidade de aporte de energia.
Posologia Orientativa
A dose inicial é de 0,6 mg de liraglutido por dia.
Após, pelo menos, uma semana, a dose deve ser aumentada para 1,2 mg.
Administração
É administrado uma vez por dia em qualquer altura, independentemente das refeições, e pode ser injetado por via subcutânea no abdómen, na coxa ou no braço.
Contraindicações
Hipersensibilidade ao Liraglutido
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Efeitos secundários graves
Frequentes: podem afetar até 1 em 10 pessoas
• Hipoglicemia (nível baixo de açúcar no sangue). Os sinais de aviso de um nível baixo de açúcar no sangue podem surgir subitamente e podem incluir: suores frios, pele pálida e fria, dor de cabeça, batimento rápido do coração, sensação de má disposição, sensação de muita fome, alterações na visão, sonolência (sentir sono), sensação de fraqueza, nervosismo, ansiedade, sensação de desorientação, dificuldade de concentração, tremores. O seu médico irá informá-lo sobre como tratar o nível baixo de açúcar no sangue e o que deve fazer quando sentir estes sinais de aviso.
Esta situação é mais provável de acontecer se também estiver a tomar uma sulfonilureia ou uma insulina basal. O seu médico poderá reduzir a dose destes medicamentos antes de começar a utilizar este medicamento.

Raros: podem afetar até 1 em 1.000 pessoas
• Uma reação alérgica grave (reação anafilática) com sintomas adicionais, tais como problemas respiratórios, inchaço da garganta e da cara, batimento rápido do coração, etc. Se sentir estes sintomas, deve procurar ajuda médica imediatamente e informar o seu médico o mais rapidamente possível.
• Obstrução intestinal. Uma forma grave de prisão de ventre com sintomas adicionais, tais como dor de estômago, barriga inchada, vómitos, etc.

Muito raros: podem afetar até 1 em 10.000 pessoas
• Casos de inflamação do pâncreas (pancreatite). A pancreatite pode ser uma situação médica grave, potencialmente ameaçadora para a vida.

Pare de tomar este medicamento e contacte imediatamente um médico, caso sinta algum dos seguintes efeitos secundários graves:
Dor grave e persistente no abdomen (zona do estômago), que possa alastrar até às costas, bem como náuseas e vómitos, uma vez que esta situação pode ser sinal de um pâncreas inflamado (pancreatite).

Outros efeitos secundários
Muito frequentes: podem afetar mais de 1 em 10 pessoas
• Náuseas (sensação de má disposição).
Este sintoma normalmente desaparece com o tempo
• Diarreia:
Este sintoma normalmente desaparece com o tempo.
Frequentes
• Vómitos.
A o iniciar o tratamento com este medicamento pode, em alguns casos, sofrer perda de fluidos/desidratação, por exemplo em caso de vómitos, náuseas e diarreia. É importante evitar a desidratação bebendo bastantes líquidos.
• Dor de cabeça
• Indigestão
• Estômago inflamado (gastrite).
Os sinais incluem dor de estômago, náuseas e vómitos.
• Refluxo gastroesofágico (RGE).
Os sinais incluem azia.
• Barriga (abdómen) dorida ou inchada
• Desconforto abdominal
• Prisão de ventre
• Gases (flatulência)
• Diminuição do apetite
• Bronquite
• Constipação
• Tonturas
• Aumento da pulsação
• Cansaço
• Dor de dentes
• Reações no local da injeção (tais como nódoa negra, dor, irritação, comichão e erupção na pele)
Pouco frequentes: podem afetar até 1 em 100 pessoas
• Reações alérgicas, tais como prurido (comichão) e urticária (um tipo de erupção na pele)
• Desidratação, por vezes com uma diminuição da função dos rins
• Mal-estar (sensação de indisposição).
Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento:Não deve ser utilizado durante a amamentação.
Conducao
Conducao:Os doentes devem ser aconselhados a tomar precauções para evitar a ocorrência de hipoglicemias enquanto conduzem, em especial quando este medicamento é utilizado em combinação com uma sulfonilureia ou uma insulina basal.
Precauções Gerais
O liraglutido não deve ser utilizado em doentes com diabetes mellitus tipo 1 ou no tratamento da cetoacidose diabética.
O liraglutido não é um substituto da insulina.
Existe uma experiência limitada em doentes com insuficiência cardíaca congestiva New York Heart Association (NYHA) classe I-II, pelo que o liraglutido deve ser utilizado com precaução.
Não existe experiência em doentes com insuficiência cardíaca congestiva NYHA classe III-IV, pelo que a utilização de liraglutido não é recomendada nestes doentes.
Existe uma experiência limitada em doentes com doença inflamatória do intestino e gastroparesia diabética. A utilização de liraglutido não é recomendada nestes doentes, uma vez que está associada a reações adversas gastrointestinais passageiras, incluindo náuseas, vómitos e diarreia.
Pancreatite aguda
A utilização de agonistas dos recetores GLP-1 foi associada a risco de desenvolvimento de pancreatite aguda.
Foram notificadas poucas ocorrências de pancreatite aguda.
Os doentes devem ser informados sobre os sintomas característicos da pancreatite aguda.
Se houver suspeita de pancreatite, deverá ser interrompida a administração deste medicamento;
se se confirmar o diagnóstico de pancreatite aguda, o tratamento com este medicamento não deve ser reiniciado.
Deve haver precaução em doentes com história de pancreatite.
Doenças da tiroide
Foram comunicados acontecimentos adversos, incluindo calcitonina no sangue, bócio e neoplasia da tiroide, em ensaios clínicos, especialmente em doentes com doença pré-existente da tiroide, pelo que o liraglutido deve ser utilizado com precaução.
Hipoglicemia
Os doentes a receber liraglutido em combinação com uma sulfonilureia ou uma insulina basal poderão ter um risco acrescido de hipoglicemia.
O risco de hipoglicemia pode ser diminuído com uma redução da dose de sulfonilureia ou de insulina basal.
Desidratação
Foram comunicados sinais e sintomas de desidratação, incluindo compromisso renal e insuficiência renal aguda, em doentes tratados com liraglutido.
Os doentes tratados com liraglutido devem ser avisados do potencial risco de desidratação relacionado com efeitos secundários gastrointestinais e a tomarem precauções de modo a evitar a depleção de fluidos.
Cuidados com a Dieta
Não interfere com alimentos e bebidas.
Terapêutica Interrompida
Caso se tenha esquecido de tomar uma dose, utilize este medicamento assim que se lembrar.
Contudo, se tiverem passado mais de 12 horas desde a hora em que deveria ter utilizado, ignore a dose não administrada.
Tome a próxima dose como é normal no dia seguinte.
Não tome uma dose adicional nem aumente a dose no dia seguinte para compensar a dose que se esqueceu de tomar.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Conservar no frigorífico (2°C -8°C).
Não congelar.
Armazenar afastado do congelador.
Após a primeira utilização:
Conservar a uma temperatura inferior a 30ºC ou conservar no frigorífico (2°C -8°C).
Não congelar.
Manter a tampa da caneta colocada para proteger da luz.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Doravirina + Lamivudina + Tenofovir + Liraglutido

Observações: Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: Antidiabéticos Canagliflozina, liraglutida, sitagliptina: Não é necessário ajuste posológico.

Liraglutido + Anticoagulantes orais (Derivados da Cumarina)

Observações: In vitro, liraglutido apresentou um potencial muito reduzido para envolvimento em interações farmacocinéticas com outras substâncias ativas relacionadas com o citocromo P450 e a ligação às proteínas plasmáticas. O pequeno atraso do esvaziamento gástrico com liraglutido poderá influenciar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Os estudos de interação não mostraram qualquer atraso clinicamente relevante da absorção, pelo que não é necessário o ajuste da dose. Alguns doentes tratados com liraglutido comunicaram pelo menos um episódio de diarreia aguda. A diarreia pode afetar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral.
Interações: Varfarina e outros derivados da cumarina: Não foi realizado qualquer estudo de interação. Não é de excluir uma interação clinicamente relevante com substâncias ativas com baixa solubilidade ou com um índice terapêutico estreito como, por exemplo, a varfarina. Após o início do tratamento com liraglutido em doentes a tomarem varfarina ou outros derivados da cumarina, é recomendada a monitorização mais frequente da RNI (Razão Normalizada Internacional).

Liraglutido + Varfarina

Observações: In vitro, liraglutido apresentou um potencial muito reduzido para envolvimento em interações farmacocinéticas com outras substâncias ativas relacionadas com o citocromo P450 e a ligação às proteínas plasmáticas. O pequeno atraso do esvaziamento gástrico com liraglutido poderá influenciar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Os estudos de interação não mostraram qualquer atraso clinicamente relevante da absorção, pelo que não é necessário o ajuste da dose. Alguns doentes tratados com liraglutido comunicaram pelo menos um episódio de diarreia aguda. A diarreia pode afetar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral.
Interações: Varfarina e outros derivados da cumarina: Não foi realizado qualquer estudo de interação. Não é de excluir uma interação clinicamente relevante com substâncias ativas com baixa solubilidade ou com um índice terapêutico estreito como, por exemplo, a varfarina. Após o início do tratamento com liraglutido em doentes a tomarem varfarina ou outros derivados da cumarina, é recomendada a monitorização mais frequente da RNI (Razão Normalizada Internacional).

Liraglutido + Paracetamol

Observações: In vitro, liraglutido apresentou um potencial muito reduzido para envolvimento em interações farmacocinéticas com outras substâncias ativas relacionadas com o citocromo P450 e a ligação às proteínas plasmáticas. O pequeno atraso do esvaziamento gástrico com liraglutido poderá influenciar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Os estudos de interação não mostraram qualquer atraso clinicamente relevante da absorção, pelo que não é necessário o ajuste da dose. Alguns doentes tratados com liraglutido comunicaram pelo menos um episódio de diarreia aguda. A diarreia pode afetar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral.
Interações: O liraglutido não alterou a exposição geral do paracetamol na sequência de uma dose única de 1000 mg. A Cmax do paracetamol foi reduzida em 31% e o tmax médio foi atrasado até 15 min. Não é necessário um ajuste da dose para a utilização concomitante do paracetamol.

Liraglutido + Atorvastatina

Observações: In vitro, liraglutido apresentou um potencial muito reduzido para envolvimento em interações farmacocinéticas com outras substâncias ativas relacionadas com o citocromo P450 e a ligação às proteínas plasmáticas. O pequeno atraso do esvaziamento gástrico com liraglutido poderá influenciar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Os estudos de interação não mostraram qualquer atraso clinicamente relevante da absorção, pelo que não é necessário o ajuste da dose. Alguns doentes tratados com liraglutido comunicaram pelo menos um episódio de diarreia aguda. A diarreia pode afetar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral.
Interações: O liraglutido não alterou a exposição geral de atorvastatina para um grau clinicamente relevante na sequência da administração de uma dose única de atorvastatina 40 mg. Deste modo, não é necessário qualquer ajuste da dose quando é administrada com liraglutido. A Cmax da atorvastatina foi reduzida em 38% e o tmax médio foi atrasado de 1 h para 3 h com liraglutido.

Liraglutido + Griseofulvina

Observações: In vitro, liraglutido apresentou um potencial muito reduzido para envolvimento em interações farmacocinéticas com outras substâncias ativas relacionadas com o citocromo P450 e a ligação às proteínas plasmáticas. O pequeno atraso do esvaziamento gástrico com liraglutido poderá influenciar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Os estudos de interação não mostraram qualquer atraso clinicamente relevante da absorção, pelo que não é necessário o ajuste da dose. Alguns doentes tratados com liraglutido comunicaram pelo menos um episódio de diarreia aguda. A diarreia pode afetar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral.
Interações: O liraglutido não alterou a exposição geral de griseofulvina na sequência da administração de uma dose única de griseofulvina 500 mg. A Cmax de griseofulvina foi aumentada em 37% enquanto o tmax médio não foi alterado. Não são necessários ajustes de dose de griseofulvina e outros componentes com baixa solubilidade e alta permeabilidade.

Liraglutido + Digoxina

Observações: In vitro, liraglutido apresentou um potencial muito reduzido para envolvimento em interações farmacocinéticas com outras substâncias ativas relacionadas com o citocromo P450 e a ligação às proteínas plasmáticas. O pequeno atraso do esvaziamento gástrico com liraglutido poderá influenciar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Os estudos de interação não mostraram qualquer atraso clinicamente relevante da absorção, pelo que não é necessário o ajuste da dose. Alguns doentes tratados com liraglutido comunicaram pelo menos um episódio de diarreia aguda. A diarreia pode afetar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral.
Interações: A administração de uma dose única de 1 mg de digoxina com liraglutido resultou numa redução da AUC da digoxina de 16%; a Cmax diminuiu em 31%. O tmax médio da digoxina foi atrasado de 1 h para 1,5 h. Com base nestes resultados, não é necessário qualquer ajuste da dose de digoxina.

Liraglutido + Lisinopril

Observações: In vitro, liraglutido apresentou um potencial muito reduzido para envolvimento em interações farmacocinéticas com outras substâncias ativas relacionadas com o citocromo P450 e a ligação às proteínas plasmáticas. O pequeno atraso do esvaziamento gástrico com liraglutido poderá influenciar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Os estudos de interação não mostraram qualquer atraso clinicamente relevante da absorção, pelo que não é necessário o ajuste da dose. Alguns doentes tratados com liraglutido comunicaram pelo menos um episódio de diarreia aguda. A diarreia pode afetar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral.
Interações: A administração de uma dose única de 20 mg de lisinopril com liraglutido resultou numa redução da AUC de lisinopril de 15%; a Cmax diminuiu em 27%. O tmax médio do lisinopril foi atrasado de 6 h para 8 h com liraglutido. Com base nestes resultados, não é necessário qualquer ajuste da dose de lisinopril.

Liraglutido + Contracetivos orais

Observações: In vitro, liraglutido apresentou um potencial muito reduzido para envolvimento em interações farmacocinéticas com outras substâncias ativas relacionadas com o citocromo P450 e a ligação às proteínas plasmáticas. O pequeno atraso do esvaziamento gástrico com liraglutido poderá influenciar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Os estudos de interação não mostraram qualquer atraso clinicamente relevante da absorção, pelo que não é necessário o ajuste da dose. Alguns doentes tratados com liraglutido comunicaram pelo menos um episódio de diarreia aguda. A diarreia pode afetar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral.
Interações: Contracetivos orais: O liraglutido reduziu a Cmax de etiniloestradiol e levonorgestrel em 12 e 13%, respetivamente, após a administração de uma dose única de um contracetivo oral. O tmax foi atrasado em 1,5 h com liraglutido para ambos os componentes. Não se observou um efeito clinicamente relevante na exposição geral do Etinilestradiol ou do levonorgestrel. O efeito contracetivo não é assim afetado quando co-administrados com o liraglutido.

Liraglutido + Insulina detemir

Observações: In vitro, liraglutido apresentou um potencial muito reduzido para envolvimento em interações farmacocinéticas com outras substâncias ativas relacionadas com o citocromo P450 e a ligação às proteínas plasmáticas. O pequeno atraso do esvaziamento gástrico com liraglutido poderá influenciar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Os estudos de interação não mostraram qualquer atraso clinicamente relevante da absorção, pelo que não é necessário o ajuste da dose. Alguns doentes tratados com liraglutido comunicaram pelo menos um episódio de diarreia aguda. A diarreia pode afetar a absorção de medicamentos administrados concomitantemente por via oral.
Interações: Não se observaram quaisquer interações farmacocinéticas ou farmacodinâmicas entre o liraglutido e a insulina detemir, aquando da administração de uma dose única de 0,5 U/kg de insulina detemir com 1,8 mg de liraglutido a doentes no estado estacionário com diabetes tipo 2.
 Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Pasireotido + Liraglutido

Observações: n.d.
Interações: Interações farmacodinâmicas previstas: Insulina e medicamentos antidiabéticos: Podem ser necessários ajustes da dose (diminuição ou aumento) de insulina e medicamentos antidiabéticos (por exemplo, metformina, liraglutido, vildagliptina, nateglinida ) quando administrados concomitantemente com pasireotido.

Furazolidona + Liraglutido

Observações: N.D.
Interações: O uso de furazolidona com qualquer um dos seguintes medicamentos pode causar um aumento do risco de alguns efeitos secundários. - Acarbose - Albiglutido - Alogliptina - Bromocriptina - Canagliflozina - Clorpropamida - Dapagliflozina - Dulaglutido - Empagliflozina - Exenatido - Ginseng - Glimepirida - Glipizida - Gliburida - Insulina - Insulina Aspart, Recombinante - Insulina Bovina - Insulina Degludec - Insulina Detemir - Insulina Glulisine - Insulina Lispro, Recombinante - Linagliptina - Liraglutido - Lixisenatido - Metformina - Miglitol - Nateglinida - Pioglitazona - Pramlintida - Repaglinida - Rosiglitazona - Saxagliptina - Sitagliptina - Tolazamida - Tolbutamida - Vildagliptina
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

O liraglutido não deve ser utilizado durante a gravidez, sendo recomendada, em alternativa, a utilização de insulina.
Se uma doente pretender ficar grávida, ou se ocorrer uma gravidez, o tratamento com este medicamento deverá ser interrompido.

Não deve ser utilizado durante a amamentação.

Os doentes devem ser aconselhados a tomar precauções para evitar a ocorrência de hipoglicemias enquanto conduzem e utilizam máquinas, em especial quando este medicamento é utilizado em combinação com uma sulfonilureia ou uma insulina basal.

Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 11 de Outubro de 2017