Interferão alfa-2a

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência na Insuficiência Renal
O que é
Interferão alfa-2a (porção de proteína leucocitária humana reduzida).

Interferão de tipo I que consiste em 165 resíduos de aminoácidos com a lisina na posição 23.

Esta proteína é produzida por tecnologia de ADN recombinante, e assemelha-se ao interferão segregado pelos leucócitos.

É amplamente utilizado como agente antiviral ou antineoplásico.

Uma forma oral está a ser desenvolvida atualmente pela empresa Amarillo Biosciences.
Usos comuns
Interferão alfa-2a é usado para tratar a hepatite C crónica e alguns tipos de leucemia (como leucemia de células pilosas e cromossoma Philadelphia positivo da leucemia mieloide crónica - CML).

Os interferões são substâncias produzidas naturalmente pelas células do organismo para ajudar a combater infeções e tumores.

Interferão alfa-2a é uma versão sintética destas substâncias.

Interferão alfa-2a está disponível apenas sob prescrição médica.

Este produto foi retirado do mercado dos EUA pela Roche em 1 de outubro de 2007; esta ação ficou a derver-se a preocupações de segurança ou de eficácia.
Tipo
biotecnologia
História
Sem informação.
Indicações
Efeito antitumoral em determinados tipos de linfomas e de tumores sólidos.

Hepatite B em doentes com infeção crónica.
Classificação CFT

16.03 : IMUNOMODULADORES

Mecanismo De Ação
O Interferão alfa-2a liga-se aos recetores de interferão tipo I (IFNAR1 e IFNAR2c) que, após a dimerização, ativam dois Jak (Janus quinase) tirosina quinases (JAK1 e Tyk2).

Estes se transfosforilasam e fosforilam os recetores. Os recetores INFAR fosforilados em seguida, unem-se a Stat1 e Stat2 (transdutores de sinais e ativadores de transcrição) que dimerizam e ativam múltiplos (~ 100) imunomoduladores e proteínas antivirais.

O Interferão alfa liga-se de forma menos estável aos recetores do interferão tipo I do que ao interferão beta.
Posologia Orientativa
Dose adulta usual para Hepatite Crónica C:
3 milhões de unidades int por via subcutânea ou intramuscular, três vezes por semana, durante 48 a 52 semanas (12 meses).

Alternativamente de 6 milhões de unidades int três vezes por semana durante as primeiras 12 semanas (3 meses), seguido de 3 milhões de unidades int três vezes por semana durante 36 semanas ( 9 meses).

Dose adulta usual para a leucemia mieloide crónica:
9 milhões de unidades int diariamente por via subcutânea ou intramuscular.

Dose adulta usual para leucemia de células pilosas:
Dose de indução: 3 milhões de unidades intl diariamente por via subcutânea ou intramuscular por 16 a 24 semanas.

Dose de manutenção: 3 milhões de unidades int três vezes por semana para até 24 meses consecutivos.

Dose adulta usual para o Sarcoma de Kaposi:
Dose de indução: 36 milhões de unidades int diária subcutânea ou IM por 10 a 12 semanas.

Dose de manutenção: 36 milhões de unidades int três vezes por semana.

Dose adulta usual para o linfoma:
Estudo (n = 5) – Linfomatoide Papulosis
3-15000000 unidades int três vezes por semana por via subcutânea para até 13 meses.

Dose adulta usual para carcinoma de células renais:
Estudo (n = 75) metastático Carcinoma Renal de Células
subcutânea três vezes por semana, 4,5 milhões de unidades tituladas para cima, para 18 milhões de unidades, conforme tolerado, durante as primeiras 4 semanas (aumentos semanais dose).

A dose de manutenção, com base na tolerabilidade dos efeitos colaterais, foi continuada durante 3 semanas (de um ciclo de 4 semanas), com menos de 2 anos se o Paciente responde ou tem doença estável.

Usual Dose pediátrica para a leucemia mieloide crónica:
Estudo (n = 15)
2,5-5000000 int unidades/m2/dia IM
Estudo (n = 12) cromossomo Philadelphia positivo CML
5 milhões de intl unidades/m2/dia por via subcutânea (combinada com citarabina 20 mg/m2/dia por 10 dias mensais).
Administração
Via endovenosa: Não; Via intramuscular: Sim; Via subcutânea: Sim.
Contraindicações
Evitar utilização durante a gravidez e aleitamento. Reduzir posologia na IR.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Sintomas do tipo gripal (febre, cefaleias, mialgia, fadiga). Confusão mental, nervosismo.
Advertências
Insuf. Renal
Insuf. Renal
Insuf. Renal:Monitorizar cuidadosamente na IR ligeira e moderada; evitar na IR grave.
Gravidez
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Precauções Gerais
É muito importante que o médico verifique o progresso em visitas regulares para se certificar de que o interferão alfa - 2a está funcionando corretamente.

Podem ser necessários exames de sangue para verificar se há efeitos indesejáveis.

O Interferão alfa-2a contém álcool benzílico que pode causar reações graves para recém-nascidos ou prematuros.

Discuta com o médico se estiver em causa. Interferão alfa-2a pode levar algumas pessoas a ser agitado, irritado, ou apresentar outros comportamentos anormais.

Também pode levar algumas pessoas a ter pensamentos e tendências suicidas ou a entrar em depressão.

Se perceber algum destes efeitos secundários, informe o médico imediatamente.
Reações alérgicas graves podem ocorrer com o interferão alfa-2a.

Verifique com o médico imediatamente se tem bolhas, descamação ou afrouxamento da pele, febre ou calafrios; urticária ou equimoses, lesões avermelhadas na pele; acne grave ou erupção cutânea, ou feridas ou úlceras na pele enquanto estiver a usar interferão alfa-2a.

O Interferão alfa-2a pode reduzir temporariamente o número de glóbulos brancos no sangue, aumentando a possibilidade de contrair uma infeção.

Também pode reduzir o número de plaquetas, que são necessárias para a coagulação sanguínea adequada. Se isso ocorrer, existem algumas precauções que pode tomar, especialmente quando a contagem de sangue está baixa, para reduzir o risco de infeção ou hemorragia:
– Se for possível, evitar que as pessoas com infeções.

Verifique com o médico imediatamente se acha que você está a ser infetado ou se tiver febre ou calafrios, tosse ou rouquidão, dor parte inferior das costas ou de lado, ou dor ou dificuldade ao urinar.

– Verifique com o médico imediatamente se notar qualquer sangramento incomum ou contusão; fezes negras, sangue na urina ou nas fezes, ou manchas avermelhadas na pele.

– Tenha cuidado ao usar uma escova normal, fio dental, ou palito.

o médico, Dentista ou Enfermeiro pode recomendar outras maneiras de limpar seus dentes e gengivas.

Verifique com seu Médico antes de fazer qualquer tratamento dentário.

– Não toque nos olhos ou o interior do seu nariz, a menos que tenha acabado de lavar as mãos e não toque em mais nada nesse meio tempo.

– Tenha cuidado para não se cortar quando estiver usando objetos pontiagudos, como um máquina de barbear ou corta-unhas.

– Evite desportos de contato ou outras situações em que contusões ou lesões possam ocorrer.

Verifique com o médico imediatamente se a visão ficar turva, tiver dificuldade de leitura, ou se ocorrer qualquer outra alteração na visão durante ou após o tratamento.

o médico pode querer que os seus olhos sejam verificados por um oftalmologista.

O Interferão alfa-2a pode levar algumas pessoas a ficar tontas, sonolentas ou menos alerta do que normalmente são.

Certifique-se de que sabe como reagir ao Interferão alfa-2a antes de conduzir, utilizar máquinas, ou executar qualquer outra tarefa que poderia ser perigosa se ficar tonto ou não estiver alerta ou tiver visão turva.

Não tome outros medicamentos que não tenham sido discutidas com o médico.

Isso inclui a prescrição de medicamentos com ou sem receita (OTC), ervas ou suplementos vitamínicos.
Cuidados com a Dieta
Evitar o álcool.
Terapêutica Interrompida
Use a dose logo que se lembrar. No entanto, se estiver quase na hora da próxima dose, pule a dose que perdeu e use apenas a dose regularmente programado seguinte. Não utilize uma dose dupla dessa medicação.
Cuidados no Armazenamento
Guarde no frigorífico. Não congelar.
Manter fora do alcance das crianças.

Não guardar medicamentos desatualizados ou medicamentos fora de prazo.
Pergunte ao seu Profissional de Saúde como deve dispor de qualquer medicamento que não use.

Deite fora as agulhas usadas em um recipiente rígido, fechado, que as agulhas não possam atravessar. Manter este recipiente longe das crianças e animais de estimação.
Espectro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Antiviral com atividade contra os vírus das hepatites B e C.
Consultar informação actualizada

Capecitabina + Interferão alfa-2a

Observações: Os estudos de interação só foram realizados em adultos.
Interações: A DMT da capecitabina foi de 2000mg/m2 por dia quando combinado com interferão alfa-2a (3MUI/m2 por dia), comparativamente com 3000mg/m2 por dia quando a capecitabina foi utilizada isoladamente. - Interferão alfa-2a
Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Interferão alfa-2a + Teofilina

Observações: Como os interferões alfa alteram o metabolismo celular, este medicamento possui potencial para modificar a atividade de outros fármacos. Num pequeno estudo, Interferão alfa-2a demonstrou atuar sobre sistemas enzimáticos microssomais específicos. Desconhece-se a importância clínica destes factos. Os interferões alfa podem afetar o processo metabólico oxidativo; este facto deve ser tido em consideração ao prescrever-se uma terapêutica concomitante com fármacos metabolizados por esta via. Contudo, atualmente não existe disponível informação específica sobre o assunto.
Interações: Foi demonstrado que Interferão alfa-2a reduz a depuração da teofilina. - Teofilina
Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Interferão alfa-2a + Depressores do SNC

Observações: Como os interferões alfa alteram o metabolismo celular, este medicamento possui potencial para modificar a atividade de outros fármacos. Num pequeno estudo, Interferão alfa-2a demonstrou atuar sobre sistemas enzimáticos microssomais específicos. Desconhece-se a importância clínica destes factos. Os interferões alfa podem afetar o processo metabólico oxidativo; este facto deve ser tido em consideração ao prescrever-se uma terapêutica concomitante com fármacos metabolizados por esta via. Contudo, atualmente não existe disponível informação específica sobre o assunto.
Interações: Uma vez que Interferão alfa-2a pode afetar as funções do sistema nervoso central, podem ocorrer interações após administração concomitante de fármacos com ação central. Os efeitos neurotóxicos, hematotóxicos ou cardiotóxicos de fármacos administrados anterior ou concomitantemente podem ser potenciados pelos interferões. - Depressores do SNC
Usar com precaução

Interferão alfa-2a + Ribavirina

Observações: Como os interferões alfa alteram o metabolismo celular, este medicamento possui potencial para modificar a atividade de outros fármacos. Num pequeno estudo, Interferão alfa-2a demonstrou atuar sobre sistemas enzimáticos microssomais específicos. Desconhece-se a importância clínica destes factos. Os interferões alfa podem afetar o processo metabólico oxidativo; este facto deve ser tido em consideração ao prescrever-se uma terapêutica concomitante com fármacos metabolizados por esta via. Contudo, atualmente não existe disponível informação específica sobre o assunto.
Interações: Se o interferão alfa-2a for administrado em combinação com a ribavirina em doentes com hepatite C crónica, ver também o Resumo das Características do Medicamento da ribavirina. - Ribavirina
Sem significado Clínico

Interferão alfa-2a + Bevacizumab

Observações: Como os interferões alfa alteram o metabolismo celular, este medicamento possui potencial para modificar a atividade de outros fármacos. Num pequeno estudo, Interferão alfa-2a demonstrou atuar sobre sistemas enzimáticos microssomais específicos. Desconhece-se a importância clínica destes factos. Os interferões alfa podem afetar o processo metabólico oxidativo; este facto deve ser tido em consideração ao prescrever-se uma terapêutica concomitante com fármacos metabolizados por esta via. Contudo, atualmente não existe disponível informação específica sobre o assunto.
Interações: Os resultados de um estudo clínico controlado em doentes com cancro do rim não demonstraram nenhum efeito significativo do bevacizumab na farmacocinética do interferão alfa-2. - Bevacizumab
Potencialmente Grave

Aldesleucina + Interferão alfa-2a

Observações: N.D.
Interações: Rabdomiólise grave e lesões no miocárdio, incluindo enfarte do miocárdio, miocardite e hipocinesia ventricular pareceram aumentar em doentes tratados com Aldesleucina (por via intravenosa) e interferão alfa concomitantemente. Verificou-se também exacerbação ou aparecimento pela primeira vez de algumas manifestações autoimunes e inflamatórias após a utilização concomitante de interferão alfa e este medicamento, incluindo glomerulonefrite imunoglobulina A (IgA) crescêntica, miastenia gravis oculo-bulbar, artrite inflamatória, tiroidite, penfigóide bulhosa e síndrome de Stevens-Johnson. Os doentes com doenças autoimunes pré-existentes, não devem ser tratados com este medicamento. Foram descritas reações de hipersensibilidade em doentes em tratamento com regimes combinados sequenciais contendo Aldesleucina em doses elevadas e agentes antineoplásicos, especificamente, dacarbazina, cisplatina, tamoxifeno e interferão alfa. Estas reações consistiram em eritema, prurido e hipotensão e ocorreram nas horas que se seguiram à administração da quimioterapia. Estes acontecimentos implicaram, em alguns doentes, intervenção médica. - Interferão alfa-2a
Multiplos efeitos Terapêuticos/Tóxicos

Teofilina + Interferão alfa-2a

Observações: N.D.
Interações: A depuração da teofilina poderá ser retardada e/ou a sua concentração plasmática poderá ser aumentada – com risco acrescido de sobredosagem e efeitos adversos – em casos de administração simultânea das substâncias seguintes: - Contracetivos orais, - Antibióticos macrólidos (especialmente eritromicina e troleandomicina), - Quinolonas (inibidores da girase, especialmente ciprofloxacina, enoxacina e pefloxacina - Imipenem, especialmente efeitos secundários do SNC, tal como convulsões. - Isoniazida, - Tiabendazol, - Bloqueadores dos canais de cálcio (ex. verapamil ou diltiazem), - Propranolol, - Metilxantina, - Propafenona, - Ticlopidina, - Cimetidina, ranitidina, - Alopurinol, febuxostate, - Fluvoxamina, - Alfa-interferão e peginterferão alfa-2, - Zafirlucaste, - Vacinas da gripe, - Etintidina, - Idrocilamida e - Zileuton Nestes casos poderá ser necessária uma redução da dose. Quando a teofilina é administrada simultaneamente com a ciprofloxacina e com a enoxacina, a dose de teofilina deve ser reduzida para no máximo 60% e 30% da dose recomendada, respetivamente. Outras quinolonas (ex: peploxacina ou ácido pipemidico) podem também potenciar a ação de medicamentos contendo teofilina. Consequentemente, recomenda-se fortemente o controlo frequente das concentrações de teofilina durante a terapêutica concomitante com quinolonas. - Interferão alfa-2a
Contraindicado

Telbivudina + Interferão alfa-2a

Observações: A telbivudina não é um substrato, inibidor ou indutor do sistema enzimático do citocromo P450 (CYP450). Assim, o potencial para interações medicamentosas mediadas pelo CYP450 com Telbivudina é baixo.
Interações: A farmacocinética no estado estacionário da telbivudina manteve-se inalterada após administração de doses múltiplas em associação com lamivudina, adefovir dipivoxil, tenofovir disoproxil fumarato, ciclosporina ou interferão peguilado alfa-2a. Não se pode tirar uma conclusão definitiva no que respeita aos efeitos da telbivudina sobre a farmacocinética do interferão peguilado devido à grande variabilidade interindividual das concentrações de interferão peguilado alfa-2a. Um ensaio clínico que avaliou a associação de telbivudina, 600 mg por dia, com interferão peguilado alfa-2a, 180 microgramas uma vez por semana, por via subcutânea, indica que esta associação está relacionada a um aumento do risco de desenvolvimento de neuropatia periférica. O mecanismo subjacente a estes acontecimentos não é conhecido. A associação de telbivudina com qualquer produto contendo interferão alfa está contraindicada. - Interferão alfa-2a
Sem efeito descrito

Bevacizumab + Interferão alfa-2a

Observações: N.D.
Interações: Efeito de fármacos antineoplásicos na farmacocinética do bevacizumab: Com base nos resultados de uma análise farmacocinética populacional, não se observaram interações farmacocinéticas clinicamente relevantes para a farmacocinética de Bevacizumab, decorrentes da co-administração com quimioterapia. Não houve diferença estatisticamente significativa ou clinicamente relevante na depuração de Bevacizumab em doentes tratados com Bevacizumab em monoterapia comparativamente a doentes tratados com Bevacizumab em associação com Interferão alfa-2a ou outras quimioterapias (IFL, 5-FU/LV, carboplatina/paclitaxel, capecitabina, doxorrubicina ou cisplatina/gemcitabina). Os resultados de um ensaio em doentes com cancro renal demonstraram não existir efeito significativo do bevacizumab na farmacocinética do interferão alfa-2a. - Interferão alfa-2a
Usar com precaução

Ácido acetilsalicílico + Ácido ascórbico + Cafeína + Interferão alfa-2a

Observações: N.D.
Interações: Associações que necessitam precauções especiais de utilização: Interferão alfa: Risco de inibição da acção do interferão; utilizar de preferência um analgésico antipirético não salicilato. - Interferão alfa-2a
Usar com precaução

Codeína + Diclofenac de potássio + Interferão alfa-2a

Observações: A administração simultânea de diclofenac com os seguintes produtos requer um controle rigoroso do status clínico e biológico do paciente.
Interações: Associações a considerar: - Interferão alfa: risco de inibição da sua ação. - Interferão alfa-2a
Identificação dos símbolos utilizados na descrição das Interações do Interferão alfa-2a
Alertar os Pacientes para não alterar as marcas de interferão; mudanças na dosagem podem ser necessárias.

Hidratar bem os Pacientes, especialmente durante o tratamento inicial.
Informação revista e actualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 08 de Setembro de 2020