Exenatido

DCI com Advertência na Gravidez DCI com Advertência no Aleitamento DCI com Advertência na Condução
O que é
O Exenatido é derivado de um composto que se encontra na saliva do Monstro de Gila, um lagarto nativo do sudoeste dos EUA, é um análogo funcional de glucagon-tipo peptido-1 (GLP-1), um péptido de ocorrência natural.
Usos comuns
O Exenatido é usado no tratamento da diabetes tipo 2, juntamente com dieta e exercício físico.

O Exenatido é um péptido 1 (GLP-1), agonista do recetor do tipo glucagon. Reduz o açúcar no sangue, aumentando a libertação de insulina pelo pâncreas.

Também imita as ações de certas hormonas que reduzem os níveis de açúcar no sangue.
Tipo
biotecnologia
História
Sem informação.
Indicações
Está indicado no tratamento da diabetes mellitus tipo 2 em combinação com:
– metformina
– sulfonilureias
– tiazolidinedionas
– metformina e uma sulfonilureia
– metformina e uma tiazolidinediona,
em adultos que não atingiram um controlo adequado da glicemia nas doses máximas toleradas destas terapêuticas orais.

Também está indicado como terapêutica adjuvante à insulina basal com ou sem metformina e/ou pioglitazona em adultos que não atingiram um controlo adequado da glicemia com estes agentes.
Classificação CFT

8.4.2 : Antidiabéticos orais

Mecanismo De Ação
O Exenatido é um agonista dos recetores do peptídeo-1 similar ao glucagon (GLP-1) apresentando várias ações antihiperglicemiantes desse mesmo peptídeo-1 similar ao glucagon (GLP-1).

A sequência aminoácida do Exenatido é parcialmente idêntica à do GLP-1 humano. In vitro, o Exenatido demonstrou ligar-se e ativar o recetor humano conhecido GLP-1, o seu mecanismo de ação é mediado pelo AMP cíclico e/ou outras vias transmissoras intracelulares.

Numa base dependente da glucose, o Exenatido aumenta a secreção de insulina das células pancreáticas beta. À medida que as concentrações de glucose diminuem, a secreção de insulina abranda.

Quando o Exenatido é administrado em combinação só com metformina, não se observa uma maior incidência de hipoglicemia relativamente à do placebo em combinação com metformina, o que pode ser devido a este mecanismo insulinotrópico dependente da glucose.

O Exenatido suprime a secreção de glucagon, que se sabe ser inapropriadamente elevada na diabetes de tipo 2. As concentrações mais baixas de glucagon levam a uma diminuição da produção de glucose hepática.

Contudo, o Exenatido não compromete a resposta normal de glucagon nem outras respostas hormonais à hipoglicemia.

O Exenatido atrasa o esvaziamento gástrico, reduzindo deste modo a taxa circulante de glucose derivada das refeições.
Posologia Orientativa
A terapêutica deve ser iniciada com 5 μg de Exenatido por dose administrada duas vezes por dia (BID) durante pelo menos um mês, de modo a melhorar a tolerabilidade.

A dose de Exenatido pode então ser aumentada para 10 μg duas vezes por dia de modo a melhorar ainda mais o controlo da glicemia.

Não se recomendam doses superiores a 10 μg.
Administração
Cada dose deve ser administrada por via subcutânea, na coxa, abdómen ou na parte superior do braço.
Contraindicações
Hipersensibilidade à substância ativa.
Efeitos Indesejáveis/Adversos
Foram notificadas muito raramente algumas reações alérgicas graves (anafilaxia) (pode afetar até 1 em cada 10.000 pessoas).

Deve consultar imediatamente o seu Médico se tiver sintomas tais como:
– Face, língua ou garganta inchada
– Dificuldade em engolir
– Urticária e dificuldade em respirar

Foram notificados raramente (pode afetar até 1 em cada 1.000 pessoas), casos de inflamação do pâncreas (pancreatite) em doentes tratados com o fãrmaco. A pancreatite pode ser um estado clínico grave que pode potencialmente pôr a vida em risco.
– Informe o seu Médico se tiver tido pancreatite, pedra na vesícula, alcoolismo ou valores de triglicéridos muito elevados. Estes estados clínicos podem aumentar a probabilidade de ter uma pancreatite ou de ter uma recaída, quer esteja ou não a tomar Exenatido.
– Contacte o seu Médico se tiver tido dores de estômago graves e persistentes com ou sem vómitos, pois pode ter uma pancretite.

Efeitos secundários muito frequentes, (pode afetar mais do que 1 em cada 10 pessoas):
– náuseas (náuseas são mais frequentes quando se inicia o tratamento, mas diminuem com o tempo, na maioria dos doentes),
– vómitos
– diarreia
– hipoglicemia
Quando Exenatido é utilizado com um medicamento que contém uma sulfonilureia ou uma insulina podem ocorrer com muita frequência episódios de baixa de açúcar no sangue (hipoglicemia, geralmente ligeira a moderada). A dose do seu medicamento que contém sulfonilureia ou insulina pode precisar de ser reduzida enquanto estiver a utilizar Exenatido. Os sinais e sintomas da baixa de açúcar no sangue podem incluir dor de cabeça, sonolência, fraqueza, tonturas, confusão, irritabilidade, fome, batimento rápido do coração, suores e sentir-se nervoso. O seu Médico deve dizer-lhe como tratar a baixa de açúcar no sangue.

Efeitos secundários frequentes, (pode afetar até 1 em cada 10 pessoas):
– tonturas
– dores de cabeça
– sentir-se nervoso
– dores na zona do estômago
– inchaço
– indigestão
– aumento da sudação
– perda de energia e de forças
– azia
– reação no local de administração (vermelhidão)
– perda de peso
– diminuição do apetite.

O Exenatido pode reduzir o apetite, a quantidade de comida que ingere e o seu peso.
Fale com o seu Médico se perder peso demasiado depressa (mais de 1,5 kg por semana) pois isto pode não ser bom para si (por exemplo, pode causar desidratação (perda de água),

Efeitos secundários pouco frequentes (pode afetar até 1 em cada 100 pessoas):
– sabor estranho na boca
– arrotos
– prisão de ventre
– flatulência (gazes)
Efeitos secundários raros:
– angioedema (inchaço da face e da garganta),
– hipersensibilidade (erupções cutâneas e rápido inchaço dos tecidos do pescoço, face, boca ou garganta)
– diminuição da função renal
– desidratação, algumas vezes acompanhada duma diminuição da função renal
– sonolência
– queda de cabelo (raro).

Para além destes, foram notificados outros efeitos secundários (frequência desconhecida, não pode ser calculada a partir dos dados disponíveis).
– Foram notificadas alterações do INR (medida da espessura do sangue) quando utilizado com varfarina.
Advertências
Gravidez
Gravidez:Todos os trimestres: C - Não há estudos adequados em mulheres. Em experiências animais ocorreram alguns efeitos colaterais no feto, mas o benefício do produto pode justificar o risco potencial durante a gravidez.
Aleitamento
Aleitamento:Não deve ser utilizado se estiver a amamentar.
Condução
Condução:Quando se administra Exenatido em combinação com sulfonilureias ou uma insulina basal, os doentes devem ser avisados para tomarem precauções a fim de evitarem uma hipoglicemia enquanto conduzem.
Precauções Gerais
Não deve ser administrado por injeção intravenosa ou intramuscular.
− Quando utilizado em combinação com uma sulfonilureia, pode ocorrer uma baixa de açúcar no sangue (hipoglicemia).
Pergunte ao seu Médico ou Farmacêutico se não tiver a certeza se qualquer outro medicamento que está a tomar contém uma sulfonilureia.

− O Exenatido não deve ser usado se tiver diabetes tipo 1 ou cetoacidose diabética (uma condição grave que pode ocorrer na diabetes
− Exenatido deve ser administrado debaixo da pele e não numa veia ou músculo.

− Se tiver problemas graves em esvaziar o estômago (incluindo gastroparesia) ou problemas de digestão, o uso de Exenatido não é recomendado. O Exenatido retarda o esvaziamento do estômago, por isso os alimentos passam de forma mais demorada por aquele órgão.

− Informe o seu Médico se já tiver tido inflamação do pâncreas (pancreatite)
− Existe pouca experiência com Exenatido em Doentes com um Índice de Massa Corporal (IMC) ≤25.

− Existe pouca experiência com Exenatido em doentes com problemas renais.
O uso de Exenatido não se recomenda se tiver doença renal grave ou se estiver a fazer diálise.
Cuidados com a Dieta
Administre em qualquer altura no espaço de 60 minutos (1 hora) antes da sua refeição.
Terapêutica Interrompida
Se se esquecer duma dose, omita essa dose e administre a dose seguinte à hora prevista. Não administre uma dose extra nem aumente a sua dose seguinte para compensar a dose que se esqueceu de administrar.
Cuidados no Armazenamento
Manter fora do alcance e da vista das crianças.
Conserve num frigorífico (2°C - 8°C).

Uma vez em utilização, a caneta deve ser conservada a temperatura inferior a 25°C durante 30 dias. Reponha a tampa na caneta de modo a proteger da luz.
Não congele. Elimine qualquer caneta que tenha sido congelada.

Utilize a caneta apenas durante 30 dias. Deite fora a caneta após os 30 dias, mesmo que ainda fique alguma quantidade de medicamento no seu interior.

Não a utilize se vir partículas na solução ou se esta estiver turva ou colorida.
Não guarde a caneta com a agulha enroscada.
Se deixar a agulha enroscada, pode verter medicamento da caneta ou formarem-se bolhas de ar no cartucho.
Espetro de Suscetibilidade e Tolerância Bacteriológica
Sem informação.

Furazolidona + Exenatido

Observações: N.D.
Interações: O uso de furazolidona com qualquer um dos seguintes medicamentos pode causar um aumento do risco de alguns efeitos secundários. - Acarbose - Albiglutido - Alogliptina - Bromocriptina - Canagliflozina - Clorpropamida - Dapagliflozina - Dulaglutido - Empagliflozina - Exenatido - Ginseng - Glimepirida - Glipizida - Gliburida - Insulina - Insulina Aspart, Recombinante - Insulina Bovina - Insulina Degludec - Insulina Detemir - Insulina Glulisine - Insulina Lispro, Recombinante - Linagliptina - Liraglutido - Lixisenatido - Metformina - Miglitol - Nateglinida - Pioglitazona - Pramlintida - Repaglinida - Rosiglitazona - Saxagliptina - Sitagliptina - Tolazamida - Tolbutamida - Vildagliptina
 Sem significado Clínico

Exenatido + Paracetamol

Observações: Os estudos de interação com exenatido só foram realizados em adultos.
Interações: Os resultados de um estudo usando paracetamol como marcador do esvaziamento gástrico sugerem que o efeito de exenatido de libertação prolongada na lentificação do esvaziamento gástrico é mínimo e não se espera que cause reduções clinicamente significativas no ritmo e extensão da absorção dos medicamentos administrados concomitantemente por via oral. Assim, não é necessário qualquer ajuste de dose dos medicamentos sensíveis a um esvaziamento gástrico demorado. Quando se administraram comprimidos de paracetamol 1.000 mg, com ou sem alimentos, após 14 semanas de terapêutica com e xenatido de libertação prolongada, não se observaram alterações significativas na AUC do paracetamol comparativamente com o período de controlo. A Cmax do paracetamol diminuiu cerca de 16% (em jejum) e 5% (após ingestão) e a tmax aumentou aproximadamente de 1 hora no período de controlo para 1,4 horas (em jejum) e 1,3 horas (após ingestão). Os seguintes estudos de interação foram efetuados com 10 μg de exenatido de libertação imediata mas não com exenatido de libertação prolongada.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Exenatido + Sulfonilureias

Observações: Os estudos de interação com exenatido só foram realizados em adultos.
Interações: Pode ser necessário ajustar a dose de uma sulfonilureia devido ao aumento de risco de hipoglicemia associado à terapêutica com sulfonilureia.

Exenatido + Inibidores da HMG-CoA redutase (Estatinas)

Observações: Os estudos de interação com exenatido só foram realizados em adultos.
Interações: Nos ensaios clínicos de 30 semanas com exenatido de libertação imediata controlados com placebo, a utilização concomitante de exenatido e de inibidores da HMG - CoA redutase, não foi associado a alterações consistentes nos perfis lipídicos. Não é necessário um ajuste pré-determinado de dose; no entanto, os perfis lipídicos devem ser monitorizados adequadamente.
 Redutora do efeito Terapêutico/Tóxico

Exenatido + Lovastatina

Observações: Os estudos de interação com exenatido só foram realizados em adultos.
Interações: A AUC e a Cmax da lovastatina diminuíram aproximadamente 40% e 28%, respetivamente, e a tmax foi atrasada cerca de 4 h quando se administrou exenatido de libertação imediata concomitantemente com uma dose única de lovastatina (40 mg) comparativamente com lovastatina administrada isoladamente.
 Potenciadora do efeito Terapêutico/Tóxico

Exenatido + Varfarina

Observações: Os estudos de interação com exenatido só foram realizados em adultos.
Interações: Observou- se um atraso na tmax de cerca de 2 horas quando se administrou varfarina 35 minutos após o exenatido de libertação imediata. Não se observaram efeitos clínicos significativos na Cmax ou na AUC. Foi notificado espontaneamente um aumento na INR durante a utilização concomitante de varfarina e exenatido de libertação prolongada. Deve monitorizar-se a INR durante o início da terapêutica com exenatido de libertação prolongada em doentes a tomarem varfarina e/ou derivados do cumarol
 Sem significado Clínico

Exenatido + Digoxina

Observações: Os estudos de interação com exenatido só foram realizados em adultos.
Interações: Em estudos de interação relacionados com o efeito do exenatido de libertação imediata na digoxina e no lisinopril, não se observaram efeitos clínicos relevantes na Cmax ou na AUC, no entanto, observou-se um atraso na tmax de cerca de 2 horas.
 Sem significado Clínico

Exenatido + Lisinopril

Observações: Os estudos de interação com exenatido só foram realizados em adultos.
Interações: Em estudos de interação relacionados com o efeito do exenatido de libertação imediata na digoxina e no lisinopril, não se observaram efeitos clínicos relevantes na Cmax ou na AUC, no entanto, observou- se um atraso na tmax de cerca de 2 horas.
 Sem significado Clínico

Exenatido + Etinilestradiol

Observações: Os estudos de interação com exenatido só foram realizados em adultos.
Interações: A administração de um contracetivo oral em associação (30 μg de etinilestradiol com 150 μg de levonorgestrel) uma hora antes do exenatido de libertação imediata, não alterou a AUC, a Cmax ou a Cmin quer do etinilestradiol, quer do levonorgestrel. A administração do contracetivo oral 35 minutos após o exenatido não afetou a AUC, mas resultou numa redução da Cmax do etinilestradiol em cerca de 45%, numa redução da Cmax do levonorgestrel em cerca de 27 - 41% e num atraso da tmax em cerca de 2 - 4 horas devido ao atraso do esvaziamento gástrico. A redução na Cmax tem pouco significado clínico e não requer ajuste de dose dos contracetivos orais.
 Sem significado Clínico

Exenatido + Levonorgestrel

Observações: Os estudos de interação com exenatido só foram realizados em adultos.
Interações: A administração de um contracetivo oral em associação (30 μg de etinilestradiol com 150 μg de levonorgestrel) uma hora antes do exenatido de libertação imediata, não alterou a AUC, a Cmax ou a Cmin quer do etinilestradiol, quer do levonorgestrel. A administração do contracetivo oral 35 minutos após o exenatido não afetou a AUC, mas resultou numa redução da Cmax do etinilestradiol em cerca de 45%, numa redução da Cmax do levonorgestrel em cerca de 27 - 41% e num atraso da tmax em cerca de 2 - 4 horas devido ao atraso do esvaziamento gástrico. A redução na Cmax tem pouco significado clínico e não requer ajuste de dose dos contracetivos orais.
Sem significado Clínico
Informe o seu Médico ou Farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.
Não deve utilizar-se durante a gravidez e recomenda-se o uso de insulina.

Não deve ser utilizado se estiver a amamentar.

Quando se administra Exenatido em combinação com sulfonilureias ou uma insulina basal, os doentes devem ser avisados para tomarem precauções a fim de evitarem uma hipoglicemia enquanto conduzem ou utilizam máquinas.


Informação revista e atualizada pela equipa técnica do INDICE.EU em: 31 de Outubro de 2019